Tá legal!(?) O que fica de lição do imbróglio da Lusa



Tá legal, eu aceito o argumento. Fincaram bandeira na letra fria da lei, tiraram quatro pontos da Portuguesa e levaram ao rebaixamento do clube. Com isso, o Fluminense se livrou.

Tá legal, eu sei que ainda há recurso, que o pleno do STJD pode ter outra visão, mas não acredito. O solapante placar de 5 a 0 me faz descrer que possa haver reversão na segunda instância. Não houve virada de mesa, mas o campeonato foi decidido no tapetão, no tribunal, não no campo. Isso por si só é triste, dá um gosto acre na boca, gera lamentos.

Tá legal, foi desproporcional ao ato, não houve má fé, a partida não valia necas para a Portuguesa, o atleta atuou por 15 minutos, não é um cracaço, etc… Mas está no código.

Tá legal, ainda assim prevaleceu a tecnicidade, a visão restrita do que está escrito, não se ampliou a análise para o bom senso, porém não podemos falar em sacanagem ou coisas do gênero.

Então se tá legal, que se pense no além, no a partir de agora. Se como escreveu Drummond, de tudo fica um pouco, muito fica disso. Uma enorme lição. Porque tá legal, mas é irreal, desvinculado de intenções e fatos.

Então pra realmente ser legal, que tal:

– Rever o tamanho da punição para quem escala jogador de forma irregular? Perde os pontos eventualmente ganhos na partida em que isso ocorreu? Afinal, beneficiou-se naquela partida. Os três pontos extras parecem draconianos.

– Rever o método como a informação chega ao clube atingido. Apenas um bate-papo entre advogado no local e alguém da agremiação é precário. O objetivo é que o clube erre e seja punido ou que o jogador cumpra a punição? Se prevalece a segunda hipótese, a mais lógica, que se crie um sistema de tecnologia rápida a evitar que haja brechas. Árbitros dos jogos precisam ter relação de suspensos e, assim, possam impedir que entrem em campo. Eureka! Descobrimos a pólvora. Em tempos de softwares pra tudo criar um pra isso é muito rebuscado?

Esses dois pontos parecem ser os críticos. A pena não pode ser tão drástica e, de preferência, nem deve precisar ser aplicada, já que o árbitro poderia bloquear um atleta suspenso. Aí realmente estará legal!

 



MaisRecentes

O Grêmio não enfeitiça os anseios de Tite



Continue Lendo

Alemanha x Brasil: aprendizado por linhas tortas



Continue Lendo

Messi ameaça driblar o tempo



Continue Lendo