Grêmio e Palmeiras se despedem da Libertadores liderando algumas das principais estatísticas da competição



Dudu é o líder em assistências para finalização (Foto: AFP)

O sonho de um final brasileira na Libertadores 2018 se tornou uma espécie de pesadelo – para alguns -, com as eliminações de Grêmio e Palmeiras e as classificações de River Plate e Boca Juniors. Com campanhas sólidas nas primeiras fases da competição, os brasucas acabaram caindo para os argentinos nas semifinais, mesmo liderando alguns dos principais fundamentos durante o campeonato.

Com 24 gols marcados, o Tricolor ainda tem o ataque mais positivo da Libertadores, seguido exatamente pelo Alviverde, que balançou as redes 22 vezes. O clube paulista, inclusive, tem o artilheiro da disputa: Borja, com 9 gols.

O Boca, que eliminou o Palmeiras, vem em terceiro, com 21. O River é o 5º, com 14.

Os gaúchos, que estiveram muito perto da decisão – sofreram dois gols nos minutos finais -, lideram também o ranking de passes certos. Em 12 jogos disputados, o time comandado pelo técnico Renato Gaúcho trocou 5336 toques corretamente, uma média de 544 por partida. A equipe de Guillermo Schelotto aparece na 2ª posição, com 4115, e o Palmeiras o terceiro, com 3972.

Contando com as boas fases de Luan – que ficou de fora da semifinal – e Everton, os gremistas lideraram ainda outras quatro estatísticas ofensivas: a de dribles, com 56 certos – Everton lidera no individual, com 19 -, com o Palmeiras aparecendo novamente em segundo, com 46, a de assistências para finalização, com 125 – Dudu, do Palmeiras, lidera entre os jogadores, com 21 – , a de cruzamentos completados, com 61, e a de finalizações em gol, com 75 arremates no alvo.

Pelo lado palmeirense, a liderança ficou por conta das interceptações. Com um meio-campo combativo, o time liderou o quesito com folga, conseguindo realizar 49 interceptações, contra apenas 30 do Boca, o 2º no ranking. Felipe Melo, com sete, divide o topo da lista individual com Barrios, do Boca, e Nicolás Domingo, do Independiente.

Nos desarmes, entretanto, o domínio é argentino, com três clubes ocupando as três primeiras colocações: Boca, com 194, River, com 190, e Independiente – mesmo com dois jogos a menos -, com 189, formam o top 3. Palmeiras, com 174, e Grêmio, com 172, completam os cinco primeiros.

* Com dados do Footstats



MaisRecentes

Veja como ficou a Seleção das Estatísticas do Brasileirão 2018 após a 33ª rodada



Continue Lendo

Volante do Bahia é o primeiro a ultrapassar a marca dos 100 desarmes no Brasileiro



Continue Lendo

Martin Silva tem uma das piores médias de defesas difíceis do Brasileirão



Continue Lendo