Renovações da bola



Ao pular as sete ondas no próximo dia 31, muitos não se furtarão a, entre desejos de novos empregos e saúde farta para toda a família, reservar um espaço para o seu time do coração. O acesso à Primeira Divisão, um título inédito, o fim de uma freguesia para o arquirrival, o retorno de um ídolo… O cardápio de desejos ludopédicos é variado, mas o fato é que o futebol também guia a vida de brasileiros do Oiapoque ao Chuí. A felicidade no ano que está para nascer terá contribuição decisiva do desempenho do time amado.

Aquele sujeito que você vê subir as escadarias da Igreja do Bonfim ou ir até Aparecida envergando a camisa clubística pode estar pagando as promessas desse período de renovação. Para ele, o futebol é uma bela causa, vale a dedicação, não há esforço desmedido. As oferendas a Iemanjá cumprem seu papel: revigorar sua crença em um futuro futebolístico bom, com domingos repletos de vitórias do seu clube.

Na hora de fazer seus pedidos, o garoto dividirá o sonho de passar no vestibular para medicina com o desejo de ver seu Corinthians campeão da Libertadores. O senhor, apoiado em sua bengala, reafirmará a esperança de manter a pressão controlada, mas até concederia um pequeno sobressalto na farmácia em troca de ver seu Flamengo vencendo os principais rivais. São pequenos exemplos de multidões que minutos antes da virada do calendário estarão prostradas aos céus pedindo que os próximos 365 dias sejam de glórias nos gramados.

Essa profissão de fé, reiterada ano a ano, é um benefício que o futebol concede aos milhões de apaixonados. Por mais que os tempos sejam de humilhação, que o rebaixamento seja recente, a luz no fim do túnel cisma em aparecer quando um novo ano bate à porta. As competições serão disputadas do zero, o time é outro, o sentimento é de que “daqui pra frente tudo vai ser diferente”.

Antes, o Natal…
Os devaneios dos torcedores começam a pipocar antes mesmo do Ano Novo. Próximo ao Natal, as contratações passam a ser anunciadas e são vistas como presentes – algumas (!!!) – que prefiguram um futuro de glórias. Por isso, mesmo sem bola rolando, em um período que se anuncia modorrento, o torcedor arregala os olhos para ler jornais e acompanhar as atualizações na internet. Nos botequins, o zunzunzun já é geral e as apostam são feitas com palito nos dentes.

Como disse, é lá no dia 31 que os pedidos aos céus serão feitos. Mas eles podem ter o tamanho dos reforços contratados nas últimas semanas. O humor do torcedor varia mais que as ações nas bolsas de valores. Otimismo e pessimismo se revezam no pódio, ao sabor das notícias. E essa gangorra deve-se muito ao ciclo do futebol, um ciclo que promete se estender por mais algumas décadas.



  • Pedro Paulo Silva Neto

    Gostaria, neste ano novo que se inicia, que o Flamengo contratasse o “Coalhada”. Seria ótimo para o futebol carioca, que anda com carência de craques. hahahahaha
    .

  • Daniel Santos

    Em uma matéria publicada hoje, o Uol compara quantos jogos o Santos fez para conquistar seis títulos brasileiros nos anos 60, e quantos fez o São Paulo para obter o mesmo número de títulos. Há uma diferença de quatro décadas entre as duas épocas, além de formatos diversos de competição, mas o Uol achou que poderia misturar tudo. Isso me lembrou uma piada de português.

    Quando o português Carlos Lopes venceu a maratona de Los Angeles, veio a gozação: o lusitano precisou correr 42 quilômetros para ganhar a mesma medalha que o norte-americana conseguiu correndo apenas 100 metros.

    Alguns argumentos que certos sites desinformados estão usando para tentar diminuir a importância das competições nacionais do Brasil antes de 1971 se parecem com essa piada sobre o herói Carlos Lopes.

    Comparar duas competições de épocas e formatos diferentes, distantes quatro décadas uma da outra, é como colocar um corredor de 100 metros e um maratonista frente a frente na mesma competição.

    É impressionante que, por mais que se fale sobre isso, poucos conseguem captar o espírito desta unificação. Ou estas pessoas não querem entender de forma alguma, e aí demonstram uma má vontade que não combina com o espírito do jornalismo, que deve estar aberto mesmo para pontos de vista divergentes, ou não entenderam mesmo, e aí talvez tenhamos um problema mais grave, pois não sei desenhar.
    O segredo é olhar a unificação como sinônimo de respeito ao passado
    Fico aqui imaginando que matéria fantástica o Uol não poderia fazer se fosse um site da Itália. Poderia comparar o campeonato italiano atual, com 20 clubes, em que cada um faz 38 jogos para ser campeão, com as primeiras competições, vencidas pelo Genoa, que fez dois jogos no mesmo dia, em 1898 e 1899.
    Não sei precisar agora quantas partidas o Genoa fez para ganhar nove títulos italianos entre 1898 e 1924, mas, certamente, é um número bem inferior ao dos campeões atuais da Itália. No entanto, nenhum time reclama e a imprensa italiana não faz campanha para tirar os títulos de seu primeiro campeão.

    Tenho a impressão de que, às vezes, quando você desvia certas pessoas de um pensamento linear, elas se perdem. Compreendem números, quantidades, mas ficam confusas quando precisam lidar com a abstração.
    Reconheço que respeito, cultura, história, são coisas abstratas, de difícil quantificação. Porém, mesmo assim, esperava que estes conceitos não fossem tão estranhos mesmo para uma minoria de jornalistas – que parecem só se preocupar como o seu time ficará agora no ranking de campeões brasileiros.
    Ora, essa visão estritamente numérica é muito pobre, muito rasteira. Como temos dito, a unificação jogará luzes sobre um período de ouro do futebol brasileiro que estava indo para a lixeira da história. Haverá mais trabalho e mais temas a serem desvendados para quem não se incomoda em trabalhar e pesquisar.
    Essa redescoberta de um era dos sonhos é o grande tesouro dessa unificação. Saberá lidar com ele quem tiver disposição, talento e criatividade para mergulhar no passado e sair de lá com histórias e informações enriquecedoras. Porém, comparar conquistas anacrônicas, separadas por quatro décadas, com regulamentos e competições diferentes – apesar de terem a mesma finalidade – é o mesmo que colocar, lado a lado, um corredor de 100 metros rasos e um maratonista

  • João Vitor

    http://esporteeesportistas.blogspot.com/. Acessem meu blog sobre esportes. Basquete, com a NBA e o NBB, Fórmula 1, Moto GP, Tênis, Natação, Vôlei, Handebol, NFL, Rugby, MLB, MMA, Judô e muito Futebol. Principais campeonatos nacionais, Champions League, Europa League. Acessem, divulguem e comentem.

  • RIcardo S Andrade

    Gostaria de saber se eu consigo todas as capas do lance do campeonato brasileiro?

    Ricardo Pescoco

  • Sidney

    Belissimo post !!!

  • Caro Valdomiro, o jovem que esta prestando vestibular para medicina, jamais poderia torcer pelo time da fazendinha…zueira a parte, a verdade eh que o povo brasileiro ve na fe, na creendice popular como uma valvula de escape da realidade que vivem. Por mais que voce suba as escadas do Senhor do Bonfim pedindo pelo seu time, se aqueles que la estao para gerencia-lo nao o fizerem com competencia, nao ha santo que ira faze-lo. Talvez o pedido aos santos e santas devesse para afastar a corja que administra o futebol brasileiro. Boas festas.

  • vicente santos

    Prezado,
    Por favor, pesso que repasse ao colega que publica artigos dos clubes em jornal. Menos ao Bob colina, pois ele não publicará.

    É complicado falar, mas temos que desabafar. Espero ajuda de vocês e que divulguem, coloquem no ar.
    O vasco tá precisando no momento é de Presidente e diretoria de pulso, de organização e solução, que apareça na mídia, que cobre e mostre resultados. O Roberto Dinamite tá muito ruím, muito fraco mesmo! Afinal, o pensamento e as atitudes no vasco tem que ser grande e arrojado como a tradição do clube. VASCO DA GAMA, TUA IMENSA TORCIDA É BEM FELIZ, CADÊ? CADÊ OS RESULTADOS? Não se pode ficar disputando campeonatos com pensamentos pequenos e resultados piores ainda, como timinho e ainda aceitarmos isso. Posição lá atrás, derrotas e mais derrotas, humilhações de outro times, apenas classificação de sul americana. Cadê o VASCO VISTORIOSO, DE TRADIÇÃO, DE CHEGADAS E DIPUTAS EM QUASE TODOS OS CAMPEONATOS? O que é isso? Cadê o Clube de Regatas Vaco da Gama, acabou-se? A mídia quase não fala do vasco, quando fala é só pequenos cuchichos e conversas fora, e mais nada. As contrações, são sempre mais erradas do que certas, essa diretoria se contrata muito, e sempre errado. Cadê o Vascão da grande torcida? Já perdeu até para corintians e outros clubes. Cadê o vasco da virada, de luta, de chegada em todos os campeonatos, de títulos de 3 em 3 anos no máximo, Cadê? Já a vários anos e atualmente o vasco tá se tornando um clubinho, se contentando em ficar lá atrás nas disputas, com título de 2ª, CADÊ O VASCO? O que está acontecendo no Clube que já fora a 2ª maiort torcida do País? Reclamaram…
    …Tirou-se o Eurico prá melhorar, e na verdade piorou! Não sou Eurico não! Mas pergunto outra vez, cadê o Vasco? Precisamos sim é de acordar essa diretoria, se há dividas, não tem-se desculpas pois o vasco tem patrimônio grande, então vende-se e paga. Se é patrocínio que falta, busca-se. Pois o vasco tem torcedores ilustres e fortes ligados ao vasco e de grande patrimônio, grandes empresários, famosos. Porque não procurá-los e montar um excelente time, contratar bons jogadores e atrair á mídia, porque não? É disso que precisamos no clube, se é que podemos atualmente chamar o vasco de clube. De diretoria corajosa, forte, arrojada, determinada e com vontade de trabalhar e mostras resultados grandes, de colocar o vasco em posição de time forte, time grande, lá na frente custe o que custar. E não essa diretoria pacata, de pensamento de clubinho e ainda aceitando o fracasso que esta o clube e cada vez pior! Precisamos melhorar isso e urgente! chega dessa situação humilhante. ” VASCO DA GAMA: A TUA FAMA A SIM SE FEZ!” VAMOS NOS MOVIMENTAR TORCEDORES DO VASCO.

    Agradecería-os pela ajuda e publicação desta na emissora, e que também possa chegar a diretoria do vasco.

    Abraços.

    Vicente Santos

  • AMARAL

    SEI LA VIU,ADORO FUTEBOL MAS ACHO QUE ALGO DEVERIA SER FEITO PARA O BEM DO MESMO,SÓ SE FALA EM DINHEIRO .DOLARES,EURO COMO SE FOSSE BALA JUQUINHA,JOGADORES GANHANDO MILHOES,E OUTRO SEM SALARIOS A 3 MESES ,E EM CLUBES DE EXPRESSÃO.MEU CARO WALDOMIRO VC NÃO ACHA QUE JA ESTA NA HORA DE COLOCAR UM TETO SALARIAL A JOGADORES DE FUTEBOL??ISSO ACONTECEU NA NBA E DEU CERTO,ESTOU PERDENDO O GOSTO PELO FUTEBOL BRASILEIRO SABE,QUANTAS PESSOAS SE MATAM EM FABRICAS PARA GANHAR UMA MERRECA ,APOSENTADOS TRATADOS COMO LIXO,ENQUANTO POLITICOS E JOGADORES DE FUTEBOL JOGAM DINHEIRO PRO ALTO,AHHH MAS EU AJUDO UMA INSTITUIÇÃO,ELES DIZEM ISSO E ACHAM QUE ESTÃO FAZENDO GRANDE COISA,MAS Ñ CULPO ELES Ñ,EU CULPO QUEM PAGA ,EU CULPO QUEM Ñ POE RÉDIA NO MERCADO FUTEBOLISTICO ,ONDE É QUE NÓS VIVEVOS? O QUE ESTA ACONTECENDO COM O NOSSO FUTEBOL?UM EX:PALMEIRAS TENTANDO TRAZER GAUCHO E Ñ PAGA VARIOS JOGADORES A MESES,CORINTHIANS PAGANDO 180.000,00 AO SOUZA ,UM JOGADOR DO BANCO DE RESERVA QUE Ñ RESOLVE,SÃO PAULO PAGANDO CARO COM UM ELEFANTE BRANCO CHAMADO MORUMBI,PRECISANDO VENDER SHOWS ,MAS PAGANDO SALARIOS ABSURDOS PARA FERNANDÃO,RICARDO OLIVEIRA ETC…. OS CLUBES ESTÃO NAS MÃOS DA SUPER VALORIZAÇÃO SALARIAL DE JOGADORES.VAMOS OLHAR AO REDOR E VER QUE CLUBES PERDERAM SUAS ALMAS,ROGERIO CENI,MARCOS,WILLIAN SÃO IDOLOS QUE PENSAM NOS CLUBES QUE JOGAM,E ELES ESTÃO INDO EMBORA ,SE APOSENTANDO,DEPOIS DELES ACHO QUE NUNCA MAIS VEREMOS HOMENS IDENTIFICADOS PELO SIMBOLO DA CAMISA QUE VESTEM,DEPOIS DELES NUNCA MAIS VEREMOS JOGADORES DE NOSSOS CLUBES RECUSAREM PROPOSTAS DO EXTERIOR,DEPOIS DELES NUNCA MAIS TEREMOS UMA REFERENCIA DE TORCEDOR DENTRO DO CAMPO E CA PRA NÓS ,ELES PRATICAMENTE JA SE FORAM. QUANTA SAUDADE DE QUANDO EU JUNTAVA UM ALBUM DE FIGURINHAS DO CAMPEONATO BRASILEIRO E ESSE ALBUM VALIA DURANTE 5 ANOS COM OS MESMOS JOGADORES. SAUDADE ZICO DINAMITE ROMERITO PELÉ MARCELINHO CARIOCA RAI CESAR SAMPAIO ZETTI RONALDO REINALDO ZENON SOCRATES CASÃO DARIO PEREIRA VALDIR PEREZ BOBO GERSON CLODOALDO PEPE RIVELINO MARCOS CENI CAFU ETC…. ELES Ñ GANHARAM NEM 10% DO QUE UM GAROTO NO COMEÇO DE CARREIRA GANHA HOJE. ABRAÇOS É SÓ UM DESABAFO.

MaisRecentes

Cristiano Ronaldo, uma máquina de obstinação



Continue Lendo

As lições do ‘aspirante’ Carille no senso comum



Continue Lendo

Luxa vive um longo crepúsculo dos deuses



Continue Lendo