Neymar é quem pode surpreender o Barcelona



A catarse coletiva que o futebol praticado pelo Barcelona vem provocando gerou a falsa sensação de que o Santos vai ao Mundial apenas lambuzar-se de shoyo, empapuçar-se de sushis e sashimis. Ledo engano, meus amigos! Pode muito bem ganhar. Pois se os espanhois jogam o fino da bola, a hipnotizar rivais tocando incessantes a pelota, o Peixe tem Neymar, prodígio de 19 anos cuja categoria pode decidir, enfiando Puyois, Abidais e Piqués no bolso.

Isso não é coisa a ser desprezada, muito pelo contrário. Em anos recentes não houve time brasileiro com trunfo semelhante na manga. Inter e São Paulo, os últimos tupiniquins a levantar a cobiçada taça, eram forças coletivas. Verdade que o Tricolor teve Rogério Ceni, um goleiro-craque, contra o Liverpool. Mas era o camisa 1 e, por mais que seja exímio batedor de faltas e pênaltis, sua maior atribuição é, desde sempre, impedir gols adversários. Já Neymar é dessas raras magias que nem cremos muito existir ao fim do espetáculo. É como ficção a embebedar por instantes a realidade.

O Santos terminou o Campeonato Brasileiro no miolo da tabela, em modesto 10º lugar. Isso não impediu que o garoto “amoicanado” papasse tudo que é troféu de craque da competição. O gol mais bonito do certame foi dele. Uma obra-prima tamanha que concorre ao prêmio máximo da Fifa.

Seria insano não atribuir favoritismo ao Barcelona. Mas dar como favas contadas tendo-se do outro lado Neymar é descabido. A história do futebol é basicamente a história dos grandes craques, daqueles que fizeram o que até Deus duvidava. E é bom para o Santos que as dúvidas prossigam. Os mitos se desenham no improvável e aqui, claro, não vai nenhuma profecia, apenas um alerta como lembrete!



MaisRecentes

Rica em talentos, França rompe com paradigma recente



Continue Lendo

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo

Em cartaz na Rússia: ‘El secreto de sus Rojos’



Continue Lendo