Edgardo Bauza é o 14º técnico estrangeiro da história do São Paulo



Bauza é o novo técnico do São Paulo (Foto: AFP)

Bauza é o novo técnico do São Paulo (Foto: AFP)

Mais uma vez o São Paulo decidiu recorrer ao mercado sul-americano para encontrar um novo treinador para a equipe. O argentino Edgardo Bauza, bicampeão da Libertadores – LDU-EQU, 2008, e San Lorenzo-ARG, 2014 – foi anunciado nesta quinta-feira e comandará o clube em 2016.

Esta será a 14ª vez na história que o Tricolor contará com um técnico estrangeiro em seu banco de reservas. O quarto nascido na Argentina.

O primeiro a comandar a equipe foi o uruguaio Ramón Platero, em 1930. O comandante ainda retornaria ao clube dez anos depois, após passagens por Vasco, Flamengo, Fluminense e Botafogo. Antes de sua volta, na década de 40, Eugênio Medgyessy e Ignác Amsel, ambos húngaros, estiveram à frente da equipe do Morumbi.

Em 42, mais um treinador vindo do Uruguai. Conrado Ross ficou no São Paulo por quase duas temporadas, até a chegada do português Jorge Lima, o Joreca, que venceu os Paulistas de 43, 45 e 46.

Na década de 50, o primeiro argentino, Jim Lopez (53/54), e mais um natural da Hungria, Béla Guttman (57/58). O uruguaio Armando Renganeschi também aumentaria o número de estrangeiros antes do início dos anos 60, dirigindo o time entre 58 e 59.

Ídolo são-paulino, o ex-goleiro José Poy, nascido em Rosário, na Argentina, se transformou no gringo com mais passagens pelo comando do São Paulo. Entre 64 e 84, o técnico assumiu a direção da equipe em cinco oportunidades, acumulando mais de 300 partidas. Um recorde até hoje.

Poy dirigiu o São Paulo em 368 jogos (Foto: Reprodução)

Poy dirigiu o São Paulo em 368 jogos (Foto: Reprodução)

Em 90, dois outros ex-jogadores do clube assumiram o cargo. Os uruguaios Pablo Forlán, em 90, e Darío Pereyra, em 97/98, mantiveram a tradição de treinadores sul-americanos. Assim como o ex-goleiro chileno Rojas, que passou pelo Tricolor em 2003 e que também havia defendido a camisa da equipe nos anos 80.

O mais recente a passar pelo Morumbi foi Juan Carlo Osório. Apesar da grande expectativa gerada, o colombiano não conseguiu os resultados esperados no comando do São Paulo e acabou pedindo demissão antes mesmo do fim do Brasileirão de 2015.

TÉCNICOS ESTRANGEIROS DO SÃO PAULO:

Ramón Platero – Uruguai
Eugênio Medgyessy – Hungria
Ignác Amsel – Hungria
Conrado Ross – Uruguai
Jorge Lima – Portugal
Jim Lopes – Argentina
Béla Guttman – Hungria
Armando Renganeschi – Argentina
José Poy – Argentina
Pablo Forlán – Uruguai
Darío Pereyra – Uruguai
Roberto Rojas – Chile
Juan Carlos Osorio – Colômbia
Edgardo Bauza – Argentina



MaisRecentes

Top 35: os maiores garçons do Brasileirão



Continue Lendo

Após goleada, Flamengo passa a liderar duas estatísticas do Brasileirão



Continue Lendo

Veja como ficou a Seleção das Estatísticas do Brasileirão 2017 após a 9ª rodada



Continue Lendo