A longevidade e a capacidade de reinvenção de Ceni



ceniceniFOTO: Miguel Schincariol

A posição de goleiro é uma fábrica de mitologias. Desde o soviético Lev Yashin, o Aranha Negra, e o inglês Gordon Banks é assim. Por ser o início e o fim do jogo, por guardar a meta, e ser o único que troca os pés pelas mãos, traz todos os requisitos para a fantasia. Comecei a curtir futebol, nos anos 80, tendo Rodolfo Rodrigues como ídolo. A sequência de defesas contra o América de Rio Preto, no Paulista de 84, sempre povoou minha mente. A rapidez dos gestos, precisos, aliada ao reflexo, em série de cinco interceptações, é um desafio à física, à lógica, à verdade dos olhos. Dois anos antes, Dino Zoff era campeão do mundo pela Itália aos 40 anos. O mais velho até hoje a levantar o caneco mais cobiçado do planeta.

Pois Rogério Ceni me soa como uma mescla do italiano com o uruguaio. A longevidade em alta performance remete a Zoff. A elasticidade e a capacidade de gerar idolatria conjuminam com Rodolfo. São apenas paralelos, já que a memória afetiva da bola produz essas intersecções quase que espontâneas. Na última quarta-feira, vendo Ceni ter mais uma noite de tantas noites e dias de gala, esses elos me assobiaram. É impossível não se admirar que um sujeito chegue à maturidade como um atleta, um líder, um ídolo de um grande clube. Que consiga, na prorrogação, em um tempo em que o mais provável é que fosse apenas pôster na casa de um sem número de fãs, ter desempenho tão virtuoso.

Daqui três dias, Ceni estreará em sua última Libertadores. Diante de um rival que marcou sua carreira por bons e maus momentos. Que foi a vítima no seu centésimo gol e algoz em algumas derrotas sentidas. Será um duelo inédito. Isso é que merece alvíssaras. Aos 42 anos, ainda compete ao goleiro vivenciar novidades. Noves fora a tensão do jogo, é de se celebrar que no inverno da carreira ainda haja verões assim. Os amantes do futebol temos que desfrutar dessa oportunidade. Ver um atleta que bateu tantos recordes e que é o maior ídolo em atividade de um grande clube ainda atuando em alto nível é um privilégio.

É tudo muito fugidio na vida. No futebol parece que a velocidade com que as boas coisas escorrem é maior. O tempo é outro, mais veloz. Ceni, no entanto, parece ter amolecido esse fluxo. A impressão é de que joga desde sempre. Contra o Santos não era um jogo decisivo, apenas quarta rodada do inchado e desvalorizado Campeonato Paulista. Sua performance, porém, supera essa marginalidade com a reiteração da sua aparente perenidade.

Ceni desafia o tempo. Sem ignorar a boa vontade que o deus Cronos tem com os goleiros, o fato é que o são-paulino vem quebrando barreiras. A dedicação aos treinos, o sentido de comando, a sabedoria que soube adquirir com o tempo. Não fossem essas características e não teria se tornado o maior goleiro-artilheiro da história do futebol. Desafiar os preceitos da profissão, treinar exaustivas cobranças de falta até tornar-se um especialista no quesito. A amálgama de diversas virtudes fazem com que o titular há duas décadas do gol tricolor caminhe para a disputa de uma nova Libertadores tendo o respeito, a admiração de companheiros e rivais. É de fato um mito!



  • Marçal

    Podemos ficar horas escrevendo nomes de grandes goleiros, tais como Levi Yashin, Banks, Mazurkiewicks (uruguaio fantástico), Cejas (Santos), Gilmar, Leão, Manga,Rodolfo Rodrigues, Marcos e tantos outros que em diversos momentos foram “maiores” que os clubes que jogavam.
    Rogério Ceni tem muitas particularidades que o tornam tão grandes e espetaculares quanto a todos esses nomes citados e sempre “brigou” contra fatos e versoes daquilo que queriam que ele fosse.
    Grande parte da imprensa brasileira sempre o criticou taxando-o de egoista, fominha, de personalidade forte e de opinioes “fechadas”. Rogério Ceni não é popular.Rogério Ceni não vende jornal.Rogério Ceni não fez networking para ser convocado pela seleção e quando foi convocado, foi por mérito e não por amizades.
    Rogério Ceni talvez seja tão eficiente quanto todos esses nomes citados, embaixo da meta e não deve nada a eles em termos técnicos e com todos altos e baixos do oficio de goleiro, mas Rogério Ceni, tem algo que nenhum deles tem e que provavelmente nunca mais ninguem terá:
    É o ultimo, sem exceção nenhuma, a jogar por amor a camisa e a profissão. Não joga mais pelo dinheiro; dinheiro que ele sempre ganhou, mas que nunca o norteou.
    Rogério Ceni é o goleiro que mais atuou por uma unica equipe de futebol e alem de tudo Rogério Ceni tem recordes que dificilmente serão batidos.
    Muitas qualidades? Muita contestação? Muita inveja? Com certeza tudo isso e a cereja do bolo: GOLS, gols e mais gols com técnica, com frieza, com preparação, com treino, com disciplina…
    Rogério Ceni não é melhor e nunca foi pior que nenhum desses citados, e tantos outros, mas ele é diferente, pois alem de todos os recordes (quase imbativeis!)..fez gols…mais de 100(até esse momento FEV/2015).
    Rogério Ceni! Mito! Rogério Ceni…nunca haverá outro, apesar da inveja e apesar das criticas invejosas e clubisticas! Quem quiser tente…tente ser igual!

  • Marcio Mirachi

    Para refrescar a memória do blogueiro e de tantos outros, quanto a desempenho em uma partida nunca é demais rever a atuação de Rogério Ceni na partida do SPFC, contra Universidade Católica (sul-americana 2014) e quem sabe venha refrescar a memória em relação a Rodolfo Rodrigues (de quem fui grande admirador), mas que as defesas do RC, nada devem a atuação do uruguaio.
    https://www.youtube.com/watch?v=53uEacLQX_s
    Mesmo que os adversários não reconheçam, foi uma das maiores atuaçoes de um goleiro, que pude ver na minha vida (tenho 57 anos). Espetacular é a palavra que encontro e acho que fico devendo algo maior para definir!

  • Marcos

    Sou brasileiro e acima de tudo, São Paulino. Já fui um fanático pelo time, indo a estádios (da cidade e de outros estados) acompanhando o time pela principal torcida organizada e principalmente nos anos 90 saboreando diversos títulos.
    Mas após construir minha família e com o crescimento da violência, criei uma distância dos estádios e meu fanatismo diminui.
    Agora, existem pessoas que deixam o fanatismo sobrepor a razão e dizem que o Rogério Ceni é um goleiro “normal”… Normal como ??? A aposentadoria para ele, nos próximos tempos é fato, porém não enxergo no Mundo (Talvez o goleiro da Alemanha) tamanha competência em baixo do gol. Tem uma grande habilidade com os pés, com as mãos e com as palavras. Se ele jogasse no exterior e tivesse essa desenvoltura, certamente seria o melhor do mundo várias vezes !!!!
    Enfim, para as pessoas que gostam do futebol sabem do que estou falando !!!! Rogério Ceni é o melhor, e contra fatos não há argumentos !!!!!!!!!!!!!!!
    Abcs

  • MICHAEL MARINHEIRO

    após ler essa matéria , tenho apenas que admirar e me curvar mediante tamanha desenvoltura com as palavras citando um grande ícone do futebol… Me enche de orgulho ler tais palavras de São paulinos tão cultos e habilidosos com a grafia da língua portuguesa .. parabéns a todos .. linda matéria e incomparáveis comentários …

  • Trucidador de porco

    Qual foi mesmo a Copa do Mundo que o bambi Ceni jogou? Até o porco Marcos defendeu o gol como titular e foi campeão do mundo. E o bambi Ceni foi titular da seleção? É um goleiro caseiro que quando encontra o Timão fica até de joelhos pedindo pra não ser vazado. Quarta feira será mais um dia que o bambi Ceni será tatuado com o CPF nas nádegas.

  • Mateus MS

    Bom dia a todos.
    Gostaria de sugerir aos São Paulinos e admiradores do bom e velho futebol que apoiassem a aposentadoria da camisa 01 do SPFC quando o Rogério Ceni decidisse por encerrar a carreira dele. Seria imortalizar aquele que dedicou a vida à um clube e honrou tal escudo com suor e lagrimas. E daqui 20, 30 anos quando uma criança quiser saber porque só o SPFC não joga com a camisa 01 ira recorrer a memória dos mais antigos e dos arquivos que não irão mentir quando revelarem um homem simples que jogou mais de mil jogos por seu time de coração, marcou mais de cem gols, ganhou mais de vinte titulos e escreveu na memoria do tempo sua historia de coragem, amor e perseverança. Certamente para os torcedores são paulinos isso será de bom grado e certamente o torcedor amante dos grandes espetáculos lembrara sempre desse monstro de carne e osso, considerado um Mito debaixo do gol.

  • Trucidador de porco, ele não foi em nenhuma copa do mundo porque sempre falou a verdade e isso sempre incomodou esses técnicos que CBF colocou lá e por ele falar o que pensa muitos desses técnico não o convocou sempre gostou de levar aqueles que sempre ficaram quietos e baixam a cabeça meu amigo ele não precisou de seleção Brasileira para mostrar seu valor porque campeão do mundo ele já foi três vezes acho que isso tudo já basta ele não tem que provar para mas ninguém o goleiro que ele é queira ou não isso causa inveja em muitos adversários que gostaria de ver ele defendendo e meta de seu clube mas porém isso coube ao meu tricolor querido deixo aqui minhas palavras foi e sempre será o melhor do mundo queira ou não os antis ídolo só um tem meu tricolor querido avante Rogério ídolo de uma nação tricolor que muito lhe adora.

MaisRecentes

Galeano e o espírito do hooliganismo na Libertadores



Continue Lendo

Dérbi de Milão no almoço para chinês ver



Continue Lendo

Santos no divã: hora de encarar a dupla identidade!



Continue Lendo