Um louco casamento pode pintar na Vila



A troca de ideias entre Santos e Marcelo Bielsa se estreitou. Lá vem El Loco ao Brasil conhecer a estrutura alvinegra, como relatou o sagaz repórter Bruno Cassucci. Já não soa lunático que o argentino, com cara e estilo ensandecidos, assuma o comando do Peixe. E seria, digamos, um casamento de queijo com goiabada, o famoso Romeu e Juliete. Quem comeu sabe a simbiose gustativa. A velha filosofia santista de apostar no novo, nos pratas da casa, nas crias de suas costelas, seria tratada como loucura, não fosse o lastro histórico de bons resultados. As grandes eras santistas foram construídas com a meninada, já estamos fartos de saber. Assim como um Dom Quixote moderno, Bielsa ganhou o apelido de louco (loco, no espanhol castiço) porque não é convencional. Gosta do experimento. Acocorado na lateral do campo, sua imagem clássica, observa o futebol com olhos próprios. Cria conceitos, assiste muito, inventa, reinventa e gosta de desafios.

Após a vitória sobre o Atlético-MG, que acabou com a virgindade santista no Brasileirão, o interino Claudinei sapecou algo interessante: “Bielsa irá se encantar quando conhecer a estrutura do Santos!”. Pois se Marcelo, idolatrado por torcedores tão distintos quantos os “leprosos” do Newell’s Old Boys, os chilenos em geral e os bascos do Athletic, vir de onde saem as joias praianas é mesmo capaz de ficar com olhos rútilos. Já sabe que é o clube de Pelé, Robinho, Neymar… O pedigree já está cantado pelas décadas. Se quer novos moinhos de vento para enfrentar, como o Cavaleiro de Triste Figura de La Mancha, nos escritos de Cervantes, tem o patio ideal. Assim como Quixote, sua lingua é de castela. Lingua que falava o zagueiro Ramos Delgado, um dos grandes defensores da história santista – também argentino.

Loucos pela base e Loco pelo desafio seria uma conjugação para dar liga. O Santos, além disso, ajudaria o futebol brasileiro a ganhar em conceitos, em arejamento, em novas ideias. Estou na torcida sincera. Teríamos ganhos, uma enorme novidade e um personagem atraente para nosso dia a dia da bola. Um maluco beleza fecundo em um clube de fecundidade no nascedouro.



MaisRecentes

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo

Em cartaz na Rússia: ‘El secreto de sus Rojos’



Continue Lendo

O enxadrista Kroos e o caráter alemão fazem Lineker se (re)converter



Continue Lendo