Jejum, tabu, sadismo e maldição. Tudo junto no Majestoso!



O são-paulino está farto! O corintiano está em fartura! Com os 2 a 1 no primeiro jogo da decisão da Recopa já são dez jogos do Alvinegro sem perder para o rival no estádio que um dia apelidou de seu “salão de festas”, tantas foram as conquistas no Morumbi. Mais que isso: encaminha-se assim (claro, no Pacaembu pode dar-se a virada) a extensão de um século infeliz no Majestoso para o tricampeão mundial. Foram cinco jogos da fase dita “mata-mata”. Em todas, o morto foi o São Paulo. Mortes assim, em cadeia, deixam corações agoniados. Ainda mais somados esse tombos caseiros em cadeia.

Quando a freguesia está a todo vapor tudo dá errado. Mas há um sadismo nisso. O gol de Aloisio, em peruzaço do gigante Cassio, podia indicar: ah, hoje as coisas conspiram a favor! A impressão anterior, com o gol de Guerrero, que havia dito gostar de jogar no Morumbi, afirmava o contrário: Ah, a coisa não tá fácil. POis o golaço de Renato Augusto deixou claro que quando a fase é dura os roteiros fazem questão de realçá-la. Renato Augusto vestiu a 8 que era do volante-craque Paulinho. O primeiro jogo oficialmente sem ele, vendido pro Tottenham. Mas o autor do gol só entrou porque houve dupla lesão, que provocou substítuições em cascata. Danilo se lesionou e deu lugar a Douglas. Douglas também saiu abatido e entrou… Renato Augusto.

Bate na madeira, Tricolor! Faz figas, compra ervas aromáticas e bate bumbo. Mas faça tudo isso perto do dia 17, quando dar-se-á a revanche que vale taça. Sabe-se lá se deuses do futebol tomam partido. Menos ainda se as superstições resultam em fatos concretos. Porém, diante dos últimos acontecimentos só resta benzer-se. Ainda mais sabendo que a finalíssima será no Pacaembu, com torcida contra, em palco que o Corinthians costuma impor-se. Mas uma hora, bem sabemos, as coisas podem mudar de lado. Vai rezando…



MaisRecentes

Recortes do precário futebol brasileiro



Continue Lendo

Rica em talentos, França rompe com paradigma recente



Continue Lendo

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo