Os amargos bárbaros dos estádios



A menina em flor chocou-se com a pedra. A pedra da ignorância, do sórdido, do abjeto sentimento de intolerância. Um punhado de marmanjos que deixaram para trás qualquer capacidade de ternura, abraçados pelo fanatismo, essa praga humana. A menina entrou em cena com o singelo ato de aceitar um presente do ídolo. Os fanáticos com a empunhadura à proa, como nos versos de Rui Guerra e Chico Buarque. A empunhadura da dificuldade de lidar com o oposto, com o que, na cabeça de minhoca deles, é insulto. São incapacidade de lidar com as próprias frustrações e avessos a felicidade alheia.

No Couto Pereira, barbados bárbaros enfiaram uma lança nos sonhos de uma menina. Nada pode ser mais desolador. Nada sintetiza melhor a estupidez de alguns poucos com a força de muitos a afastar o público dos estádios. Simbólico desses tempos de arenas de guerra que vivemos. Possivelmente ela não idolatrará mais jogadores de futebol e nem irá a jogos. Na sua formação cravaram-se as unhas do rancor. O seu sonho virou pesadelo. A camisa do ídolo sinônimo de blasfêmia na religião dos fundamentalistas da bola. Como ela irá entender que a paixão dela é, para eles, um insulto? “Não ame o que não amamos perto da gente”, eles dizem sem dizer. “Leve esse amor para longe daqui!”, afirmam sem afirmar.

Como ela prosseguirá vendo jogos de futebol? Deve ainda estar em choque, com medo, apavorada… Novamente os bárbaros, nem um pouco doces, venceram. Até quando?



  • Ricardo

    São esses idiotas que estão acabando com a graça do futebol.

  • Edson

    Parabéns pelo comentário e pela reflexão. Com o perdão da palavra, são um bando de idiotas, cegos, pergunte a eles sobre o julgamento do mensalão, provavelmente nem sabem do que se trata e se souber, não os deixam mais trasntornados do que ver uma menina de 13 anos manifestando o seu amor a um jogador do time adversário. Uma vergonha!

  • Verdade

    Valdomiro, muito boa a sua crônica. Mas duvido que algum brasileiro leia isso e se sinta tocado, como eu me senti. O Brasil é um país afundado em uma grave crise ética e moral, que não está só em Brasilia, infelizmente. O Brasil degenerou na barbárie, no homem lobo do homem do Leviatã Hobbesiano. No Brasil, os brasileiros não respeitam mais uns aos outros. Querem apenas prevalecer sobre o outro a qualquer custo, mesmo que para isso tenham que matar, roubar, ou destruir o sonho de uma menina.
    Eu que rodei esse mundo todo, morei em muitos lugares, costumo dizer que o grau de doença social, de degenerecência, de degradação moral, se traduz em como um povo dirige. Isso, se traduz no trânsito. Nos países onde existem povos e sociedades solidárias,como os países escandinavos (onde foi possível a TODO UM POVO, perdoar um assassino psicopata que assassinou 74 adolescentes a sangue frio. Isso mesmo, PERDOAR, e não buscar linchá-lo para descarregar neles as frustrações pessoais de todos, como aconteceria no Brasil), nesses países escandinavos, os motoristas e pedestres são educados, obedecem as leis, e mais do que tudo se respeitam e são solidários. No Brasil, todos dirigem como loucos, tentando matar uns aos outros e colocando cabeças e braços para fora da janela, gritando como ensandecidos e expressando o ódio brutal que cada um sente por seus compatriotas. Os rostos enlouquecidos, deformados pelo ódio brutal e uma sanha ignorante e assassina, que se tornou a base da tessitura moral de cada brasileiro, demonstram o quanto a sociedade brasileira está afundando na destruição moral e social. E o pior, como demonstra a fama dos brasileiros pelo mundo, esse ódio, essa loucura, esse desrespeito com o próximo, vão com os brasileiros para onde eles vão. Os brasileiros estão sendo desprezados e odiados pelo mundo, porque todos os países que passaram a ter grande influxo de imigração de brasileiros, passaram a perceber que as comunidades de brasileiros traziam sua sanha destrutiva, corrupta, suicida e homicida com eles, se auto-destruindo e contaminando aquelas sociedades.
    Mas de onde vem isso? Como um povo que era conhecido pela bondade e amizade, se tornou nisso que estamos vendo agora? O motivo, creio que fará com que você não publique esse meu comment. O motivo, na minha concepção é a ideologia de lucro a qualquer custo que perpassa o monopólio maligno que controla as telecomunicações no Brasil. As organizações Globo, em sua sanha por lucro a qualquer preço, em seu total desrespeito pela civilização e pela vida humana, catequizaram os brasileiros com essa ideologia, e levaram ao surgimento desses bárbaros urbanos que vemos hoje no Brasil. Primeiro, por incentivar através do maior instrumento de cultura popular do Brasil, as novelas, um processo de amenização da resistência ao que é errado, imoral e desonesto. Os “heróis” das novelas foram sempre os maiores propagadores da “Lei de Gerson” de que o “importante e levar vantagem em tudo” (mesmo que isso faça sofrer o meu semelhante). Em segundo lugar, com sua tentativa desesperada de salvar esse campeonato brasileiro, corrupto, de baixo nível técnico, totalmente sem atrativos quando comparado com os campeonatos de futebol da Europa, mas que é o principal produto esportivo desse monopólio. Porque se esse campeonato é tão bom, como se explica que o monopólio insista, tente, mas nunca consiga arrumar um comprador para passar esse campeonato nas TVs de outros países? Enquanto campeonatos como o argentino, passam em todos os países da Europa, nos EUA, no Canadá, na China e no Oriente Médio? (e não pela globosat, ou na TV a satélite argentina, mas sim transmitidos por TVs desses países QUE PAGAM para transmitir o campeonato). E com o intuito de salvar esse campeonato falido, esse monopólio passou a estimular o ódio entre as torcidas, no nome de uma “rivalidade” que nunca existiu. Ora, prova disso, torcidas de Corinthians e Flamengo sempre foram torcidas amigas, irmãs. Quando a torcida do Corinthians realizou a histórica invasão do Maracanã, foi recebida e escoltada pela cidade do Rio de Janeiro, pelas torcidas co-irmãs do Flamengo. Mas a Globo criou rivalidades que não existem, ou existiam, semeou o ódio, para que alguns loucos, doentes, possam sentir alguma atração por esse campeonato que ela mesmo faliu e destruiu.
    Infelizmente, enquanto o povo brasileiro continuar se submetendo aos ditames genocidas deste monopólio televisivo, continuaremos vendo isso que está aí e coisas muito piores.
    Porque este monopólio não pestanejará em moer os sonhos de uma menina em sua sanha maligna por lucros. Assim como não pestaneja em em destruir cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, com suas mentiras em sua sanha desesperada por notícias que, mesmo que falsas, tragam audiência.
    Será que os brasileiros do passado, um povo bom e generoso, se perderam para sempre? Será que os únicos brasileiros que restaram são esses bárbaros urbanos sem ética e respeito pelo próximo, frutos da catequese do monopólio das telecomunicações?
    Essas são as perguntas que os verdadeiros seres humanos que ainda vivem no Brasil devem tentar responder.

  • cambito caçapava

    LAMENTAVEL O QUE OCORREU A MENINA APENAS QUERIA UMA LEMBRANÇA DO TEU IDOLO E NADA MAIS……TORCEDORES COVARDES AGREDIRAM ESTA CRIANÇA E O PAI E A POLICIA DO PARANÁ ASSISTINDO SEM FAZER NADA…….ATITUDE DO LUCAS FOI EXEMPLAR APOS TODA CONFUSAO RECEBEU NO VESTIARIO A MENINA E O PAI ASSIM PODE REALIZAR O SONHO DA GAROTA…….ATÉ QUANDO TEREMOS CONVIVER COM ESTA SITUAÇÃO……

  • antonio sergio

    Num Pais que os que matam por matar , quando recebem alguma pena tem direito a trepar na cadeia, sair para ver papai noel , dia do papai, dia da mamãe etc., o que esperar de punição para este episódio. Dirão os comentaristas : mas é a lei . Lei porra nenhuma , quero ver quando assassinam juízes ou seus filhos ou de politicos, se terão as regalias das leis.

  • Vaz

    O que esperar?
    Começamos dentro de campo (nunca a desiguinação Arena foi tão apropriado), jogos violentos, jogadas criminosas, valentias de jogadores que não resolvendo o jogo partem para a confrontação, a intimidação de adversários (seriam inimigos), xingamentos e palavrões a torto e direito.
    O Juiz este injusto, que marca faltas inexistentes, que sempre expulsa o “santo” injustamente, vejo neste fim de semana um grande jogador que não sei se tão grande assim, que além de derrubar o adversário, pisoteia a barriga do cara, chuta e depois é como protegido de boa parte da imprensa é colocado como inocente, que é caçado em campo, que outro cara fez mais e não aconteceu nada, enfim foi expulso injustamente, o árbitro e auxiliares então, são desrespeitados tanto por imprensa, ex-juizes-comentaristas, jogadores, técnicos e dirigentes, é peitado, agredido e quando oferece denúncia na súmula é afastado. Isto é o que passamos para estes idiotas que se intitulam torcedores.
    Desculpe mas nossa mídia alimenta e potêncializa estes fatos, passamos mais tempo reprisando jogadas para mostrar que o juiz errou e depois de dezenas de vezes, opiniões contraditórias onde os próprios “comentáristas” não chegam a uma unanimidade, acusamos o arbitro de erro, insinuam um favorecimento e deixam no ar e na cabeça dos alucinados de plantão uma suspeita de compra de resultados.
    Dirigentes e jogadores tratam “clásicos” como uma “intifada”, uma guerra santa onde só o massacre do adversário irá satisfazer a ira, o ódio da torcida.
    Somando tudo isso não causa estranheza o comportamento animalesco de imbecis que em nome da paixão submeteram esta pobre moça (acrecente aí dezenas de pessoa) a agresão, xingamentos e humilhações quase chegando a vias de fato diante de policiais que confabulavam sem qualquer preocupação com o fato, como se não fosse com eles. E pior ainda, ouvir comentaristas insinuando que a culpa foi dela e do jogador que teriam provocado a torcida.
    Na agresão covarde que sofre a menina, vejo uma mãe com um criança de não mais de 3 ou 4 meses no colo xingando a garota. O que faz esta criatura com uma criança tão pequena dentro de um estádio de futebol e no meio de torcida uniformizada? Uma mãe toma atitudes como essa com um inocente nos braços, perdendo a compustura e não se dando ao respeito. Que educação dará a esta criança? Educação de uniformizadas.
    Quem são estes animais que perderam completamente a humanidade, boçalizados por uma pseudo-amor ao time. Amor a time? Amo minha familia, minha esposa e não um time, um bando de marmanjos riquíssimos que estão se lixando para o tal manto sagrado (quer coisa mais idiota) e querem saber apenas de grana, mulheres e carrões. Enquanto isso o idiota uniformizado ou não acha que a valentia em campo é sinônimo de amor ao clube, que o sujeito está “vestindo” a camisa.
    Que imagem passamos ao mundo? Reclamamos do que? Que o “gringo” nos vê como selvagens porque se julgam superiores? Na Europa posso ir com um idoso, filhos e espôsa assistir a um jogo de futebol aqui não podemos nem sair de casa em dia de jogos como Corinthians e Palmeiras, Palmeiras e São Paulo…….
    Vejo estes caras que se dissem torcedores com gritos de guerra, cheios de álcool e outras substância pouco recomendáveis, com olhos vermelhos de ódio prontos para matar ou morrer e isto é que chamamos de de paixão, de amor ao time, enfim, de país do futebol.

  • Essa torcida do Coritiba não aprende. Parece que eles já se esqueceram da punição que sofreram quando caíram para a 2ª Divisão. A Polícia Militar de lá é omissa e parcial. Se o Tribunal Esportiva e a Justiça comum querem mesmo acabar com a violência no futebol, devem punir exemplarmente o Clube, sua torcida e a PM omissa.

  • Fábio

    Parabéns a todos os comentários…..

  • Leonel

    Boa tarde a todos

    sou de Curitiba e torço para a Coritiba. E vejo muita, mas muita da hipocrisia nestes tantos textos e matérias que tem repercutido na mídia nacional. O fato ocorreu? Sim! A adolescente (13 anos ja não é mais criança) foram HOSTILIZADOS? Sem dúvida! Agredidos fisicamente? Não! Aconteceu no estádio do Coritiba, mas teria sido diferente em outros estádios? Caso fosse a situação contraria, um adolescente torcedor do coritiba entra sabidamente na torcida do são paulo no morumbi, e grita, chora pedindo a camisa do Rafinha após o são paulo perder e se aproximar perigosamente da zona de rebaixamente. Neste cenário hipotético, qual seria a atitude da torcida do time paulista? Aplaudiria e falaria “parabéns pelo presente”? Sinceramente, eu dúvido. A verdade é a seguinte, os tempos aúreos e romanticos do futebol se foram. Acabou, agora tem interesses, muita intolerancia e sim, violencia em estadios. Tanto que para isso foram criados nos estádios o setor de visitantes. Não tiro o mérito de que a torcida podia ter evitado, deixado para lá. Mas no minimo a atitude do pai e da menina foi procurar “chifre em cabeça de cavalo”. O preço para entrar no setor adversario é o mesmo da arquibancada da torcida da casa, sobraram entradas para os paulistas. Por que se “infiltrar” na torcida adversaria? Como ja disse, não falo, nem nunca falarei que a atitude dos torcedores foi correta. Recentemente não houve o caso de um torcedor do Celtic que teve de sair com escolta da PM do jogo Corinthians e Sport por estar com a camisa do Celtic (Alviverde, que era seu time do coração), mas como turista queria conhecer o futebol brasileiro? E qual o destaque dado? Infelizmente estes acontecimentos fazem parte do futebol. Aconteceu na torcida do coxa (de volta), mas duvido que teria sido muito diferente em outros estádios. Mas menos demagogia, menos hipocrisia de todos seria muito bem vinda.

  • jackson

    PUNIÇAO PARA ESSES COVARDES E PARA O CLUBE JA. CADE O STJD? AFINAL ONDE OCORREU OS FATOS? DE QUE ERA O MANDO DE CAMPO? COMO SEDIAR UMA COPA DO MUNDO SE OS GRINGOS NAO PODERAO TORCER POR SUAS SELEÇOES? ABRE O OLHO CBF ENQUANTO HA TEMPO.

  • Missori

    É esperar demais de um elemento que tenta agredir uma menina de 13 anos e seu pai porque aquela pediu a camisa de seu ídolo. Os “valentões” não conseguem distinguir entre ser torcedor e ser fá de um jovem ídolo. A menina, certamente, torceu pelo seu time de coração, o Coritiba, e quando o jogo acabou, ela não queria a camisa do São Paulo, adversário do seu time de coração. Ela queria a camisa de seu ídolo, o Lucas, que por acaso naquele dia usava a camisa do tricolor, fosse a seleção que estivesse jogando ali, a menina iria querer da mesma forma a camisa do seu ídolo. Pedir a camisa do ídolo nunca foi trair as cores do time do coração. Ou alguém vai me dizer que muitas garotinhas torcedoras do Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Flamengo, Vasco… se pudessem não pediriam a camisa de seu ídolo teen Neymar? Essa linha tênue entre ser torcedor e ser fã de uma celebridade jovem é muito prá ser percebida pela cabeça dos brucutus valentões.

  • PAÍS DE TOLOS

    SERÁ QUE ESTES BABACAS FARIAM ISSO COM OS JOGADORES DO SEU TIME, QUE NOS FINAIS DOS JOGOS TROCAM AS CAMISAS, BEM CHAMADAS DE MANTOS QUANDO SÃO PARA UMA ALUSÃO A PAIXÃO DE VER O SEU TIME DE CORAÇÃO JOGAR, MAS QUE NUMA SITUAÇÃO TÃO IMBECIL DESSAS DEVERIA SER CHAMADA DE TRAPOS…
    ESTA CORJA DEVERIA SER ENQUADRADA POR UM DELEGADO E POR INSPETORES COM CAMISAS DE TIMES ADVERSÁRIOS DESTES M……
    IMAGINEM A CENA… O DELEGADO COM A CAMISA DO ATLETICO PARANAENSE E OS INSPETORES COM CAMISAS DO PARANA CLUBE, SÃO PAULO (PUTZ…), E TANTOS OUTROS… QUAL SERIA A REAÇÃO DESTA CAMBADA DE IMBECIS…

  • quem afasta o publico dos estadio sao vcs paulista bairrista que vc diria se fosse o contrario o cfc tem uma das melhores media de publico do brasil , aqui somos roubados vergonhosamente ou vc se esqueceu da final da copa do brasil o lucas tava provocando sim a torcida do coritiba se ele queria dar camisa fosse dar no vestiario ele sim devia ser punido no tribunal por encentivar a violencia vc ja veio no couto pereira acho q nao nen deve conhecer a melhor capital do brasil

  • edmundo

    indignação total, sem comentarios.

  • Roberval Taylor

    Prezado Valdomiro,

    Desaprovo a atitude dos torcedores, porém existe um fato novo ai:

    O pai e a menina eram torcedores do São Paulo e “se engaram” ao achar que não havia um setor separado para o visitante e ficaram no meio da torcida do Coxa torcendo para o São Paulo. Foram obviamente convidados a sair mas não quiseram. No final deu esse problema com a camisa.

    Eu reprovo a atitude desses torcedores, porém não sou hipócrita. Se Hovesse um torcedor adversario infiltrado na minha torcida e fosse percebido não sei o que aconteceria. Ninguém ia ser simpático a isso.

  • Felipe Silva

    Eu acho é poco, o errado nessa historia é o pai.

  • Líma

    O Vaz disse tudo…………..melhor comentário!!E olha que eu gosto muiitttttto de futebol e do meu time!!! Mas ele está certíssimo em seu comentário.Parece que esqueçeram que futebol é (seria) lazer!!!Só isso, uma brincadeira pra se divertir, fazer uma gozação com os amigos, ou no máximo uma saudável discussão em algumas rodas!!

MaisRecentes

Documentário mostra diálogo entre sociedade e futebol francês



Continue Lendo

Documentário mostra diálogo entre sociedade e futebol na França



Continue Lendo

O protagonismo estrangeiro no futebol brasileiro



Continue Lendo