Botafogo se despede da Libertadores com números marcantes



Pimpão igualou marca de Jairzinho e Dirceu (Foto: Vitor Silva/SSPress)

Pimpão igualou marca de Jairzinho e Dirceu (Foto: Vitor Silva/SSPress)

Não foi apenas mais uma Libertadores para o Botafogo. Foi a Libertadores do improvável, da superação e, principalmente, da organização e da luta.

Mesmo com a queda para o Grêmio, nas quartas de final, o time e sua torcida tem motivos de sobra para se orgulhar da equipe. No formato atual – fase de grupos, oitavas, quartas, semi e final -, foi o melhor desempenho da história do clube na competição.

Pelo caminho, deixou os campeões Colo-Colo, Olimpia, Estudiantes, Atlético Nacional  e Nacional-URU.

Com sete vitórias, contando as partidas da chamada ‘pré-Libertadores’, o Glorioso quebrou seu recorde pessoal de triunfos em uma mesma edição do torneio. Até então, a melhor marca havia sido alcançada em 1973, quando venceu seis jogos. Curiosamente, um dos destaques daquele grupo era Jairzinho, pai de Jair Ventura, atual técnico da equipe.

Dentro de campo, os números também foram positivos. Com um jogo bastante coletivo, o Alvinegro se despede da competição liderando alguns fundamentos importantes.

Sob a batuta de Gatito Fernandes, o Bota é, até então, o time que mais realizou bloqueios e defesas: 49, segundo o Footstats. Mais à frente, os zagueiros e volantes também vinham dando conta do recado. A equipe lidera os rankings de rebatidas defensivas (355) e de desarmes (180).

Bem postado defensivamente, o time de Jair vinha apostando nas saídas rápidas pelos lados com Rodrigo Pimpão, Arnaldo, Victor Luis e Guilherme. Com sucesso. O clube é o que mais acertou lançamentos (178) e cruzamentos (57) até o momento na competição.

Individualmente, Pimpão ainda se tornou o maior artilheiro da história do clube na Libertadores.

Pela frente, porém, o Glorioso teve um Grêmio dono do melhor ataque (19 gols), líder em assistências para finalização (101), em passes para gol (15) e em finalizações certas (55).

Números que só engradecem a campanha dos dois.



  • Fabiano rubro negro

    Infelizmente o bostafuego nao resistiu o impacto devastador do furacão MARIA.Autoridades internacionais se mobilizam em solidariedade a esse clube de tantas glorias…..kkkkkkkk

  • Fabiano rubro negro

    Vou nadar e morrer na beira da praia.

  • Egberto Casazza

    Alguém achou que iria mais longe?…rsrsrs

  • O Observador

    BOTAQUASE …

    QUASE CARIOCA
    QUASE COPA DO BRASIL
    QUASE BRASILEIRO
    QUASE SULAMERICANA
    QUASE LIBERTADORES

    ” E EU QUASE ACREDITEI ”

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Carlos Barretto

    Quero aproveitar este espaço e parabenizar o FOGÃO, principalmente jogadores
    e comissao técnica, com um time sem tantas estrelas, fez até o momento umexcelente trabalho.Vamos em frente, porque outros torcedores tem o prazer de ver o fracasso do próximo.Que o SENHOR JESUS, abençoe a todos.

  • Bira Fogão

    O que parece não haver a menor sombra dúvida é de que o Botafogo é, disparado, o Clube melhor administrado do Rio de Janeiro. Quiçá do Brasil.
    O que parece não haver a menor sombra de dúvida é de que o Jair Ventura é, disparado, o melhor gestor de grupo de Clube de futebol do Rio de Janeiro. Quiçá do Brasil. E num futuro bem próximo, ele será o melhor treinador de futebol também.
    O que não se tem a menor dúvida é de que o CEP é disparado o melhor Presidente de Clube de Futebol do Brasil.
    Estou muito orgulhoso e agradecido a esse elenco atual do Fogão.

    MEUS PARABÉNS A TODOS; ” DO GOLEIRO AO PONTA ESQUERDA ” ………. ” DO ROUPEIRO AO PRESIDENTE ” !!!!

    TUDO INDICA QUE REALMENTE O GIGANTÃO FOGÃO VOLTOU.

  • Jorge Luis

    Não adianta nada disso se na hora “H”, a da decisão, o técnico se acovarda e demonstra o medo de perder. A partida de ontem demonstrou que para ser vencedor, um técnico necessita no mínimo ser ousado e não covarde como o despreparado Jair Ventura demonstrou ser, sacou da equipe o melhor jogador do time, Valência, nosso meia ofensivo, para escalar mais uma vez sua esposa, o péssimo João Paulo (com quem morreu abraçado mais uma vez), que não marca, não cria e ainda é o rei dos passes errados, optou mais uma vez pela covardia da retranca e da marcação em prol da vitória e do futebol ofensivo, mais uma vez foi punido e venceu a equipe que buscou o gol desde o início, como foi na Copa do Brasil. Só nos resta agora aguardar o próximo Presidente e que tenhamos a sorte dele escolher um técnico vencedor e que não tenha medo de perder como o fraco do Jair Ventura, aquele que sempre morre na praia. O problema é se teremos novamente uma equipe competitiva, pois já observei que infelizmente, somente a cada 7 ou 8 anos aparece ou uma equipe competitiva ou um técnico vencedor, como aconteceu em 99, em que tivemos uma equipe competitiva, mas um técnico fraquíssimo como este ano, ou em 2007, em que contratamos um técnico vencedor e experiente, mas pecamos por uma equipe que não era tão competitiva. somente uma vez tivemos esta combinação, foi em 1995, em que tivemos uma equipe altamente competitiva com um técnico experiente e vencedor como o Paulo Autuori, se tivéssemos contratado um técnico experiente e vencedor este ano, não teríamos morrido na praia duplamente. Jair vai ficar marcado como o técnico do quase, quase chegou nas finais do carioca, quase chegou nas finais da Copa do Brasil e quase chegou nas semi da Libertadores. É de se lamentar termos montado uma equipe tão competitiva com um técnico tão fraco, retranqueiro e totalmente inexperiente. Saudações altamente lamentáveis e Gloriosas Botafoguenses, pois alvinegras e preto e brancas existem várias.

MaisRecentes

Alvo do Corinthians, Tréllez teve uma das maiores médias de gols do Brasileirão



Continue Lendo

Campeão, Independiente comanda a Seleção das Estatísticas da Sul-Americana 2017



Continue Lendo

Estatísticas de Flamengo 1×1 Independiente



Continue Lendo