Neymar é quem pode surpreender o Barcelona



A catarse coletiva que o futebol praticado pelo Barcelona vem provocando gerou a falsa sensação de que o Santos vai ao Mundial apenas lambuzar-se de shoyo, empapuçar-se de sushis e sashimis. Ledo engano, meus amigos! Pode muito bem ganhar. Pois se os espanhois jogam o fino da bola, a hipnotizar rivais tocando incessantes a pelota, o Peixe tem Neymar, prodígio de 19 anos cuja categoria pode decidir, enfiando Puyois, Abidais e Piqués no bolso.

Isso não é coisa a ser desprezada, muito pelo contrário. Em anos recentes não houve time brasileiro com trunfo semelhante na manga. Inter e São Paulo, os últimos tupiniquins a levantar a cobiçada taça, eram forças coletivas. Verdade que o Tricolor teve Rogério Ceni, um goleiro-craque, contra o Liverpool. Mas era o camisa 1 e, por mais que seja exímio batedor de faltas e pênaltis, sua maior atribuição é, desde sempre, impedir gols adversários. Já Neymar é dessas raras magias que nem cremos muito existir ao fim do espetáculo. É como ficção a embebedar por instantes a realidade.

O Santos terminou o Campeonato Brasileiro no miolo da tabela, em modesto 10º lugar. Isso não impediu que o garoto “amoicanado” papasse tudo que é troféu de craque da competição. O gol mais bonito do certame foi dele. Uma obra-prima tamanha que concorre ao prêmio máximo da Fifa.

Seria insano não atribuir favoritismo ao Barcelona. Mas dar como favas contadas tendo-se do outro lado Neymar é descabido. A história do futebol é basicamente a história dos grandes craques, daqueles que fizeram o que até Deus duvidava. E é bom para o Santos que as dúvidas prossigam. Os mitos se desenham no improvável e aqui, claro, não vai nenhuma profecia, apenas um alerta como lembrete!



MaisRecentes

O Grêmio não enfeitiça os anseios de Tite



Continue Lendo

Alemanha x Brasil: aprendizado por linhas tortas



Continue Lendo

Messi ameaça driblar o tempo



Continue Lendo