A derrota convicta



Amigos, não há derrota que machuque mais o torcedor que a derrota convicta. E o que é a derrota convicta? É aquela em que seu time perde sem dar sinais de que pode ganhar ou, ao menos, empatar. É quase sinônimo de auto-flagelação, mas com a diferença de que os adeptos dessa auto-flagelação, como os ascetas, por exemplo, acreditam piamente que o sofrimento expia a alma. No caso da derrota convicta não há esse atalho espiritual. Ela vem pelo sentimento de impotência. Quando o adversário põe a crista tão lá em cima, ocupa todos os espaços, faz do campo um caldeirão e desfila sua imponência. O derrotado está convicto de que naquele dia sairá cabisbaixo, tristinho, tristinho..  É uma derrota em que não há salvação, a prostração é inevitável. As vaias virão por atacado, sem que haja futebol no varejo.

Tivemos dois casos ilustrativos de derrota convicta no espaço de uma semana. O primeiro foi o Palmeiras, devorado pelo jogo dinâmico do surpreendente Coritiba associado à languidez do time alviverde (Marcos está aí para confirmar!). Um 6 a 0 que poderia ter sido 7, 8, 9… Aprenda a contar! Náo houve sinal de reação do time paulista, dormente, catatônico, bestificado. A eliminação do Paulista dias depois ou a descoberta de uma fragilidade escondida. Não importa a razão, o fato é que Felipão, aquele que tem os brios nas pontas do bigode, sofreu naquele dia uma derrota convicta. Em nenhum momentou cogitou-se outro placar que não o da vitória do time curitibano.

Uma semana depois, outro enorme clube paulista sofreu uma derrota convicta. O Tricolor, tricampeão da Libertadores, curvou-se quase que como um escravo de olhos fatigados, ao Avaí, clube emergente em nível nacional. É verdade que a derrota convicta neste caso tentou usar um disfarce, como o desses que corações dolorosos usam no Carnaval para esconder suas dores. O São Paulo saiu na frente apenas para iludir seu torcedor. Pois a derrota convicta logo exibiria suas plumas e seu relógio de hipnose. Com poucos segundos na etapa final já se via no placar da sugestiva Ressacada: 3 a 1 para os avaianos. Resultado exato para dar a vaga ao time da ilha das lindas mulheres. A reação foi tão rápida que mostrou a dimensão de uma derrota convicta. É como se o São Paulo dissesse: quando perder é o destino lutar contra isso é vão. Os pouco mais de 45 minutos seguintes foram protocolares. Carpegiani, ao colocar e tirar um mesmo jogador, mostrou que em uma derrota convicta o único sem convicções é o próprio comandante. Aí não há pontência que resista.

Ah, todos já sofreram derrotas convictas. E nos últimos dias ela mostrou que ainda é soberana!



MaisRecentes

Rica em talentos, França rompe com paradigma recente



Continue Lendo

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo

Em cartaz na Rússia: ‘El secreto de sus Rojos’



Continue Lendo