Perto do Vasco, Giovanni Augusto teve números discretos em 2017



Giovanni Augusto pouco atuou em 2017 (Foto: Ale Cabral/Lancepress)

Contratado pelo Corinthians em 2016, Giovanni Augusto chegou ao clube paulista referendado pelo bom Brasileiro com a camisa do Atlético Mineiro na temporada anterior. Pelo Galo, em 2015, o meia terminou o campeonato como o terceiro jogador com mais passes para gols (10), ficando atrás apenas de Jadson (12), do Corinthians, e Paulo Henrique Ganso (11), do São Paulo. Ficou na mesma posição também no ranking de assistências para finalização, com 82, sendo batido apenas pelo meia corintiano (91), novamente, e por Lucas Lima, então no Santos.

Com a camisa do Timão, porém, Giovanni não teve o mesmo desempenho. Ganhou a titularidade ainda com Tite, no início de 2016, mas terminou o ano contestado. Mesmo tendo feito 53 partidas pelo clube no ano, contribuiu com sete assistências, sendo apenas quatro no Brasileirão – 60% a menos do que em 2015.

Em contrapartida, o meia se mostrou mais eficiente em outro fundamento: os desarmes. Ajudando mais na marcação, conseguiu 110 roubos de bola em seu primeiro ano no Corinthians, segundo dados do Footstats. Quase o dobro da temporada anterior, pela equipe mineira – 62 em 40 jogos.

Com o retorno de Jadson em 2017 e seguidas lesões, Giovanni se tornou reserva na equipe de Fábio Carille, sendo pouco aproveitado pelo treinador. Foram apenas seis jogos como titular na última temporada, 23 no total. Com apenas 785 minutos em campo durante todo o ano, o apoiador contribuiu com apenas um gol e uma assistência.

Por ter características diferentes, Giovanni não surge como o substituto natural de Nenê. Até pelo bom momento vivido por Evander com a camisa 10. Porém, sob o comando de Zé Ricardo, que gosta de jogadores de frente que contribuem bastante defensivamente – Ríos, Rildo e Thiago Galhardo, por exemplo -, pode ser uma boa opção para compor o meio-campo.

GIOVANNI AUGUSTO NOS ÚLTIMOS ANOS
– Dados do Footstats

2015 – Atlético-MG – 40 jogos – 5 gols – 11 passes para gol – 62 desarmes
2016 – Corinthians – 53 jogos – 6 gols – 7 passes para gol – 110 desarmes
2017 – Corinthians – 23 jogos – 1 gol – 1 passe para gol – 19 desarmes



MaisRecentes

A soberania de Dedé



Continue Lendo

Veja como ficou a Seleção das Estatísticas da Copa do Brasil 2018



Continue Lendo

Cruzeiro se torna o 4º clube a alcançar a marca dos 300 gols na Copa do Brasil



Continue Lendo