Carta dos brasileiros ao Fenômeno adormecido



“Ronaldo, nós, brasileiros, esperamos mais de você, camarada! Esperamos que sua transpiração fenomenal, responsável por te fazer vencer a precoce morte anunciada nos gramados em 2002, goteje também nos bastidores. Agora que pendurou as chuteiras (incrível, já faz um ano, rapaz!), esperamos que largue mão dos salamaleques típicos da cartolagem, que por ora parecem te contaminar, e transforme seu carisma em ações efetivas para dar vida às porcas engrenagens do poder. Nossa pátria-mãe não está mais tão distraída com tenebrosas transações, como no eterno samba de Chico e Francis. Estamos vigilantes. Largue o oco blablablá da politicagem rasteira, não rima contigo!

No fundo, esperamos, crentes, que cale a boca dos críticos da sua atual opacidade e, como já fez em campo, mostre os dentes afiados para o que há de ruim nos meandros da nossa (des)organização. Você tem pilhas de crédito pelo bem que fez seguidos anos aos amantes do futebol. Caso mude de postura, será tratado com açúcar e com afeto. Basta que suas arrancadas, dribles e gols brilhem nos empoeirados gabinetes.

Nós temos coração mole, Fenômeno! E nossa alma ainda guarda traços de vira-latice. Transigimos quando um ídolo se derrete e depois, arrependido, volta à firmeza do bronze. Somos homens cordiais em nossas raízes brasileiras, né, sábio Sérgio? Preferimos achar que você foi enfeitiçado pela medusa que perambula nas salas das federações. Ela tem muitas caras (você mesmo lembrou que duas delas estavam no trono, esqueceu?).

Mais dia, menos dia, você irá despertar, Fenômeno. Sua catatonia há de ser temporária. Por isso, fizemos ouvidos moucos quando você lamentou a saída de Ricardo Teixeira. Foi um ato de sabotagem com sua própria consciência, só pode! Você irá acordar, temos fé cega em nosso craque!”



MaisRecentes

O Grêmio não enfeitiça os anseios de Tite



Continue Lendo

Alemanha x Brasil: aprendizado por linhas tortas



Continue Lendo

Messi ameaça driblar o tempo



Continue Lendo