Rivaldo, um retirante, um artista, um craque!



rivaldo
FOTO: Arquivo LANCE!
Rivaldo, que se aposentou no último sábado, foi um dos maiores jogadores brasileiros dos últimos 30 anos, certamente. Quiçá devêssemos colocá-lo na lista de todos os tempos. Não me assustaria com sua presença nessa seleção máxima,  mesmo com a constelação de meias e atacantes formidáveis que o Brasil produziu desde que Charles Miller resolveu apresentar a bola e um punhado de regras numa redescoberta do país.
Nas Copas de 98 e 2002 foi um monstro. Seu chute rasteiro, como víbora atiçada, de fora da área, no canto, era uma marca, seu veneno letal. Logo me vem à cabeça jogo contra a Dinamarca, nas quartas do Mundial francês, quando autografou: Eu decido! E pelo Barcelona também fez coisas incríveis. Talvez ainda não tenha sido dimensionado, colocado no panteão, por sua personalidade retraída, ensimesmada, sem pirotecnias. E dos fenômenos do futebol brasileiro é dos poucos que nasceu no nordeste, fora do eixo sul-sudeste. Rivaldo diz muito sobre o Brasil e suas diferenças.
Nos últimos anos lutou a mais dolorosa luta dos grandes jogadores. Esticou a carreira até o limite, não conseguia desapegar, sentia que tinha lenha pra queimar. Ou melhor, a sua memória do auge, os aplausos e incensos, eram  ludibriadores. Eles insistiam: Fica mais um pouquinho! Esses anos arrastados colocaram na distância do tempo o craque que foi e que, agora, deve receber os devidos tributos.
Dificilmente veremos mais esse retirante da bola, que, como o real migrante brasileiro, deixou o profundo do Brasil para  tentar a sorte na cidade grande, sem propagandas. Não cabia no modelo dos superstars. Mas a ele prestariam homenagens Luiz Gonzaga e todos os deuses da bola!


  • ronaldo

    O nobre jornalista na ânsia de escrever um texto com certa veia literária ou coisa do tipo cai na armadilha de dizer sobre algo que não sabe ou mesmo em reafirmar jargões da mais fina ignorãncia que sempre assolou este país, O sujeito saiu de Recife, mais especificamente de Paulista, na região metropolitana da capital pernambucana, uma cidade rica cercada de pobreza ou seria uma cidade pobre cheia de riqueza, não importa, chamar isso de grotão, como se ele viesse do meio do nada fugindo da seca, é de uma falta de cultura geral que envergonharia até um estagiário de jornalismo, me lembra o governador de São Paulo, Geraldo alckmin em entrevista para um jornal do nordeste dizendo que o nordeste não era só o litoral, tinha também o sertão, não me admira que tenha perdido a eleição para presidente. Vejamos, Rivaldo teve infancia pobre como a imensa maioria dos craques brasileiros, craques estes que nasceram no rio, em São Paulo ou em outros estados, onde há também cidades grandes e ricas cercadas de pobreza, ou mesmo cidades pobres cheias de riqueza, como quiser.

  • Beto

    Jogador Incontestavel..Homem de carater! Aventurou-se nos Gramados Mundiais e Ganhou! desfilou uma Imensa habilidade..Geniosidade que Poucos tiveram! Jogador timido mas que “falava” em campo.
    Um Eximio atleta.
    Um Jogador pra se lembrar e sempre.

    Pena q o tempo vem para todos.

    Pena que nao se aposentou no Maior campeao do seculo.

  • marcelo

    Sem dúvidas, foi um dos “fora de série” do futebol brasileiro, assim como Rivelino, Zico, Ronaldo, Didi, e mais uns dez, não mais que isto. Mas não ficará para a história no lugar que lhe é devido. Não sei porque. Será porque é um retirante? É uma questão a se pensar.

  • É difícil expor uma idéia com a clareza e a sofisticação com que este renomado colunista fala desse Monstro sagrado do futebol brasileiro, mas, de fato, não há como deixar de comentar o brilhantismo das palavras expostas e o significado do texto. Meu caro Neto, não há muitos colunista com tanta sabedoria para expor, de forma tão magnífica, e com sofisticado vocabulário, o que foi Rivaldo. Considero que o espaço que lhe é destinado para comentário (que não deveria ter limite) não é suficiente para citar Sócrates; Platão; Max; Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho; Alberto Hoffman (químico); Tim Bernes-Lee (computação), George Soros (empresário), Matt Groening (animador e desenhista); Nelson Mandela (político e diplomata) e e Grigory Perelman (matemático). Diríamos apenas que esse Jogador espetacular e exemplo de pessoa, (que consolidou sua carreira num dos maiores clubes do mundo (o Palmeiras) não será jamais alcançado por ninguém.

  • Obrigado rivaldo por tudo que vc feis pelo futebol brasileiros e onde vc jogo e pelos titulos que vc ganho pelo palmeiras que so palmeresens obrigado por tudo.

  • MONSTRO DE POUCAS PALAVRAS, CRAQUE DE GRANDE PODERIO, GÊNIO DE GRANDE HUMILDADE, COADJUVANTE SEM A INTENÇÃO DE SER PROTAGONISTA, PROTAGONISTA COM A INTENÇÃO DE SER COADJUVANTE, REI SEM QUERER A MAJESTADE, PRINCIPE SEM QUERER O TRONO, SIMPLESMENTE RIVALDO, UM BRASILEIRO, UM TRABALHADOR QUE COM SUA CARACTERISTICA PECULIAR DE NÃO SE DESLUMBRAR, GANHOU O MUNDO!

  • Lastimável que não tenha encerrado a carreira no Verdão…triste mesmo!!! Uma lacuna de tempo tão grande sem um centro avante digno de jogar no Palmeiras…podiam ter trazido ele, e ele o queria!!!
    Mas passou, ficou pra trás, e isso sabemos que não iremos ver jamais…é como se tivesse morrido alguém. Ao Rivaldo, um muito obrigado, não só pelo penta, não só pelas humilhações sobre nosso small rival…mas pela garra e pela vontade quando vestia nosso Manto Sagrado!!!
    Valeu Rivaldo!!!

  • Luiz tavares

    É com absoluta certeza que rivaldo foi um gênio singular, e que palavras as vezes não consegue ilustrar detalhes de um gênio em ação. Viva os videos, pois podemos degustar e deliciar_mos com lances incriveis e inatingiveis por jogadores normais obrigado rivaldo.

MaisRecentes

Dérbi de Milão no almoço para chinês ver



Continue Lendo

Santos no divã: hora de encarar a dupla identidade!



Continue Lendo

Gol, o grande momento da festa proibida



Continue Lendo