O dia em que Dalmo foi rei no time do Rei!



dalmoDalmo toca na taça do bimundial ao lado de ex-companheiros de time (FOTO: Santos Futebol Clube)

Dalmo Gaspar, morto nesta segunda em decorrência de complicações do mal de alzheimer aos 82 anos, foi desses coadjuvantes protagonistas do futebol. Fez parte da escalação mais famosa da história nacional e, mesmo em meio a tantas feras como Zito, Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé, Pepe, Almir Pernambuquinho e Mauro Ramos de Oliveira teve seu momento de brilho individual. Teve seu dia de rei! Foi dele o solitário gol que deu ao Peixe o bicampeonato mundial, no dia 16 de novembro de 1963, no Maracanã.  De pênalti, estufou a rede italiana na partida-desempate (cada equipe havia vencido um jogo por 4 a 2, sendo a segunda, também no Mario Filho, de antológica virada alvinegra).

Naquela oportunidade, o Milan contava com jogadores importantes, como o brasileiro Amarildo, o Possesso, que substituiu Pelé na Copa de 62. Pelé que, lesionado, não esteve em campo no dia em que Dalmo foi rei. Cesare Maldini, pai do mítico Paolo, e Trapatonni, que seriam treinadores da Squadra Azzurra, também estavam em campo na ocasião em que Dalmo foi rei. E havia ainda Gianni Rivera, figura relevante no título da Itália no Campeonato Europeu cinco anos depois, no dia em que Dalmo foi rei. E tinha o  ítalo-brasileiro João José Altafini, o Mazzola, campeão do mundo pelo Brasil em 58 e que defendeu a Itália em 62, no dia em Dalmo foi rei.  No banco santista estava Luis Alonso Perez, o Lula, multicampeão no comando do Peixe, no dia em que Dalmo foi rei…

No dia em que Dalmo foi rei o pênalti foi batido na mesma trave em que Pelé, o Rei de fato, faria seu milésimo gol, seis anos depois.

A família de Dalmo tentava vender a medalha do bicampeonato para custear o seu tratamento, como mostrou um furo do repórter Rafael Valente, na Folha de S.Paulo. Foi debalde! Uma síntese do destino de muitos jogadores dos tempos românticos do nosso futebol. O ex-goleiro Barbosa, por exemplo, para quem não se lembra, foi satanizado pelo Marazanazo, encerrou seus dias em petição de miséria em Praia Grande, na Baixada santista.

Nos registros históricos, Dalmo aparece com míseros quatro gols. Um deles, porém, de mísero não teve nada. Graças e ele, o Santos é bicampeão. Os heróis improváveis formam uma das facetas mais atraentes do futebol. Dalmo foi um deles. Teve seu dia de rei.

Eis a ficha do dia do reinado de Dalmo:

16/11/1963
Santos 1 x 0 Milan-ITA

Gol: Dalmo, de pênalti, aos 34min do primeiro tempo.

Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.

Público: 120.421 pagantes (129.252 presentes)

Árbitro: Juan Brozzi (Argentina)

Expulsos: Maldini e Ismael

Santos: Gilmar; Ismael, Mauro, Haroldo e Dalmo; Lima e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Almir e Pepe. Técnico: Lula
Milan: Balzarini (Barluzzi); Davi, Maldini e Trebi; Trapattoni e Pelagalli; Mora, Lodetti, Fortunato, Mazzola e Amarildo. Técnico: Luis Carniglia
FONTE: site Novo Maraca (http://www.lancenet.com.br/novomaraca/)



  • sidnei

    Obrigado Dalmo, VC tem uma historia com o santos que nada e ng vai conseguir apagar descanse em paz. Com tudo isso q VC disse Neto tem jogador ganha do 600 mil e falando que esta pobre, uma puada. Abracos

  • Tubarâo

    Dalmo, é mais uma estrela a brilhar no céu….. Q seja bem recebido…..

  • OBRIGADO DALMO A TORCIDA DO SANTASTICO MAIOR CLUBE DO SECULO XX DAS AMERICA ELEITO PELA FIFA SEMPRE AGRADESERA VOCE DOMINGO A TORCIDA ESTAVA COM UMA BANDEIRA COM SEU ROSTO QUE FICARA NOSSA MEMORIA PARA SEMPRE .

  • Roberto Zacharias

    Que Deus receba nosso ídolo.

  • jorji

    Dalmo, tu és um dos culpados por eu ter me tornado santista, e pelo que tu fizeste só tenho a agradecer, muitíssimo obrigado!

  • Na noite de glória de Dalmo Gaspar o centro avante do Milan não era Sandro Mazzola e sim o nosso Mazzola o Altafini

  • Joaquim Andrade

    Que sua alma encontre novas conquistas e alegrias, assim como foi nessa vida, foi um gde atleta e pessoa, não cheguei a ve-lo jogar mas vi muitos videos Types dele qdo era criança, verdadeiro jogador, vamos sentir falta.

  • Tem total razão, Antonio Carlos Paes. Sandro Mazzola jamais jogou no Milan, pelo contrário, defendeu a rival Internazionale. Um erro imperdoável e já corrigido.

  • O lateral esquerdo Dalmo Gaspar, jogador de grande capacidade. Muito ajudou o Santos a ganhar, em todo jogo mantinha a regularidade.

    O terceiro jogo da decisão final. Foi violento, pegajoso, nada calmo. Santos um a zero, na bola e no pau. O pênalti foi convertido por Dalmo.

    No lance da penalidade, Maldini atingiu a cabeça de Almir. Um lance covarde de pura maldade, Mas que a partida iria decidir.

    O jogo várias vezes interrompido. Pela violência do italiano Maldini. Não aceitavam a derrota, serem vencidos os brasileiros Amarildo e Altafini.

    Após a expulsão de Maldini, pelo pênalti, num ato violento. Dalmo bateu sem chances pra Balzarini. Marcando do jogo o único tento.

    Estes versos estão na obra SANTOS FC UMA HISTÓRIA ESCRITA EM VERSOS publicada nos blogs acervo Santista e DNASANTASTICO e homenageiam o grande e eterno DALMO GASPAR

  • Quem foi Dalmo, não talvez as viúvas do pele saibam

  • Dani

    Meninos, eu vi……….

  • José orlando bento

    saudoso e eterno Dalmo, onde estiver nossa gratidão imorredoura e a lembrança saudosa de um passado lindo. o dia que VC fez aquele gol inesquecível eu tinha apenas 17anos e abraçado au meu tio choramos como crianças de tanta emoção e alegria. esse dia nem a morte pode apagá-lo de minha memória.
    querido Dalmo , você e todos companheiros daquela noite gloriosa de 1963 são eternos, Dalmo: forever, forever!….!….!….

  • DEENER SANTISTA

    OBRIGADO DALMO PELO SEU FUTEBOL E TER DADO A SEGUNDA ESTRELA DE MUNDIAL NA CAMISA DO GLORIOSO ALVI NEGRO VAI COM DEUS CAMPEAO

MaisRecentes

Quanto valem Messis e da Vincis?



Continue Lendo

No bipolar Brasileirão, o futebol é obra inconclusa



Continue Lendo

Guttman, uma bela e vitoriosa trajetória



Continue Lendo