Jogo sem torcida é punir milhares sem que se puna os brigões



Corinthians e Vasco terão que fazer quatro jogos sem a presença de seus torcedores. Assim determinou o tribunal esportivo em resposta ao vale-tudo que se viu na arquibancada durante o jogo entre os dois times, no Mané Garrincha (nome de quem, com pernas tortas, fez do jogo o lúdico, não o conflituoso), em Brasília. A ação de violentos certamente reincidentes, que amam a violência, gerará punição aos clubes. É correto? Mais ainda: é certo que a maioria dos apaixonados e pacíficos torcedores seja privada de ver jogos de seu clube porque um grupelho de vândalos faz do futebol passeio para sua exposição de “brutamontice”? Tomamos então a parte pelo todo e colocamos na conta do coletivo a ação individual?

Muitos que são favoráveis a esse tipo de punição alegam que ela forçaria clubes a pararem de passar a mão na cabeça de torcidas organizadas (apontadas como as fontes de arruaça) e financiá-las – um costume cuja existência no Brasil todo é de conhecimento geral, com farta distribuição de ingressos e outras regalias. Por esse raciocínio, os gestores do espetáculo alimentam a desordem ao facilitar a presença desses indivíduos nos jogos (não há comprovação de que apenas membros de organizadas participem desses tumultos, mas há evidências múltiplas de que em geral eles saem de seus costados).  É como se não apenas cruzassem os braços, mas os dessem a eles.

Suponhamos então que os clubes, repentinamente, sentindo na pele os estragos que esse bando provoca, resolvam mudar de atitude e corte relações com as organizadas. Diante disso, sem acesso facilitado a bilhetes, por exemplo, irão frequentar menos os estádios? O rasgo atingirá um tecido grande, que comporta gente de diversas faixas econômicas (não passa de estereótipo preguiçoso e preconceituoso achar que só pessoas de baixa renda são associadas a torcidas organizadas) e muitos não-violentos. A falta de subsídio não é garantia de que a turma da arruaça se afaste dos jogos. Por outro lado, também não é assegurado que gente comportada deixe de pagar o preço de algo que não é seu. Ah, argumentam alguns, mas no efeito cascata as próprias organizadas terão que dissipar os maus elementos, pois estarão sendo prejudicadas. Será que as coisas funcionam mesmo assim?

Dito isto, expresso minha contrariedade com esse pensamento. Há um problema macro que o tribunal esportivo, cuja alçada, obviamente, é limitada, tenta resolver no micro. Quem comete um delito (brigar é um delito) deve ser punido individualmente. Dentro do espírito liberal (não confundam com individualismo no sentido egoísta do termo) cada um é responsável e deve pagar por suas atitudes. Desde os filósofos europeus do século XVII sabemos que o estado é um pacto de convivência e quem o dinamita deve pagar individualmente. No Leviatã Thomas Hobbes fala dessa construção para buscar o freio à iniciativa ilimitada de pessoas. É assim que leio. Se a impunidade grassa é porque toda a cadeia está esgarçada. Fazer com que todos sejam prejudicados pela irracionalidade de alguns não combina e não resolve. Não sou especialista em direito e nem tenho amplo conhecimento da teia que envolve tudo isso. Porém, como, fundamentalmente, cidadão dessa (des)ordem social não vejo sentido em estragar a festa dos milhares que amam o jogo e seu clube para retaliar meia dúzia (sim, meia dúzia!) de infelizes que fazem do esporte uma praça de guerra. Se seguirmos achando assim estamos assinando nosso atestado de competência. Estamos acostumados com a cultura da impunidade no país. Mas quem mata, rouba, forma quadrilha, extorque sempre é visto como indíviduo e a ele se espera forte e pronta punição. Por que no futebol quer-se que os danos sejam então coletivos? Não está o esporte inserido na sociedade? Ou é dele um organismo à parte, como muitas vezes quer fazer crer uma entidade como a Fifa?

Claro, os clubes não deveriam ser gentis com os baderneiros. Claro, a massa não deveria repetir os cânticos violentos que algumas torcidas entoam. São coisas que incomodam e contribuem para o problema, mesmo que indiretamente. Mas o coração em disritmia está no fato de que fere-se e morre-se no futebol sem que os causadores dessas feridas e mortes sejam de fato punidos. Quando alguém matar e não for condenado determinaremos toque de recolher nas ruas porque somos incapazes de prender o assassino? Puniremos a vizinhança de conviver porque não sabemos o que fazer com o criminoso? Na minha cabeça, o mesmo aplica-se a jogos de futebol. Não me convence a ideia de que chegamos ao ápice de violência e medidas radicais, mesmo que afetem inocentes, sejam tomadas. Arrancam-se os aneis e preservam-se os dedos. E assim justificamos nossa inépcia para penalizar os reais culpados, que são os brigões.



  • Luiz Felipe Gomes

    Pelo contrário meu amigo,jogo sem torcida é dar exemplo pra milhares de que ao brigar você está prejudicando seu time e a todos os outros q gostam de futebol!

  • Aderbal Aguiar

    Um ponto de vista extremamente ético e moral, algo ignorado pelo STJD

  • NAÕ MERECIA SE PUNIDA A TORCIDA DO VASCO POIS AS GAYVIÕNAS QUERIAM CHUPA O PINTO DOS VASCAINOS NA MARRA CHUPA CRAQUE BOSTA NETA BEJOQUEIRA RIO TIETE CHEIO DE GAYVIÕEIS SE BEIJANDO CHUPA GAYVIÕNAS KKKKKKKKKK ESSA GAYVIÕNA TINHA QUE SE EXTINTA VERMES BOSTEIRO LADRAS DE SUPERMERCADO SO ROBA LINGUIÇA MISTURA PREDILETA DAS GAYVIÕNAS KKKKKKKKKKK ETERNA SERI BBBBBB 1982 E 2008 CHUPA LINGUA DE PELUDO GAYVIÕNAS KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Marcos

    Sensacional a reflexão. Belíssimo texto!

  • GIO

    É VERDADE. DIRIGENTE DE CLUBE NÃO PODE PRENDER BANDIDO. QUEM TEM QUE PREDER MARGINAL É A POLICIA. QUANTA PALHAÇADA. OS MARGINAIS FAZEM BADERNA E A JUSTIÇA PERGUNTA, PORQUE O PRESIDENTE DO CLUBE NÃO OS PRENDEU. QUANTA IGNORANCIA NESSE BRASIL VARONIL.

  • Jorge Salles

    Sr. Neto:

    Brilhante análise que desagradará os hipócritas. Parabéns.

    Jorge Salles, médico psiquiatra.

  • Anderson Moreira

    Meu caro Valdomiro,
    Embora o seu texto tenha sido extenso, li por inteiro e achei a tua visão interessante. De fato, é soltar as cachorras encima de elefantes brancos – ou melhor – inexistentes. O fato é, o futebol reflete a politica brasileira e o estado de espirito brasileiro. Somos assim mesmo, selvagens se comparado com a grande maioria. Você me diria, “mas a grande maioria está lá não para brigar”, e você estaria certo. Entretanto, estes poderiam fazer algo para o que gostam, como protestarem. Infelizmente, até mesmo políticos que gostam de futebol não fazem nada para melhorá-lo(vejo apenas o Romário, se movimento para alguma coisa, isto desde o momento que a copa veio para cá).

    Fiquei admirado como usou as palavras. Parabéns pela visão… Mas lembre-se: As mudanças partem inicialmente por nós.

  • Ola Neto, discordo do seu pensamento.
    O clube tem que ser punido, e excluir a torcida dos times é uma maneira de punir o clube no bolso. Infelizmente esses bandidos de torcidas organizadas, financiadas pelos clubes só deixarão de existir se os clubes tomarem alguma atitude drástica e radical. Achei a punição exemplar, sou corinthiano e apoio a decisão do Tribunal. Abraços e parabéns pelo trabalho.

  • Concordo com você. O STJD acredita que punindo a visinhança o bandido irá se intimidar.
    É muito facil resolver isto, coloquem estes camaradas na cadeia pois todos foram identificados.Não dianta nada ficar acreditando que punir toda a torcida resolverá alguma coisa, os clubes estão de mãos atadas pois como punir as uniformizadas não deixando elas entrarem nos estadios?
    Isto é para as autoridades(policia, ministerio publico, etc) fazer e não clube. O que tem de diferente a briga na porta do estadio e dentro? É tudo a mesma coisa só STJD não vê. Outra coisa; Punir com 4 mandos de jogos sendo 2 com portões fechados e 2 com portões aberto com venda somente para visitantes é de uma brincadeira sem limites. Quem garante que aqueles que comprerem os ingressos são da torcida adversária? Olha para ser juiz do STJD deveriam tambem ser pessoas que estão no futebol e não estes de terninhos que não sabe nem tamanho do “Ó” que a cueca esconde.

  • PORCO

    É isso ae galera, e os inocentes do Curinthians, presos injustamentes em Coruru, estavam na Briga de novo. E por que será que a midia GLOBOSTA não fala nada disso na TV… turminha filha da p….. essa GLOBOSTA é uma merda… e a CBF as outras entidades, tudo comprada por eles…

  • PORCO

    É isso ae galera, e os inocentes do Curinthians, presos injustamentes em Coruru, estavam na Briga de novo. E por que será que a midia GLOBOSTA não fala nada disso na TV… turminha filha da p….. essa GLOBOSTA é uma merda… e a CBF as outras entidades, tudo comprada por eles… seus merda

  • Angel Gonzalez

    Valdomiro Neto, Quero parabeniza-lo pelo seu “post”, o mais inteligente que li sobre esse assunto.
    Não sou a favor da violência, muito menos a favor de bandidos, mas punir “uma torcida (milhões de pessoas) por atitude de alguns torcedores” é querer cobrir o sol com a peneira, é querer aparecer, se promover.
    Na minha opinião se de fato tiverem a vontade coibir a violência nos estádios, levando em conta todas as desculpas dadas por federações, clubes, polícia e outros, afirmando que não tem como identificar , que as leis para esses eventos são brandas, que não conseguem aplicar as penas (tem torcedor que está banido, mas nem ele sabe ainda, o que dirá o profissional que acompanha a entrada nos estádios) então que se respeite o mando do clube, ou seja, mando do clube, ou seja no jogo do clube “A” somente teremos a torcida do clube “A” a torcida do clube “B” se fará presente somente quando o mando for do seu clube.
    Muitos clubes de menor expressão não vão gostar pois seus estádios teriam somente sua torcida, mas mesmo assim esses torcedores que comparecerem poderão levar seus filhos, netos, mulheres enfim sua família criando um ambiente melhor e sem violência.

  • fernando

    acho que os Jornalistas deveriam parar de acusar o Corinthians de financiar a Gaviões, todo mundo sabe na vida real, que a Gaviões se auto financia, alias tem mais dinheiro que muito time por ai… portanto antes de fazer uma acusação dessa tenha ao menos alguma prova substancia, e não o famoso “achometro” tão comum ao jornalismo esportivo brasileiro.

  • Donizeti – SP

    Valdomiro, é muito raro ver um texto coerente e inteligente no meio do futebol.

    Parabéns cara, voce teve a coragem de colocar o dedo na ferida da hipocrisia desses tribunais esportivos de araque, que não tem o mínimo discernimento em sua penas absurdas.

    Punir milhares por atos de 6 gatos pingados não vai resolver nada, nunca.

    Em direito penal tem o preceito que a pena não pode passar do autor do delito, no caso os torcedores vandalos.

    O que o tribunal está fazendo é punir toda uma coletividade e a instituição Vasco e Corinthians por atos individuais, que não tiveram nenhum tipo de incentivo por parte dos clubes para fazer essas idiotices.

    Curioso é que se o fato envolve o Timão a pena é sempre pesada, exemplar, coisa tipo assim para aparecer em cima de quem dá ibopel.

  • Jorge

    Caro Neto,

    Não sei se irá ler todos os comentários, mas gostaria de deixar meu pensamento sobre o que disse:

    Sou já um 50ão e frequentei durante muitos anos os estádios de futebol. Éramos um grupo grande de amigos que sempre iam aos jogos de nosso time. Os estádios viviam lotados. Era uma grande festa participar do jogo, do antes e do depois, de poder provocar um torcedor rival, etc…

    Deixei de ir ( e recomendei e recomendo a vários amigos que não o façam ) pois estádio de futebol hoje é quase que sinônimo de arena ( não a denominação dos novos estádios ) mas arena no sentido de ser um lugar onde se mata e se morre.

    Hoje as torcidas organizadas estão maiores do que o próprio time para a qual deviam torcer.

    Não existe escola de samba do São Paulo, do Corinthians ou do Palmeiras. Existem até cânticos para diferenciar esta ou aquela torcida de um mesmo time!

    Entrar para uma torcida organizada é sinônimo de ser “macho” e você tem consciência que desde os primórdios da humanidade, o ser humano sempre busca um meio de se aproximar de um grupo ( torcida organizada ) e lá permanecer!

    Sou radicalmente contra as torcidas organizadas. Jamais um diretor de time me ofereceu um lanche, uma viagem ou uma entrada para assistir ao meu clube do coração.

    Certa vez, encontrei um membro de uma torcida de meu time ( era diretor ) e, brincando, perguntei a ele a escalação de 3 gerações de nosso time ( eu sabia todas ). Ele não conseguiu falar UMA sequer!

    Em tese, sou, então, mais torcedor do que ele, não??

    E por que ele tem regalias e eu não?

    Sem querer me equiparar aos demais, mas já o fazendo, acredito que eu gastaria muito mais pelo meu time do que, pelo menos, uns 5 ou 6 “torcedores organizados”!

    E não é isso o que todo time sonha? Ter uma classe de consumidores que foram afastados por conta de vândalos que tomaram conta de meu time literalmente!!

  • SOCRATES CACHAÇA

    ISSO É PURA SACANAGEM QUE FIZARAM COM O VASCO DA GAMA, QUE NÃO TEVE CULPA NENHUMA, QUEM COMEÇOU A BADERNA FORAM OS ASSASSINOS DE ORURO, ESSES BANDIDOS QUE SE INTITULAM TORCEDORES QUE TEM POR TRAZ UMA DIRETORIA DE MAFIOSOS E ADVOGADOS DE PORTA DE CADEIA PARA DEFENDELOS, ESSES VERMES TEM QUE SER ALIJADOS DO FUTEBOL, PARA QUE AS FAMÍLIAS VOLTEM A FREQUENTAR OS ESTÁDIOS DE FUTEBOL.

    FORA ASSASSINOS DE ORURO.

  • alexandre

    Belo texto!
    Concordo com suas reflexões.
    Acrescento que, na minha modesta opinião, é necessária a criação de legislação estabelecendo que aqueles identificados protagonizando qualquer tipo de delito dentro dos estádios estarão impedidos de frequenta-los por determinado tempo e, em eventuais reincidências serão triplicadas as penas. Digo legislação porque frenquento estádios e vejo, em todos os Estados que já fui, omissão dos organizadores e da polícia na vigilância aos objetos proibidos (principalmente de torcidas organizadas). Nesse cenário, não vislumbro interesse dos clubes em prejudicar esses baderneiros, o que implica em improvável regulamentação autônoma.
    Acrescento que referida legislação deveria impor aos clubes mandantes a identificação dos brigões, baderneiros, ou quem quer que cometesse algum tipo de delito no interior de sua “casa de espetáculo”, repassando as imagens e demais provas às autoridades públicas, para que estas tomem as medidas CRIMINAIS necessárias. Caberia também aos mandantes a identificação dos frequentadores dos espetáculos, para que ninguém que esteja proibido tenha acesso ao estádio.
    E, no caso de descumprimento da medida aplicada (permitir a entrada de alguém proibido de frenquentar os estádios), aí sim entendo que deveria ser aplicada penalidade ao clube mandante (penalidade severa, por ex: 10 jogos com portões fechados).
    E não se alegue que seria onerar demais o clube mandante, pois hoje existem diversos sistemas de vigilância e identificação possíveis de serem utilizados, todos a preços acessíveis.

    O que gera a violência é a impunidade.

  • Bruno MD

    As torcidas organizadas de todos os times deveriam ser banidas dos estadios. Esses idiotas deveriam ficar presos. So assim vai resolver o problema.

  • Luís Fernando, o clube não pode ser punido, se for assim, torcedores de outros times podem “vestir” a camisa de outro clube para brigar e penalizar… Tem que ser feito como foi na Inglaterra: Identificar os agressores e ele se apresentarem com até 2 horas de antecedência a uma delegacia de policia, e ficarem lá até 02 horas depois do jogo, só assim estes bandidos vão aprender!!

  • Conde

    Pow, vcs não sabem o q querem…reclamam quando não há punição…reclamam quando há punição…a verdade é q os clubes devem ser responsabilizados sim, ficam subsidiando esse grupos de marginais chamadas torcidas organizadas…a maioria desses marginais ou quase todos não são sócios torcedores, não contribuem em nada com o os clubes, não dão receita…não dão o dito papel numerado para os clubes q estão a cada dia mais endividados…em nome dos sócios torcedores, estes sim valentes, trazendo receita para os seus clubes de coração, tem de ter punição e punição rigorosa e identificar e punir os brigões – cadeia neles…a sociedade americana também é cheia de mazelas tanto ou mais q a brasileira, mas não se vê brigões nos estádios da NFL…sabe por que? Por que lá o futebol americano é visto como negócio, tem de dar lucro, tem de dar receita, senão fecha tudo…e como vai ter lucro se os brigões fazem o q querem… lá camarada Valdomiro, o negócio é lucro, custe o q custar…parem vcs com esse mimimi de mazelas da sociedade, os clubes precisam de dinheiro e se preciso for vão ter q sangrar a própria carne para que cheguemos a ter um futebol mais profissional…abaixo a violência, e salve o torcedor comum q apoia o seu clube e salve o sócio-torcedor q torce e patrocina sua paixão…

  • Matheus Braga

    Mas o atestado de incompetência já foi dado há tempos, Valdomiro. Desde que a INTELIGENTE Polícia Militar junto com o GLORIOSO Batalhão de Choque (daqui de SP e dos outros estados) decidiu vetar clássicos com 50% de torcida para cada clube. Acabou-se o espetáculo nas arquibancadas, aquela disputa sadia de músicas, quem canta mais alto, quem vibra mais, quem empurra mais o seu time, quem tem os melhores bandeirões, quem tem as melhores músicas, etc.

    Isso não existe mais. O atestado foi dado ali. O restante é só consequência dessa 1ª atitude. Tentam tapar buracos com medidas imediatistas, ao invés de punir quem briga (são poucos e são sempre os mesmos, quem vive a arquibancada sabe disso), pune os clubes, pune os próprios organizados que não brigam e só querem fazer festa para o seu time e pune a torcida como um todo, tentando colocá-la contra os próprios torcedores.

    Estamos no limbo esportivo.

    Abraços.

  • loko2014

    eu sou corintiano e até não fico muito contra a punição dada aos clubes , mas o que eu quero saber é oque sera feito com os baderneiros dos dois lados , por que se for dar 90 dias fora dos estádios , como se costuma fazer , neste caso não deve punir ninguém , até acho que cadeia não é solução , porque eles vão ficar na boa comendo as nossas custas , condena esses caras a comparecer na delegacia mais próxima das suas casas durante uns 3 ou 4 anos em dias de jogos ,responsabiliza a torcida organizada a que eles pertencem , no caso de eles aparecerem em algum jogo do seu time , contrariando a ordem judicial e neste caso se forem pegos vão puxar uns 5 anos de cadeia e quero ver estender essa punição a outros clubes

  • Abner

    É mais uma prova da incompetência das autoridades . Punem para mídia . Não conseguem cura para a doença então matam o paciente . A violência nos estádios é a mesma que é mal combatida no nosso cotidiano ,fruto da passividade e da impunidade .

  • Engraçado. Não vi no ano passado nem no começo deste ano um texto seu ou de outro “comentarista” defendendo o Palmeiras das punições que sofreu por culpa de sua torcida…. e olha que não sou palmeirense… acho que a imprensa puxa muito o saco quando o assunto é corinthians… se fosse outro time todos estariam aplaudindo o “exemplo” dado pelo STJD.

  • Danilo

    Boa tarde Valdomiro.

    Fico feliz em verificar que parte da imprensa esportiva começa a analisar a questão de forma isenta, sem oportunismos e soluções fáceis para contentar uma maioria sedenta de sangue alheio.

    Afinal de contas, a imprensa desempenha papel fundamental na formação de opinião da sociedade e, dentro deste contexto, a responsabilidade é grande.

    Ouvi na rádio Bandeirantes hoje comentários na mesma linha. Finalmente…

    Já que se começou a por o dedo na ferida, porque não se investigar a fundo o papel das organizadas no futebol???

    Eu, que jamais pertenci a qualquer torcida uniformizada para deixar bem claro, não entendo parte dos cronistas esportivos:

    Quando a torcida organizada elabora cânticos de apoio ao time ou vai aos confins para acompanhar este time, a torcida é apaixonada, vibrante e tudo mais…

    Quando ocorrem eventos como o de Brasília, as organizadas são o câncer do futebol, devem ser extintas!!!!

    Afinal, qual é o VERDADEIRO PAPEL DAS ORGANIZADAS ENQUANTO INSTITUIÇÕES???

    Será que elas são realmente financiadas pelos clubes como todo mundo afirma sem apresentar qualquer prova???? Se são (e acredito que seja possível) qual é o verdadeiro crime nisso??? Será que alguém já parou para pensar que em tese, desde que permitido pelos estatutos do clube, nada impede que este subvencione outras instituições???

    Outra questão!!! Quando ocorrem estas brigas, estas são protagonizadas pelas organizadas ou por membros deste organizada sem a concordância ou aprovação da instituição???

    Finalmente, se determinarmos a extinção das organizadas será que realmente a violência acabará no futebol???? Os membros das organizadas simplesmente deixarão de delinquir simplesmente porque a Gaviões ou a Mancha Verde (ou mancha alviverde, sei lá) deixou de existir formalmente????

    Por fim, a questão de segurança nos estádios é de responsabilidade de quem organiza o futebol ou é uma questão de segurança pública, à cargo das autoridades policiais e judiciárias???

    Eu não tenho opinião sobre muitos destes questionamentos, mas acho que chegou o momento de se fazer um debate sério, sem oportunismos, clubismos ou ignorância como alguns dos posts deste blog.

  • fernando

    Danilo parabens pelo seu comentario….

    em relação ao papel da imprensa, pegamos o exemplo do JORNAL LANCE que vive falando mal da Gaviões e das outras organizadas, mas quando mostra fotos da torcida do Corinthians só mostra a Gaviões, e assim segue a hipocrisia.

    acusam as torcidas organizadas de serem patrocinadas pelos clubes sem provas, e sem investigação nenhuma,, o que é bem provavel que aconteça é que algumas torcidas sejam patrocinadas e outras não,, a Gaviões por exemplo tem uma arrecadação maior que muitos clubes do interior, ou seja é pouco provável que a mesma seja patrocinada com ingressos grátis etc…. coisa que a imprensa insiste em falar sem provas.

    sem falar no ministerio publico vide promotor Fernando Capez que depois que apareceu na TV defendendo o fim da organizadas em 1995 virou deputado estadual, ou seja um monte de gente querendo aparecer e tirar proveito da situação, com formulas mágicas.

    Parece que muita gente não sabe ou tem memoria curta, as organizadas foram banidas dos estadios entre 1995 e 2003 e só voltaram porque a proibição é inconstitucional, alem de não acabar com a violência,,

  • ENQUANTO TIVERMOS AUTORIDADES DE MERDA , DIRIGENTES SAFADOS , MIDIA OPORTUNISTA , E ESSE BANDO DE VERMES DE TORCIDAS QUE SE DIZEM TORCEDORES , SENDO PROTEGIDOS E TENDO LIVRE ACESSO AOS JOGOS, E VARIOS COMENTÁRIOS IDIOTAS COMO ALGUNS QUE TEM AQUI , O NOSSO FUTEBOL CONTINUARÁ SENDO A MESMA PORCARIA

  • quem mereçia uma cadeia grande era os torçedores do gambá, que por onde passam deixam um rastro de destruição e vandalismo.sem contar que também são assasinos, bandidos.essa turma de baderneiros acaba com o futebol e mancham a imagem do nosso brasil.cadeia neles.

  • strongest

    Essa medida nao eh para melhorar o ambiente nos estadios .
    Isso eh interesse comercial de quem investe no futebol (TV) para vender mais Pay-per-view !
    O Corinthians eh o clube que mais vende nos ultimos anos e somando com o Vasco aumenta o numero das vendas. Simples ! No BRASIL esse tipo de medida jah virou padrao, punir a maioria para nao pegar o infrator ( igual na politica) e ainda ganhar um bom dinheiro.

  • CERTO NÃO É. MAS QUANDO OCORRE E SEMPRE OCORRE, ESSES ABSURDOS CONTRA O PALMEIRAS, NINGIÉM FALA NADA, FICAM TODOS QUIETINHOS, COMO SE FOSSE ALGO ABSOLUTAMENTE NORMAL. AGORA, SÓ PORQUE ESTÁ ENVOLVENDO O ” DODOIZINHO ” DA IMPRENSINHA E DOS ” DONOS ” DO FUTEBOL BRASILEIRO, O “CÚ-RINTIA “, ESTÃO FAZENDO TAMANHO ALARDE? POIS ENTÃO, NESTAS CIRCUNSTÂNCIAS, O ERRADO, ESTÁ CERTÍSSIMO.

  • zinfio

    A questão é simples: prejudicar o Corinthians é a meta atual da Conmebol, ainda mais depois que o Andres abriu fogo contra o presidente da entidade. E como já briga com a CBF, o Corinthians terá dias duros pela frente. A ideia é fazer o clube perder dinheiro e miná-lo. Infelizmente, os jogadores também não estão atuando como deveriam. Estão, como todos dizem, sonolentos. É bom a diretoria abrir o olho.

  • Dalmir México martins

    Os torcedores sócios que pagam mensalidades aos clubes de futebol e que não participam de badernas e arruaças nos campos de futebol, estão sendo punidos por uma entidade, (STJD da CBF), que não tem poder nem competência para tal. Isto já e uma ilegal e imoral. Diante disto resta o seguinte: Requerer as autoridades policiais as fichas de identificação dos baderneiros(nome, RG, Cpf, endereço) e através de uma ação individual ou através de associação criada para defesa dos interesses destes torcedores, adentrar na justiça cível e exigir deles uma indenização por perdas e danos, já que pagar mensalidade e não ter o direito de assistir aos jogos de seu clube, custa muito caro. Se o clube realmente repassa dinheiro (nosso dinheiro) para as organizadas, esta seria mais uma maneira de se acabar com estes repasses.

MaisRecentes

Quanto valem Messis e da Vincis?



Continue Lendo

No bipolar Brasileirão, o futebol é obra inconclusa



Continue Lendo

Guttman, uma bela e vitoriosa trajetória



Continue Lendo