A falta que fazem Damiões e Borges



Inter e Santos começaram o segundo turno com mãos firmes, escalando a tabela a plenos pulmões. Ainda não perderam nesta nova etapa. O pessoal do andar de cima já sente o bafejo dessas feras e sabe que elas têm em quem se ancorar: Leandro Damião e Borges. Os dois estão com a macaca, como diz a voz popular. Fazem gol de toda forma, encontram espaços onde eles parecem não existir e deixam os zagueiros rivais suando de raiva.

Corinthians e São Paulo lambem a taça, mas não conseguem abrir terreno. E esperam por Adriano e Luis Fabiano, que são seus Damiões, seus Borges… Como faz falta um goleador, o sujeito que futeboliza o cancioneiro do “bobeou, a gente pimba!” Ao saber que o Leandro lá dos pampas foi corintiano na infância houve quem resmungasse com São Jorge: Ah, se ele estivesse no Parque a taça estava no papo! Assim como entre tricolores há quem morda-se de saudades de Borges, que faz no Peixe o que poderia estar fazendo no Morumbi. Nostalgia de tempos felizes, que contavam com um camisa 9 a encerrar suas angústias coletivas.

Os flamenguistas sabem que seu bonde não teria freio caso Deivid incorporasse pitadas de Damião ou traços de Borges. Quantos não foram os passes de Ronaldinho que perderam a direção nos pés erráticos do atacante rubro-negro? Quem conhece a rota do gol acaba tendo o mapa das vitórias.

Ainda há Fred, Loco Abreu e outros tantos. Mas os donos da rede neste Brasileirão são mesmo Damião e Borges. A turma que participa de simulações onde cada um monta seu time já decorou: escalar ao menos um deles é correr para a galera. Um é jovem revelação, o outro já conhecemos de carnavais passados. Esses extremos só democratizam a arte de fazer gols, que é particular a uns privilegiados.



  • Daniel Meirelles

    Luxemburgo está pagamento por teimosia e burrice! Não precisa ser muito inteligente ou entender do assunto e saber que a escalação de Deivid no ataque do Flamengo e Wellington na zaga são absurdas e nocissas ao nosso time! O primeiro demonstra total despreparo nas finalizações e extrema lentidão. O segundo… bem…. o segundo não possui nada que possa ser destacado com o adjetivo QUALIDADE. Aliás existe sim. Wellington é bom em ser PÉSSIMO. Extremamente LIMITADO, burro, inábil com a bola nos pés. O Odvan perto dele é quase um ALDAIR ou MOZER. Há tempos que não vejo um zagueiro (se é que podemos chamá-lo desta forma) tão ruim! E o pior de tudo é que vaso ruim não quebra!

  • marcelino

    De fato, os dois tem arrebentado nessa segunda fase do brasileirão. O Damião ainda é uma promessa e devemos esperar um pouco mais antes de dizermos “esse é craque”, vide caso Keirrison (será que algum coxa ou palmeirense sabe por onde anda, será que o Messi alguma vez soube que faziam parte do mesmo time?). Quanto ao Borges não é de hoje que vemos gols e mais gols desse bom atacante, no entanto desde seus tempos pelo tricolor paulista pecou pela falta de marketing e talvez por isso ainda não tenha se consolidado como craque. Entra Parreira sai Parreira, entra Dunga sai Dunga e nada de Borges na seleção. Tantos outros “craques” como Afonso, Hulk, Alexandre Pato que não fazem nem a metade dos gols do santista ja tiveram a satisfação de vestir a amarelinha, por que não o Borges? Mas uma coisa é certa, sempre que o time esta mal das pernas e precisa de um atacante que seja garantia de gols o técnico ja sabe qual homem de confiança chamar para resolver o problema:Borges, o goleador (Murici ja sabe disso a muito tempo). Então por que será que nosso melhor técnico ainda não percebeu isso? (ou não seria a seleção brasileira comandada pelo melhor técnico que possuímos?)

  • Lucas P9

    É… saudades do Borges no São Paulo. Quando ele foi pro Santos, na hora eu pensei: “Com Arouca, Neymar, Ganso, Elano e cia, vai se entupir de fazer gol”… dito e feito. E o Damião é sem comentários, faz gol de tudo quanto é jeito.

    Volta logo, Fabuloso… senão nem Libertadores meu São Paulo pega com o medroso do Adilson Batista treinando o time!

  • Vinpicius Zarpellon

    sinceramente, eu, sendo são-paulino, nao sinto falta do Borges. eu acredito que cada jogador tem seu ciclo no clube, e o do Borges havia se encerrado, como aconteceu com o Miranda, por exemplo. não vou negar que ele é um ótimo jogador, porém, foi melhor para ambos os lados que ele saísse naquela época. jogou demais por aqui.

  • Rodrigão

    Prefiro mudar o título desse tópico para: A falta que faz bons técnicos.

    Alguém discute o trabalho do Muricy e do Dorival, quando têm suporte da diretoria e dos jogadores; ao invés de serem sabotados por seus comandados?

  • discordo um colega do último post,pois depois que Borges e Muricy sairam,o são paulo não ganhou mais nada,e mais só demos títulos aos outros,vide fluminence e santos,é muito possível que o sampa já fosse no mínimo octacampeão do brasil,a libertadores é muito importante sim,mas uma hora acabaria vindo,mas como mandaram o muricy embora a liberta foi para o santos,é uma pena, o Sampa pecou pela impaciência.

  • Ele insiste em levar o Fred e não da uma oportunidade para o Borges.
    É brincadeira, quando que o Fred foi jogador de seleção ? Só Mano Menezes mesmo.
    Ontem mesmo, o Brasil sem armação, ele me coloca Renato Abreu e deixa Oscar, Thiago Neves e Lucas no banco. Sem contar no Ralf, Paulinho. O Brasil só não levou uma goleada ontem por que os caras estavam ruim de pontaria. Olha que eu não assisti o jogo, com 20 minutos desliguei a televisão, vi a Argentina chegar facil no gol do Brasil tres vezes. Girava a bola, atacava com velocidade pelas laterais e o Ralf, Paulinho……sem proteção nenhuma pra zaga que já não tava entrosada. Não conseguem nem disputar uma libertadores pelo Corinthians (Toliminadoooo) vão jogar jogos com a seleção brasileira.

  • Henrique

    Na boa, Daminhão é igual o pato, precisa de 10 oportunidades para fazer um gol. O Borges precisa só de 4.

    Ontem ele deu uma lembreta, mas perdeu um GOL FEITO!!! o Borges não perdoaria um gol daquele… Alías o Domingos faria um gol assim.

  • Ademir Santino de Lima

    Fico impressionado com a visão futebolística paulistana. O Borges vive um momento maravilhoso, mas o Borges nunca foi titular nos clubes que passou, pergunte se o torcedor gremista sente saudades dele.
    Ora querer comparar o Fred com o Borges ou até mesmo Leandro Damião é brincadeira… O Leandro Damião é uma grata revelação, enquanto Borges vive o bom momento dele só isso.
    O Fred é hoje o melhor jogador de ataque do futebol brasileiro, e isso vai ser provado até o final desse campeonato.

MaisRecentes

Guttman, uma bela e vitoriosa trajetória



Continue Lendo

Palmeiras x São Paulo: rivais contra o vexame



Continue Lendo

Neymar, entre a guilhotina e ‘la vie en rose’



Continue Lendo