Os dez mandamentos dos pontos corridos



No sopé do Monte Terra Brasilis, Moisés da Silva recebeu do Deus ludopédico as duas tábuas da lei. Nelas estavam os dez mandamentos dos pontos corridos. Isso foi em 2003, quando no então território brasileiro dar-se-ia a primeira edição do Campeonato Brasileiro por pontos corridos, que tem a tradução didática: quem faz mais pontos é campeão! Quem faz mais pontos que todos os times, exceto um, é vice! Quem faz mais pontos que todos os times, exceto dois, é terceiro!  Quem faz mais pontos que todos os times, exceto três, é quarto! E assim sucessivamente.

Com o decálogo em mãos, o profeta da bola, essa coisa redonda e manhosa, espalhou as normas em todos os estados. A partir de então, como vitrola de um disco só, anualmente ouvimos os dez mandamentos da boca de comentaristas, técnicos, jogadores, gandulas, roupeiros e até das comissárias de bordos dos voos dos times. Mas não custa repetir algo tão sagrado:

1- Monte um elenco grande, que suporte maratona de jogos, lesões, cartões e debandadas.

2 – Suporte com afinco o monstro da janela, que tentará levar seus melhores jogadores.

3 – Procure vitórias em casa e empates fora.E ssa combinação pode dar título.

4 -Não despreze jogos contra equipes menores, pois toda partida, acredite (!!!), vale três pontos.

5 – Evite escalar reservas no início do campeonato porque os pontos perdidos (acredite!!!)  farão falta no fim.

6 -Não despreze a vaga na Copa Sul-Americana. Melhor do que nada!

7 -Não entregue jogos para complicar rivais se queres o reino dos céus.

8 -Não reclame da tabela, no fim todos fazem o mesmo número de jogos.

9 – Não fique com saudades do mata-mata, isso é coisa de mau perdedor.

10 – Se cair para a segunda divisão, lembre-se: nada como um ano após o outro!



MaisRecentes

O Grêmio não enfeitiça os anseios de Tite



Continue Lendo

Alemanha x Brasil: aprendizado por linhas tortas



Continue Lendo

Messi ameaça driblar o tempo



Continue Lendo