Ganso e Pato – chance para ‘aves raras’



Alexandre Pato e Paulo Henrique Ganso não têm em comum apenas o apelido oriundo do reino das aves. Ambos, jovens, são abençoados pelo talento e atormentados por insistentes lesões. E é nessa briga de foice entre bênção e tormento que os rivais Corinthians e São Paulo resolveram enfiar a cabeça. As cifras milionárias têm um intervalo considerável – o Tricolor desembolsou 24 milhões de reais por Ganso ao passo que a quase certa contratação de Pato pelo Alvinegro sairá por volta de 40 milões –, porém simbolizam crença semelhante. Representam a fé no craque. A asposta de que a esperança na virtuose vencerá o medo do imponderável. Os sinais emitidos pela musculatura de um e pelo joelho de outro não foram páreo na disputa com a qualidade já demonstrada.

De Pato para Ganso é expressão popular que sugere gradação, evolução, mas no futebol ela não se aplica. Os atletas se equivalem em expectativas, na promessa de futuro que “vendem”. O atacante, guardado a sete chaves nas categorias de base do Internacional, foi vendido ainda adolescente para o Milan como diamante. O meia paraense surgiu no Santos como uma espécie de Zidane tropical, um cérebro para os acéfalos meios de campo contemporâneos. Os corpos têm sido crueis com os rapazes, mas é muito cedo para se falar em obituário futebolístico. A dupla ainda pode alçar voos grandiosos. E é nessa direção que os clubes paulistanos atiram robustas fichas.

Essas muitas semelhanças, porém, não disfarçam uma importante diferença entre os dois. Diferença esta alimentada pelos fatos. A trajetória de Ganso tem sido tumultuada, enquanto que a de Pato, afora fofocas típicas do mundo de celebridades que vivemos, como o desquite com uma atriz global e namoro com a filha do todo-poderoso presidente do Milan, Silvio Berlusconi (a quem interessam essas miudezas?), corre tranquila. E esse aspecto é o único que recomenda mais cautela com um na comparação com o outro. Impossível ignorar como tem sido acidentada a carreira do ex-santista. Sua saída do clube que o revelou deu-se da pior forma possível, com um festival de disse-que-disses e posturas discutíveis. Como confiar que terá serenidade no São Paulo e não irá, daqui um tempo, começar a forçar sua saída para o exterior? Não se trata de condenar o jogador como um Prometeu acorrentado eternamente numa rocha a ter o figado devorado por uma águia (leitor ornitólogo, ajude-me: águias comem gansos?). Mas o ônus de provar que o acontecido na Vila Belmiro foi incidental será dele, não dos críticos.

A temporada 2013 será uma espécie de batismo de fogo para os garotos. Envergando as camisas de dois importantes clubes brasileiros, estarão sob os olhos da nação no ano que antecede a Copa do Mundo em solo pátrio. Desempenhos convincentes aliados à alforria das lesões poderão reintegrá-los à Seleção Brasileira e diluir as desconfianças. Que esse caminho se pavimente para os dois. Assim, ganharão Corinthians, São Paulo e, especialmente, Felipão, novo velho técnico do Brasil, que terá gama de opções para montar seu time.

Trio de ferro
Com Ganso, Neymar e Pato no Brasil o futebol local tem muito a ganhar. Vivemos carentes de atrações para nossos torcedores, que veem os talentos migrarem rapidamente para o exterior. Cofres mais cheios e fatores menos nobres, como as tais lesões, ajudam a explicar o fenômeno. Se ele terá solidez, o futuro dirá. Desfrutemos!

Novo x velho
Felipão inicia sua segunda passagem pela Seleção Brasileira pressionado pela proximidade do Mundial no país e a fazer algo que não é muito sua praia: trabalhar com uma equipe renovada. Esse será o enigma a ser desvendado em 2013. Conseguirá o treinador reciclar seus conceitos além da ideia-clichê de “fechar o grupo”? Caso Pato e Ganso revigorem-se e juntem-se a um punhado de novas e talentosas figuras como Lucas, Neymar e Oscar, saberá o treinador gaúcho dar uma feição vitoriosa e agradável para o time? São perguntas com um quê de ceticismo. Inicialmente soa delírio acreditar em tal alquimia. Mas como o futebol vive se reinventando, não custa pagar para ver.



  • yan weslley

    KKK q foda inimigos nos clubes e juntos na seleção, sera q a rivalidade vai pesar na hora de jogar com a camisa do Brasil, ou eles vão deixar a rivalidade de lado(q nem acontece na Espanha, entre Barça e Real)??

  • Cesar Magalhães

    São 3 grandes jogadores, mas o tempo dirá as condições de Pato e Ganso. Neymar só quando jogar na Europa poderá dizer se é um Messi ou um Robinho.

  • carlos fuska

    Enquanto isso no Palestra o jogador MARRECO do Treze da Paraíba revelação das categorias de base é contratado.

  • Natan

    “Não custa PAGAR”????
    Que antítese é essa?

  • Rodrigo Lopes

    “Inimigos nos clubes” ???

    Quando deixou de ser futebol, um esporte para se tornar uma batalha, uma guerra?
    Desculpe Yan Weslley, mas seu comentário é um tanto quanto fora de contexto.

    Uma nação, uma seleção é maior que um clube, um time.

    Embora seja grosseira a administração no futebol e em todas as demais áreas do Brasil, ainda sim, é o nome Brasil que esta sendo representado, e para isso conta-se com brasileiros e não simplesmente são paulinos ou corintianos.

  • Eu não sei c o corinthias vai c o melhor em 2013, mas saiba q ele ja deu muita alegria em 2012 ,eu amo o corinthians

  • Iuri

    Inimigos? O tema é futebol, não guerra!
    São adversários, colegas de profissão e em muitos casos, amigos!
    Que ideia!

  • denilson (vai timão)

    epa! epa! epa!!! erraram na matéria, em vez de anunciar ganço e pato, esqueceram de anunciar cisnei dos panetones e pato do todo poderoso…kkkkkkkkk

  • Rodrigo T. Matos

    NÃO HÁ O QUE COMPARAR, O GANSO JOGA MUITO MAIS QUE O PATO!!!

  • migdiole

    eles se machucão muito porque carrega o estigma das aves, tem ossos leves e frágeis; é cabalístico.

  • SANDRO

    Medesculpe Rodrigo mas vc ta enganado pois o corinthians é sim muito maior que a seleção brasileira é que vc deve torcer paraalgum time pequeno enao sabe disso.

  • SANDRO

    Acho que o palmeiras nao poderia contratar jogar melhor que esse tal de Marreco, tem tudo haver com o time viu rsrsr

  • Concordo com quase tudo que vc falou Rodrigo,só que tem algo que eu não sinto a muito tempo
    quando vejo os jogos da seleção ,não tem aquela emoção que tinha em 1994 a 2002, por causa disso torço mais por meu time que me deixa louco de emoçao do que a seleção de meu pais ,que quando joga pelo amor de Deus hein.
    m
    Minha nação no futebol sem duvidas mano é CORINTHIANS!

  • PEDRO

    COM O PATO NA ÁREA, NÃO TEM VEZ PARA A BICHA DO GANSO!!!

  • jair

    pato..sinto muito mas não da ou ninguém ñ lembra mais da ultima olimpiadas??

  • SILVIO BEZERRA

    O PATO JÁ FOI UM EXCELENTE JOGADOR, HOJÉ CONTRATADO PELA PLEBE COM CERTEZA VAI VIRAR MARRECO, O GANSO QUE JÁ FOI UM MENINO DA VILA, HOJE É UMA MENINA DO MURUMBI E VIROU UMA CISNE PO ISSO MESMO;; COM CERTEZA VÃO JOGAR MAIS NO DP MÉDICO QUE TRISTEZA….

  • SILVIO BEZERRA

    GOSTARIA QUE OS BAMBIS, OS GAMBÁS E OS PORCOS, TRIO DE FERRO INFERRUJADO JOGUEM UM POQUINHO MAIS NO PAULISTÃO PORQUE SER TETRA VAIS SER RIDÍCULO…

  • mario yukio satoi

    Vai Brasil…..Ganso, Pato, Neymar, Lucas, Paulinho, Arouca, Robinho, David Luis, Thiago Silva, Diego Cavalieri, Marcelo, Daniel Alves, Ramires, Luis Fabiano, Leandro Damião, Fred……etc isso é Brasil….VAMOS GANHAR ESSA COPA EM 2014 PORRA

  • mario yukio satoi

    Vai Brasil…..Ganso, Pato, Neymar, Lucas, Paulinho, Arouca, Robinho, David Luis, Thiago Silva, Diego Cavalieri, Marcelo, Daniel Alves, Ramires, Luis Fabiano, Leandro Damião, Fred……etc isso é Brasil….VAMOS GANHAR ESSA COPA EM 2014

  • Ale

    Bom não é só na Espanha que jogadores se unem pela Seleção e sim quase todas elas são assim, na seleção a coisa muda de figura a rivalidade fica de fora, até pq os jogadores sabem que precisam estar ao lado dos melhores para serem grandes na seleção.
    O Brasil já teve muitos craques, excepcionais jogadores nos clubes, mas que nunca vingaram na seleção e caíram no esquecimento da maioria do povo, o jogador sabe que para ser “histórico” ele tem que ir bem na seleça…

  • jonathan

    felipao tem grandes pecas em baixo de seus olhos !
    mas na europa tem o que falta ha selecao…

  • miltorelo

    Essa mentalidade do Yan (supracitado), vai acabando com futebol brasileiro…não somos inimigos, somos adversários…saiu das quatro linhas, todos são amigos, confraternizam-se, comunicam-se…Se nós torcedores deixassemos a adversidade, e a brincadeira sadia, somente para as quatro linhas, o futebol seria outro.

  • Rogério

    Com Pato e ganso estará formado o galinheiro desse timinho de frangos.

  • FIEL

    NAO AMIGO CORINTHIANS EH CORINTHIANS E .

  • FIEL

    A E FUTEBOL EH UMA GUERRA SIM,LEAL UM ESPETACULO MAIS NAO SIMPLESMENTE UM ESPORTE(NAO SIMPLESMENTE) EH ALGO INESPLICAVEL PAIXAO,AINDA NAO EXISTE PALAVRA INVENTADA PRA DESCREVER… PELO MENOS PARA UM LOUCO TORCEDOR DO CORINTHIANS

  • Aqui é grandeza – Vai Corinthianss

    É o Timão ficando refém da Nike. De que adianta receber 30 milhões de patrocínio se a empresa obriga o clube a pagar 40 milhões por 60% de um jogador medíocre. O Mario Gobbi deveria aproveitar e dar a cadeira dele para o presidente da Nike. Dá logo o clube inteiro para a Nike.

    Tem que ver o que está por trás dessa péssima contratação. Tinha o Wagner Love dando sopa por um valor muito menor, sendo que ele é muito mais jogador que o Pato. Se o Pato vale 70 milhões, então o Wagner Love vale 200.

    O Mario Gobbi jogou dinheiro no ralo. Volta Andrés Sanches. Prá conseguir os 40 milhões de volta terá que vender o Pato por 70 milhões, já que o jogador tem 40%. Pior negócio da história do futebol brasileiro, mesmo pq ele é um jogador básico. Nunca vi tanta burrice.

    E o Timão nem precisa dele, só valeria a pena se fosse por empréstimo. Prá compensar esse péssimo investimento ele teria que fazer uns 80 gols pro temporada.

    Pede prá sair Mário Gobbi.

MaisRecentes

Dérbi de Milão no almoço para chinês ver



Continue Lendo

Santos no divã: hora de encarar a dupla identidade!



Continue Lendo

Gol, o grande momento da festa proibida



Continue Lendo