A miragem do fair-play real



Seria ótimo se o tal fair-play fosse um gesto espontâneo, um pensamento traduzido em ação, em um desfile engrandecedor de sinceridades aflitas. Porém, não o é! A convenção do jogo, em código que não está talhado em pedra nem rabiscado em papel, mas absorvido pelo uso, estabeleceu apenas um momento em que ele é uma espécie de obrigação, sob pena de pegar muito mal para quem a ignora. É quando um atleta cai no chão (ás vezes, sem espírito de fair-play, simula contusão) e, então, quem está com a bola a manda para fora do gramado. Na sequência, o outro time cobra tiro de meta ou arremesso lateral nos pés do adversário, devolvendo a posse ao seu legítimo proprietário. Uma burla a isso é algo que beira o escandaloso, já está incorporado no meio, quem não o faz é visto como um sujeito antidesportivo, que tira vantagem de uma situação da qual é “beneficiário”.

Em função dessa regra tácita é que não há como fazer uma defesa de Kleber. O atacante do Palmeiras pisou na bola no jogo contra o Flamengo, na última quarta. Mesmo dizendo que ofereceu a possibilidade de jogadores do Flamengo tocarem na bola e eles terem embromado, cozinhando a jogada sem agir, em uma reação desprovida do tal jogo limpo, ele deveria ter dado uma espanada nela para longe. Isso porque não parece inteligente justificar a própria falta de fair-play na ausência de fair-play alheio. É mais ou menos aquela situação típica em que o cidadão joga lixo na rua, contribuindo para a sujeira do espaço público e as desagradáveis enchentes, e diz fazê-lo porque todos o fazem. Curioso, inclusive, que as reações em cadeia só aconteçam quando são em benefício próprio. Lindo seria se alguém cedesse seu lugar no metrô a idosos, por exemplo, quando outros o fazem, despertando um efeito dominó de cidadania. Mas, enfim, nos dias atuais soa utópico imaginar cenas dessa natureza.

Voltando ao futebol, seara que interessa por aqui, há o outro lado da moeda nos dizeres e escritos no Twitter de Kleber após toda a querela. O atacante afirmou serem volumosos os casos de falta de fair-play nos campos e que é hipocrisia, por isso, ficar discutindo o lance do jogo no Pacaembu. Embora mais uma vez tenha se escorado na mentalidade incivilizada do todo mundo faz assim ou assado, a lebre levantada tem lá seu valor. O jogo limpo inexiste no futebol. A cera, mais antiga e comum que a corrida espacial, é uma prática malandra disseminada nos campos. Para ganhar tempo, atletas enrolam para repor a bola, jogadores deixam o campo em velocidade de jabuti em momentos de substituição e forjam contusões, contorcendo-se artisticamente no relvado. Isso sem citar técnicos que jogam uma segunda bola na disputa para interromper um ataque rival, forçando a paralisação do lance. Essa montanha de atitudes farsantes mostram que o fair-play é uma miragem, que não há a mínima cortesia quando o que se vê é a possibilidade de extrair-se alguma vantagem. Resumindo: os fins justificam os meios.

A tal devolução da bola ao adversário tornou-se uma praxe. Quem não o faz, é condenado. Seria ótimo se essa mentalidade se estendesse para simulações de faltas e ceras, com execração pública no mesmo patamar. Assim que a cultura do proveito próprio mudaria e a civilização se estabeleceria em alguma medida nos jogos de futebol.



  • charles fla

    Esperar oq de um cara qui distribui cotovelos a 10 anos nos colegas de profissao…

  • MetaltechRJ

    O Kléber se destaca mais pelas suas atitudes impensadas do que pelo que joga dentro de campo. Porque se não o faz, a mídia nem olha pra ele… é um jogador mediano. Quando se aposentar, vão lembrar dele como um lambão, e não como um cara que deu títulos ao Palmeiras.

  • nao morro de amores pelo flamengo ,mas o que o cleber fez foi uma grande falta de companheirismo,e por que nao dizer de carater profissional,sera que ele por um momento sequer se pos no lugar do time adversario?

  • Renê Ricardo

    Sr Charles,por favor deixe de ser hipócrita e me diga qual a diferença da cotovelada do Kléber ou da entrada criminosa que o Renato Abreu deu no Gabriel Silva no começo do clássico…….por favor não seja hipócrita.

  • Paulo Pinheiro

    Sim. Existem inúmeros exemplos de falta de fair-play:
    – Existem os gandulas do Morumbi que esperavam o São Paulo recompor a zaga para só então liberarem a bola para a cobrança de lateral do adversário.
    – Existe o Vitória-BA, que jogou água e areia no campo antes do jogo contra o Flamengo (sabidamente com jogadores leves como o Edilson na época)

    O lamentável é isso não ter sido levantado na época. Mais lamentável é levantar isso agora para pegar o gancho nas declarações de um jogador que tenta justificar o injustificável. Péssimo “timing”.

  • AMARILIO

    JULGAR AS PESSOAS É MUITO FACIL. O CARA ESTA OLHANDO O SEU LADO AI FALANDO SOBRE AS ATITUDES DE COTOVELADAS MAIS ESQUECE A FORMA COMO OS ZAGUEIROS FAZEM A MARCAÇÃO NOS ATACANTES DE FORMAS VIOLENTAS NÃO MEDEM FORÇA PARA EVITAR UM CARRINHO POR TRAS, EMPURROES EM BOLAS PELO ALTO QUE ACARRETA O SURGIMENTO DE VARIAS LESÕES.

  • AMARILIO

    O FUTEBOL NÃO É TRATADO COMO UM ESPORTE LIMPO NENHUM TIME É INSTRUIDO A JOGAR O FUTEBOL COMO DEVE SER JOGADO, NUNCA VAI SER, O SER HUMANO PUXA OS SEUS INTERESSES PARA O PROPIO LADO. ESTAMOS EM UMA ERA EM QUE A VISÃO EM TODO O MUNDO É SER FORÇADO A TER CAPITAL, CONSUMO, E GANANCIA, NINGUEM LIGA PARA UM MUNDO DE IGUALDADE, ALGUNS SÃO GENEROSOS OUTROS NÃO MAIS NINGUÉM BUSCAR SER O MAXIMO IGUAL, CADA UM ESTÁ EM BUSCA DOS SEUS INTERESSES.

  • Henrique

    No caso do Kleber a bola parou para atendimento do Junior Cesár, jogador do Flamengo, porque a bola deveria continuar com o Flamengo? A bola era do Palmeiras seja pela lateral ou como Kléber fez, os jogadores do Flamengo é que não fizeram a sua parte, pondo a bola pra fora. Quanta hipocrisia.

  • LUIZ_VERDÃO

    Até 3 dias atraz os torcedores do flamengo estavem loucos achando q o gladiador iria jogar no fla, depois de ver ele em campo pelo 7 jogo no Brasileiro e do ”fair-play”, K30 não presta mais…rsrsrs ahh vá!

  • Paulo

    Se tivesse acontecido com o Palmeiras, os jogadores teriam feito o mesmo que fizeram os jogadores do Fla… Esse Kléber é totalmente desequilibrado, maldoso, desleal… O mais engraçado é que o cara nunca conquistou NADA de importante no Palmeiras (ele conquistou algo no Palmeiras?). Ainda assim, é considerado “ídolo” da torcida…

  • Rodrigo

    É companheiro, não deixa de ter razão seu texto, porém, seria leviano afirmar que um cara se contorcendo no chão ele está fazendo cera e nada sente. Embora todos saibam que o jogador quer ganhar tempo, esfriar a partida, mas não se pode subjulgar tal atitude.

    O que o Kléber fez foi péssimo, uma tremenda falta de respeito e exemplo, junte isso ao péssimo currículo que ele possui.

    Lamentável.

  • timao

    axo uma palhaçada ser novamente cancelado o jogo do santos com o TIMÃO

    agora pergunto pq contra o palmeiras não cancelaram??

    pod chamar até o pelé q não vão conseguir nada

    ahuhauahuaha

    VAI TIMÃO

  • Alan Carvalho!!

    Kléber é tão ridículo que até na hora de fazer média com a sua torcida ele faz besteira! Se não bastasse a sua explícita falta de caráter..ele ainda peca pela falta de inteligência social. Um dos jogadores mais superestimados da história…e um dos mais idiotas do universo futebolístico contemporâneo.

  • Marcus

    O sr. colunista não lembrou do lance em que o ronaldinho cobrou uma falta com o jogo parado né? Que coisa… Será que isso não significa falta de fair play? Ou então, é como o que você chamou de malandragem do futebol, como no caso da cera? Nesse caso, utilizando a musica do Diogo Nogueira, o Jr Cesar é malandro e o Kleber é mane? Cera é malandragem?Quando o flamengo tinha a posse da bola não jogou pra fora, então era o palmeiras que tinha que jogar?

  • Pardal

    TO COM O KLEBER E NÃO ABRO….DA-LHER VERDÃOOO

  • Daniel

    Na minha opinião, o atacante Kleber fez o certo. Passou da hora de acabarmos com a superproteçao dada ao time do ricardo teixeira.

  • sandrofla

    Foi uma grosseria do atacante meia boca.

  • Anderson

    o pior é alegar fair play onde os proprios jogadores do time forçam um cartão para não participar de um proximo jogo alegando que não seria tão importante assim a presença deles……ridiculo esse time do flamengo…. e o pior contra esse mesmo time onde os jogadores não irão atuar foi o unico que ganhou e eliminou o flamengo este ano …..será que o jogo contra o ceara é tão facil assim?

  • rogerio ratão

    ESSA FRASE JÁ DIZ TUDO Isso porque não parece inteligente justificar a própria falta de fair-play na ausência de fair-play alheio

  • rogerio ratão

    O mal carater do Kleber afirmou serem volumosos os casos de falta de fair-play nos campos e que é hipocrisia, por isso é mais ou menos aquela situação típica em que o cidadão joga lixo na rua, contribuindo para a sujeira do espaço público e as desagradáveis enchentes, e diz fazê-lo porque todos o fazem, carater já nasce com ele, ou tem ou não tem e esse Kleber já provou várias vezes que não tem, pobre da mídia que apoia o que ele fez, como o tal comentarista Neto, mas outra pessoa que tem coragem de cuspir na cara do outro não se pode esperar outra coisa desse também mal carater do Neto.

  • marcio

    O fair play não é um trato de agora isso existe a muito tempo no Futebol Mundial, a atitude do Kleber foi no minimo leviana, uma atitude de um vedadeiro mal carater, não é a primeira vez que ele apronta sabemos muito bem como ele é, mais o que mais me espanta é o Técnico Luiz Felipe Scolare com o norrau que ele tem sair em defesa de um absurdo desses, nem parece que foi jogador Profissional, o lance repercutiu Mundialmente e não vi ninguem ser a favor do Kleber, o que me intristece é que se fosse um jogador do Flamengo a fazer isso o nosso renomado STJD ja teria punido o Jogador de alguma forma apesar de não existir nada no regulamento que indique punição para este tipo de atitude, o caso do Airton é um exemplo, não estou dizendo que ele é inocente muito pelo contrario, mais acho que isso tem que ser aplicado a todos não só nos jogadores do Flamengo, vou querer ver qual vai ser a punição para o Luan do Palmeiras que deu uma cotovelada no Wilhams e ja tinha um cartão, a entrada do Marcos Assunção que foi covarde podendo até ter quebrado a perna do Wilhams e nem cartão levou, o que temos visto pelo STJD é uma perseguição ao Flamengo e isso é notório para todos, agora estão querendo punir o Ronaldinho e o Thiago Neves por forçarem o 3º cartão, fala serio desde que me conheço como gente isso acontece no Futebol.

  • Victor Milet

    Antes de mais quero dizer que sou flamenguista, mas que isso não faz com que seja parcial neste assunto. O fair-play devia começar a ser ensinado desde as camadas de base, até porquê a maioria dos jogadores da base nem vão ser jogadores profissionais e pelo menos assim os clubes contribuiriam para a formação de caráter das pessoas. É claro que todos os jogos vemos muitas situações de anti-jogo, como cera, demora na reposição de lateral e tiro-de-meta, substituições etc, mas eu queria chamar a atenção para o caso do Júlio César, goleiro do Corinthians. Foi o exemplo claro da atitude do jogador que se machuca realmente, mas talvez quando voltar vamos ver se não vai cair fazendo cera aos 45 do 2º tempo quando o seu time estiver ganhando 1 a 0. No caso do Kléber, acho ABSURDO que ninguém tenha falado EXPLICITAMENTE da situação. Porque a bola é devolvida para o time que jogou a bola pra fora ou o time que tinha a posse de bola, que no caso era o Flamengo (Aírton se não me engano) e não para o time adversário ao jogador que foi assistido. E esse senhor Kléber, que sinceramente eu gosto como jogador mas já vimos que deixa muito a desejar no lado humano, ainda vem falar aos jornalistas se sentindo cheio de razão! Pra não falar também dos seus colegas de time que tentaram defender o indefensável (só o M. Assunção se esquivou um pouco disso). Mas esse Kléber teve o que queria, fez as pazes com a torcida (que por sinal adorou esse gesto lindo) e ainda vai ganhar um contrato novo. Ganhou também o ódio da maior torcida do Brasil. Não merece nem o ódio. No final do ano a gente vê a tabela e isso chega. Pena que o futebol tenha deixado de ser um espetáculo e hoje em dia seja mais marketing e dinheiro do que outra coisa. Quem perde com isso são sempre os mesmos: os torcedores, que muitas vezes fazem sacrifícios para apoiar seus times e depois é o que se sabe.
    Saudações rubro-negras!

  • Klayber

    Mas bem que estavam loucos para ver ele dar as cotoveladas por vocês.
    Mais uma hipocrisia vinda da gavea. Não se espera menos de um time que tem uma direção que tumultua ambiente alheio. Fazer oferta é uma coisa normal do mercado, soltar falsas noticias para criar polemica é outra.

  • Marcos

    Vocês querem discutir ética? Não me interessa defender o Kleber, ele não teve ética, mas quem teve? No mesmo jogo faltou ética do Ronaldinho. No mesmo lance quando o jogo foi interrompido pelo Juíz , a bola era do Palmeiras, e segundos antes do Kleber partir com a bola em direção ao gol, ele pergunta ao jogador do Flamengo se não vai devolver a bola, isto ficou claro no vídeo.
    Mas vamos discutir ética. É ético um jornalista, a imprensa e a mídia favorecer somente um lado por questão clubística? É ético o que a Globo faz em relação a transmissão dos jogos e eventos esportivos? É ético o que fizeram com o Morumbi em questão do estádio em São Paulo? É ético um Juiz pedir interdição do estádio do Palmeiras que passou em todas as estâncias e apenas está reformando o que já estava lá a 80 anos? Não seria mais ético o Juíz pedir interdição do Itaquerão que será construído com o dinheiro do consumidor, que estava destinado a bens públicos? É ético o que estão fazendo em relação ao tal estádio do Corinthians? É ético a imprensa cobrir o evento, bater palmas, sorrir e fazer de conta que esta tudo bem? É ético ver um presidente da CBF usar de sua ditadura (dentro de um País que se diz Democrático), mandar e desmandar e ver todas as estâncias de classe a se curvarem a ele? É ético ver um ex presidente da Republica advogando em favor de uma entidade privada, e a imprensa esportiva se calando e apoiando visando beneficiar-se em causa própria?
    Agora vocês da imprensa podre, mídia vendida e sem escrúpulos querem vir falar de ética, onde pessoas que jamais sentaram numa cadeira de faculdade, e que jamais sabem o sentido da ética e de conduta ter o microfone na boca e a caneta em mãos. Onde está a ética?

  • Dorival

    Meu caro Valdomiro, vc falou do fair play, mas não mencionou o nome do autor do gesto tão esportivo. Mané Garrincha foi o autor do gesto bonito e de grandeza d’alma, e ele apanhava mais que mulher de malandro em campo por sua genialidade.
    Se a memória não falha foi no mundial do Chile em 1962 que o gesto foi iniciado por ele, é preciso lembrar sempre que quase tudo de bom e muitas vezes de ruim os jogadores brasileiros estão incluídos neles.
    O lance do Cleber é difícil de julgar, pois os jogadores flamenguistas estavam contentes com o resultado e para ganhar tempo não queriam jogar a bola para a lateral. O Cleber para variar um pouco, perdeu a paciência e fez o impensável para todos dentro ou fora de campo. Um lance bem circunstancial e quando as pessoas perdem a esportiva com facilidade e tratam de se vingar, já faz parte da personalidade do Cleber não se pode esperar outra coisa. Ele apanha, mas bate e muitas vezes com maldade fere a seus companheiros de trabalho isto sim é inadmissível a qualquer um, se a seleção brasileira devolvesse todas as botinadas que recebeu dificilmente seria cinco vezes campeã mundial.

  • Diego

    O Kléber está certo,fair play é sim valído.

    Jogadores do flamengo além de retardar a partida,tinham como obrigação jogar a bola
    pra fora se não o fizeram qm estava com mais vontade de jogar levou a bola e foi pra cima.

    Já pensou perder um titulo de copa do mundo pelo politicamente correto com um gol no ultimo minuto,por estar apressando o jogo msm em vantagem?

    Tem q ter cera sim,é do jogo,sem ser desleal oq vale msm é a vitória no fim do apito.

MaisRecentes

Quanto valem Messis e da Vincis?



Continue Lendo

No bipolar Brasileirão, o futebol é obra inconclusa



Continue Lendo

Guttman, uma bela e vitoriosa trajetória



Continue Lendo