Talento, o demônio da vez no futebol



Do lado direito soprava-lhe o anjo, tutor da retidão: Meu filho, faz o simples, não inventa! Toca a bola sem joguetes ou firulas. Seja humilde e respeita o teu próximo! Do lado esquerdo, vermelho qual pimentão, rangia-lhe os dentes o diabete: Vai, Valdivia, manda um chute no vácuo, deixa teu adversário com cara do tacho e dê à plateia um pouco de circo! E o Mago seguiu a linha que o diabo gosta. Pimba! Perna para o ar e músculo a rogar. Castigo divino pela diabrura.

Assim, em uma fábula celestial, deu-se a ironia que deixou um pouco mais felizes os caretas. Para estes monges do futebol, o jogo de bola deve correr como em quintal de seminário. Qualquer gracinha é pecado, desrespeito ao companheiro de profissão. Fazer da bola um brinquedo é uma heresia daquelas. Por isso, comemoraram a desdita de Valdivia. São capazes de acreditar que a ira divina caiu sobre as costas do chileno por seu malabarismo fora do script. Ignoram apenas que o futebol só existe porque brota na infância, em que as molecagens se dão com meias, tampinhas de refrigerante e bolinhas de papel.

Faz tempo que em nossos campos driblar virou sinônimo de blasfemar. E assim, vamos perdendo o rebolado, a cintura vai ficando dura e nosso futebol perde sua veia mestiça. A patrulha contra o gingado quer transformar nosso espírito de pelada em procissão às escuras.  Outro dia apareceu um menino foca, que fazia embaixadinhas com a cabeça e assim driblava meio mundo. Logo vieram alguns brucutus a bradar: Isso é um desrespeito total! A ousadia do talento é vista por essa gente como desdém. Sendo assim, nas famosas quatro linhas, prefiro os que dão ouvidos para os diabinhos e ignoram os anjinhos porque infernizar é preciso, rezar não é preciso!



  • sandro fla

    Sou a favor das belas jogadas mas o mundo do futebol já deixou a muito tempo de ser uma fábula ou coisa de moleques.
    É muito dinheiro e cobrança na bagaça…é negócio!

  • sandro fla

    Só mais uma: Messi encanta o mundo sem deixar de ser objetivo…arte e objetividade é o futuro.

  • Nitay

    O problema do brasileiro é esse… Se o cara do seu time faz o drible, tá lindo, maravilhoso…! Se o outro time faz… é folgado… desrespeitoso sem objetivo.
    Esqueceram que o que nos diferencia dos outros jogadores do resto do mundo… é o talento, a ginga, a malícia…
    À essas pessoas, me desculpem mas tem outros esportes que vocês podem assistir.

  • Alexandre

    Nao é nada disso irmao, a questao é como fazer e quando fazer…Alguem reclama das pedaladas do neymar qdo vai pra dentro do gol? Mas o chapéu com bola parada no chicao foi repreendido, afinal, a intenção era desmerecer. O Sr pipoqueiro em questao só da esse chute ridiculo qdo o time ta ganhando, e sim senhor, pra menosprezar o adversario, pq essa babaquice nuncaaaaa resulta em nada..dessa vez ele quis fazer com a bola rolando pra mostrar q faz a qqr momento, só q como é podre e bixado, o musculo nao aguentou e pagou caro por querer ser mais realista que o rei!

  • Lucas P9

    Isso tá chato mesmo, qualquer drible é “desrespeito”, “agressão moral” e coisas do tipo. Devem preferir as voadoras do Pepe lá no Real Madrid…

  • ótimo post, muito bom mesmo. além de deixar clara uma opinião que anda em falta no futebol, o fez com maestria, num texto muito legal. fiz um post um pouco parecido (não com a mesma qualidade, mas a compartilho a opinião) no meu blog, doninhoaoanel.blogspot.com
    se quiser dar uma olhada, ficarei lisonjeado.
    valeu!

  • luiz tricolor

    sou a favor da bela jogada,mas produtiva,tipo ganso.tenho nojo de jogador que sempre quer cavar falta,hoje o adversário coloca a mão no peito do jogador e ele rola no chão com a mão no rosto,é um absurdo

  • sempre achei um absurdo essa perseguição aos jogadores dribladores. ja nao chega apanharem dentro de campo para zagueiros truculentos…é o que sempre tornou o futebol especial o drible.
    sou contra jogadores cai cai, zagueiros violentos demais e jogador que alem de fazer a falta vai dar de dedo na cara do outro
    agora esse lance do valdivia é muito juvenil. quem cai duas vezes nesse drible? no lance que ele se contundiu, nenhum jogador do corinthians sequer piscou.

  • Sinceramente, este chute só serve quando a bola está para sair na linha de fundo ou lateral e você tem um adversário próximo da jogada e quer enganá-lo. Pra mim não é drible. E se for, tem que ser dado quando se está perdendo o jogo também. O que não vi acontecer. Tem que improvisar, mas com bola rolando e de maneira objetiva. Pedalada pra devolver a bola pra defesa, chapéu com bola parada e este chute não servem pra nada. A jogada do Kérlon (você nem lembrava o nome do pseudo-craque), é manjada e fácil de marcar (basta utilizar o jogo de corpo, também conhecido como ombro a ombro, que você deixa o atacante sem equilíbrio para continuar a trajetória). Ainda assim, de todas estas jogadas que citei apenas esta considero como uma jogada de efeito, que não desrespeita o adversário e que visa o gol. Mesmo assim cadê o menino? Quem é craque não precisa desrespeitar. O Messi arrebenta no quesito habilidade e improviso e você não ouve ninguém falando mal do cara. Porque? Simples: habilidade + improviso + objetividade = craque + golaço + idolatria e respeito de todos.

MaisRecentes

O protagonismo estrangeiro no futebol brasileiro



Continue Lendo

A era em que gol não tem sido um detalhe



Continue Lendo

Bandeira branca, a violência venceu!



Continue Lendo