Uma mosca no dia P (de Pato) no Corinthians



Pato Corinthians

(FOTO: Divulgação/ Agencia Corinthians)

Aparecesse um gênio da lâmpada me oferecendo o status de mosca por um dia com data e local marcados eu não teria dúvidas: escolheria ser uma varejeira no CT Joaquim Grava, nesta terça-feira à tarde. Ficaria voando, zunindo, cumprindo minha sina passageira de díptera – classificação científica do bichinho -, esfregando as patas enquanto ouvia a conversa entre Cristóvão Borges e Pato. Fico pensando no teor da prometida resenha entre o técnico e o jogador, que retorna de empréstimo ao Chelsea para o último estirão do seu contrato com o Corinthians.

A fama de Pato é viver aqui e acolá, como a figura de popular canção infantil. Meio aéreo, fundado em um universo próprio, sem lenço e nem documento com a realidade. Matéria deste LANCE! de novembro de 2012 trouxe o título: “Postura Lucas Silva e Silva preocupa diretoria do Corinthians”. A referência ao personagem da série “Mundo da Lua” era metáfora para a aparente falta de senso da realidade do jogador. Naquela semana, ele comemorara de forma agressiva um gol contra o Fluminense, gesticulando como se provocasse a torcida. O detalhe é que poucas semanas antes Pato havia cobrado pênalti com a cavadinha da discórdia em Dida. O lance que o deixou na marca da cal com a Fiel, com o perdão do trocadilho.

Biografia de Tite escrito pela jornalista Camila Mattoso, lançada recentemente, traz detalhes do episódio que culminou com a eliminação corintiana da Copa do Brasil. O técnico ficou possesso, indignado com a postura do jogador na cobrança. O lateral Fábio Santos tentou contê-lo em vão, e o atacante ouviu o sermão na frente dos outros atletas:

“Danilo, errar é do jogo…Edenilson, é do jogo… É da vida. Faz parte. Pato, olha pra mim: tu não é da vida. O jeito que tu perdeu, não é. Tu tem que aprender a trabalhar em equipe, tu tem que deixar de ser egoísta. Tu tem que amadurecer e virar um homem”.

O meu kafiano desejo de ser mosca no dia P, de Pato, daria a chance de ver a reação de Pato em uma conversa informal, com Cristóvão, sujeito de fala mansa, pausada, ao estilo Paulinho da Viola. Pato irá ficar seduzido? O que seria sedução no mundo de Pato? Após a goleada sobre o Flamengo, o técnico deu a entender que gostaria de contar com o atacante, mas pontuou que ele precisa estar de corpo e alma no time. E aí é que são elas. Caso mostre vontade de voltar a vestir a camisa alvinegra, Pato será pateta ou partícipe de uma virada pessoal? Por que esse o busílis, como diriam os antigos. Mais do que benefício ao Corinthians, uma reversão de quadro seria benéfica a ele mesmo. Uma guinada ainda possível em uma carreira sinuosa. Está disposto a mudar a imagem negativa que tem com a torcida? Voltas por cima e mudanças de cenário acontecem no futebol às toneladas. O problema é se Pato estará ou não conectado com o mundo em que vive para produzir a arrancada.



MaisRecentes

Recortes do precário futebol brasileiro



Continue Lendo

Rica em talentos, França rompe com paradigma recente



Continue Lendo

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo