Tira-teima da discórdia. Ou: as teimas que os homens têm



A teima no futebol chegou aos píncaros. O pop não poupa nem mesmo o tira-teima. Teimaram com o tira-teima. Não bastou ele, figura tecnológica conhecida há anos, para dirimir as dúvidas quanto ao impedimento de Alecsandro no gol anulado do Vasco contra o Corinthians. Mesmo diante dos rabiscos, manchas e desenhos produzidos pela engenhoca, apaixonados fizeram muxoxo para reclamar: o gol foi legal! Temos assim a paranoia levada ao extremo, em um síntoma da doença que nos cerca. Se o sofisticado sistema utilizado há anos pela Rede Globo é falho não teimo em dizer, pois não sei! Mas que o torcedor é teimoso por natureza e leva essa teimosia às últimas consequências não tenho dúvidas. A ponto de, alguns, acharem que o tal recurso foi manipulado para favorecer o clube paulista. A teima conspiratória é nossa canalhice-mor. Em vez de aceitarem falhas como humanas ou o jogo como ele é, simplesmente recorrem ao passionalismo mais primitivo para acreditarem (acreditam mesmo?) em manipulações para prejudicar seu time. Assim, vitimizam-se para encobrir o fato mais evidente: o futebol, como a vida, é feito de vitórias e derrotas. Assim era nos primórdios, quando homenzinhos saiam para caçar e às vezes voltavam de mãos vazias, às vezes com fartura alimentar. E assim é atualmente, quando conseguimos algo bom em um dia e no outro ficamos ao Deus-dará.

Eis o que diz o personagem Stiepan Trofímovich, no livro Os demônios, do mestre russo Dostoievski: “Meu amigo, a verdade verdadeira é sempre inverossímil, você sabia? Para tornar a verdade mais verossímil precisamos necessariamente adicionar-lhe a mentira”. É mais ou menos essa a linha que vigora no futebol. Para muitos o verossímil é guindado pelo mentiroso. No caso, a ideia de que há manipulações tão sórdidas a favor de alguns times que até mexer num tira-teima se mexe com esse fim. Sim, o esporte não é limpo. Casos de resultados fabricados já vimos aos montes, aqui e lá fora, a ponto de termos tido um campeonato cheio de jogos anulados. Porém, quando se supõe algo gratuitamente, como nessa história de Vasco x Corinthians, entramos no terreno da mentiras que se vestem de verdades. Nesses termos, vamos minando a essência do jogo e entrando num turbilhão enlouquecedor.



MaisRecentes

Rica em talentos, França rompe com paradigma recente



Continue Lendo

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo

Em cartaz na Rússia: ‘El secreto de sus Rojos’



Continue Lendo