Dez jovens jogadores rebaixados que podem ser bons reforços para 2019



Adryelson fez bons jogos pelo Sport (Foto: Williams Aguiar/Sport)

Gatito Fernández, Léo Moura, Marllon, Bruno Alves e Thiago Carleto, Rodrigo Dourado, Jadson e Valdívia; Keno, Nico López e Vitinho. O que estes atletas têm em comum? Todos eles foram rebaixados com suas equipes entre 2016 e 2017.

Nomes que viveram bons momentos mesmo após as quedas. Alguns, inclusive, com bastante destaque, como Vitinho, maior contratação da história do Flamengo, Léo Moura, campeão da Libertadores no ano passado com o Grêmio, Gatito, que virou referência no Botafogo, e Keno, que fez parte da vitoriosa campanha do Palmeiras no Brasileirão.

Mas e em 2018, quais foram os destaques individuais das equipes rebaixadas? Quais os atletas destes times que merecem atenção dos que permaneceram na elite e que podem vir a ser bons reforços para 2019? Resolvi fazer para o Números da Bola uma lista com dez nomes interessantes que atuaram por América Mineiro, Paraná, Vitória e Sport. Jogadores que valem a pena ficar de olho nesta janela e que possuem menos de 25 anos de idade. Confira a lista:

– Jair – volante – Sport – 24 anos

Contratado pelo Sport em agosto, Jair já vinha sendo um dos destaques do Juventude na Série B. Em 18 jogos pela equipe de Caxias do Sul, realizou 50 desarmes e era o líder do fundamento na competição. No Leão, manteve o bom rendimento, tomando conta do meio-campo pernambucano. Com média de 41 passes certos por partida, só foi menos participativo que o lateral-esquerdo Sander, que teve um aproveitamento de 45 acertos por rodada. Nos roubos de bola, seguiu eficiente, obtendo uma média de mais de dois desarmes por partida – 27 em 13 atuações.

– Mateus Gonçalves – atacante – Sport – 24 anos

Criado nas divisões de base do Palmeiras, Mateus passou três anos no exterior, tendo defendido o Vitória de Guimarães, de Portugal, e os mexicanos Pachuca, Toluca e Tijuana. No Brasil, como profissional, foi fazer sua estreia apenas nesta temporada, pelo Sport. Contratado em agosto – assim como Jair -, foi importante na melhora do Leão na reta final da competição. Rápido e habilidoso, virou válvula de escapa do ataque do Sport. Mesmo sendo um jogador de lado de campo, marcou três gols em 14 jogos – 12 como titular.

– Mailson – goleiro – Sport – 22 anos

Titular às pressas após a lesão do ídolo Magrão, Mailson foi uma das gratas surpresas do Sport na temporada. Mesmo sem conseguir evitar a queda da equipe, terminou o Brasileirão com bons números, sendo o goleiro com a maior média de defesas da competição – 45 em 13 jogos.

– Adryelson – zagueiro – Sport – 20 anos

Assim como Mailson, Jair e Mateus Gonçalves, Adryelson foi entrar no time já na reta final do Brasileiro. E sua estreia não poderia ter sido melhor, marcando um dos gols na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional. Titular nos últimos 11 jogos, a equipe conquistou 5 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, obtendo um aproveitamento de 55% com o zagueiro em campo, o que lhe garantiria a 5ª posição no Brasileirão. Bom no jogo aéreo e no posicionamento, Adryelson teve também a 5ª maior média de rebatidas defensivas do campeonato – 92 no total.

– Messias – zagueiro – América-MG – 24 anos

Destaque do América desde 2017, na campanha que recolocou o Coelho na Série A, Messias manteve a boa fase em 2018. Titular em 35 jogos, foi o segundo zagueiro com mais rebatidas no campeonato, ficando atrás somente de Igor Rabelo, do Botafogo.

– Serginho – meia – América-MG – 24 anos

Serginho é uma exceção na lista, o único a ter deixado seu clube antes do fim da competição. E saiu em alta. O meia, revelado pelo Santos, trocou o Coelho pelo Kashima Antlers, que está no Mundial de Clubes – marcou inclusive um dos gols na vitória japonesa sobre o Chivas, por 3 a 2, neste sábado -, tendo marcado 4 gols e dado 3 assistências em apenas 10 partidas disputadas no Brasileirão. Talvez o destino do time tivesse sido outro no caso de sua permanência.

– Neilton – atacante – Vitória – 24 anos

Artilheiro do Campeonato Baiano com 7 gols, Neilton terminou o ano em baixa no Vitória, mas com ótimos números. O meia-atacante foi o 4º maior artilheiro do Brasil no ano, ficando atrás apenas de Gabigol, do Santos, Arthur, do Ceará, e Ricardo Oliveira, do Atlético Mineiro. Reserva nas últimas rodadas do Brasileirão, pode estar de clube novo em 2019. No Brasileiro, foram 7 gols e 4 assistências.

– Erick – atacante – Vitória – 21 anos

Outro jogador que chegou no decorrer do Brasileirão, Erick não repetiu as grandes atuações que teve pelo Náutico em 2017, que o fez ser contratado pelo Braga, de Portugal. Ainda assim, manteve uma de suas principais características: o drible. Assim como na Série B 2017, quando foi o 4º maior driblador da competição tendo disputado apenas 19 jogos, o rápido jogador fechou o Brasileiro 2018 com a 8ª maior média de fintas do campeonato – 1,1 por rodada -, empatado com nomes como Vitinho, do Flamengo, e Chará, do Atlético Mineiro, e à frente de outros atacantes habilidosos, como Rodrygo (1,0), do Santos, e Luan, do Grêmio (0,9).

– Jhonny Lucas – volante – Paraná – 18 anos

O mais jovem da lista, Jhonny Lucas tem tido seu nome especulado no Vasco. Rápido, com bom passe e aproximação à frente, é tido como um jogador ainda a ser lapidado, mas que já começou a mostrar suas credenciais neste Brasileirão. Dinâmico, chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira Sub-20 apesar do mau momento da equipe, última colocada no campeonato.

– Alex Santana – meia – Paraná – 23 anos

Outro jogador que terminou em alta na fraca participação do Paraná na Série A 2018 foi Alex Santana. Apesar de muitas vezes ter atuado como segundo volante, o jogador terminou como artilheiro do time no Brasileiro com 4 gols marcados em uma equipe que fez apenas 18. Ou seja, 22% do total do clube.

E aí, algum destes cabe no seu time?



MaisRecentes

Números da Bola ganha novo espaço no LANCE!



Continue Lendo

Cristiano Ronaldo atinge seu primeiro recorde na Itália



Continue Lendo

Fluminense traz Fernando Diniz mas perde seus maiores passadores



Continue Lendo