Máquina alemã e jejum argentino



Vulnerável era o lado direito, o lado direito era o vulnerável. Na estrutura drumonniana resumo o que foi esse chocolate germânico na Argentina. Parecia evidente que a Alemanha era mais time, mais conjunto, mais solidez… Nossos hermanos eram o talento individual, o Messi, o Tevez, o Agüero que poderiam decidir. Só que nos tempos modernos é cada vez mais difícil o fenômenos do jogador-que-ganha-sozinho, à Maradona 86. A Alemanha também tem individualidades fantásticas, tais como os monstros S, Özil e Müller, mas tem a carta fatal: um time, com toda a conotação de harmonia que ele pode (e deve) ter para ser vencedor.

A sensação antes do jogo era justamente de que para os argentinos ficava a esperança de um Messi contundente e resolvedor, mesmo sem Xavi e Iniesta ao seu lado… E que a defesa argentina, em especial no seu lado direito, não suportaria as investidas rápidas, de toques precisos, do ataque adversário. Pois foi esse o enredo que se viu. Um baile pelo setor. Baile que permitiu a Klose marcar duas vezes e ficar (isto é incrível!) a um gol de Ronaldo na ponta da tabela dos maiores artilheiros de todas as Copas. E que deixou Maradona estanque na lateral do campo, sem saber como reagir. Por essa o Pibe de Oro não esperava. Talvez porque acreditasse na repetição do seu fenômeno de 24 anos atrás, mas agora nos pés de seu camisa 10 Pulga.

A desolação argentina deve aumentar pelo fato da quinta Copa seguida sem conseguir nem mesmo chegar entre os quatro. Nesse período seleções como Bulgária, Suécia, Turquia, Coreia do Sul e Croácia, bem menos representativas no cenário internacional, conseguiram o que os sul-americanos não. A mesma Argentina que, se tem dois títulos mundiais, um foi em casa e o outro foi na base da maradonadependência. Já a Alemanha, agora mais qualitativa, é a rainha das semifinais. Apenas duas vezes não chegou entre os quatro primeiros. E aí vale a reprodução da velha frase: o futebol são 11 contra 11 onde no fim vence a Alemanha!



  • SOUTH AMÉRICA

    ARGENTINA E BRASIL NO MESMO VOO, E O MARADONA NA JANELINHA PQ GOSTA DE APARECER

    TEVE COMENTARISTAS OU TÉCNICO QUE FALARAM QUE A AMÉRICA DO SUL ESTAVA POR CIMA, PORQUE TINHA QUATRO TIMES NAS QUARTAS (KKKKKKKKKKKKKKKKKKK). NA AMÉRICA DO SUL SÓ EXISTEM DUAS SELEÇÕES: BRASIL E ARGENTINA!!!!!!!!!!!!!!!1

    NÃO SE ILUDAM, URUGAI E PARAGUAI SÓ CHEGARAM AÍ PQ FRANÇA E ITÁLIA ESTAVAM MUITO RUINS

    MAS AGORA, TEMOS ALEMANHA, HOLANDA E ESPANHA PARA VER QUEM FICA COM O TÍTULO….JUSTO PQ ELES SÃO OS MELHORES, NUMA ÉPOCA EM QUE A EUROPA NÃO ESTAVA LÁ TAO BEM (VIDE FRANÇA E ITÁLIA)

    PARA O BEM DO FUTEBOL, O URUGAI DEVE VOLTAR URGENTEMENTE PARA CASA, JÁ QUE DESDE 70 NAO MONTAM UM BOM TIME.

    O URUGAI SE CONTENTA HÁ MUITO TEMPO EM FICAR EM QUINTO NAS ELIMINATÓRIAS SUL AMERICANAS (MODESTO 50% DE DESEMPENHO), PARA JOGAR COM UM TIME MEDIOCRE DE OUTRO CONTINENTE (REPESCAGEM) E ASSIM CHEGAR A COPA E, NO MÁXIMO, ÀS OITAVAS DO MUNDIAL.

    ESPERA-SE, AGORA, QUE COM O DESEMPENHO SUPER INESPERADO NA COPA, OS GAROTOS DA REPÚBLICA ORIENTAL ACREDITEM NO POTENCIAL CELESTE, JOGUEM FUTEBOL E MONTEM FUTUROS GRANDES TIMES

    É TRISTE, POIS O URUGAUI JÁ TEVE GRANDES SELECOES NO PASSADO E ATÉ HOJE TEM ALGUNS GRANDES JOGADORES (DIEGO LUGANO E FURLAN, DARIO PEREIRA)

    MAS ESTE TIME DO URUGUAI MERECIA, NO MÁXIMO, CHEGAR AS QUARTAS DE FINAIS. NÃO FAZ BEM PARA A COPA VER ESSE URUGUAI NA SEMI FINAL

    O ÚNICO QUE PODIA FAZER FRENTE PARA O ATUAL TRIO DE FERRO EUROPEU (HOLANDA, ALEMANHA E ESPANHA) SERIA O BRASIL, QUE TEM UM BOM TIME, GANHOU TUDO O QUE DISPUTOU, MAS PERDEU A COPA PARA OS LARANJAS.

    A ARGENTINHA TBEM TEM CAMISA E BONS JOGADORES, MAS MARADORANA COMO TÉCNICO É SOFRÍVEL, E, PELO QUE FEZ A ARGENTINA NAS ELIMINATÓRIAS, O PLACAR DE QUATRO PARA ALEMANHA CAIU BEM PARA OS HERMANOS.

    AINDA BEM QUE EXISTE A EUROPA QUE, MESMO COM O FIASCO DA ITÁLIA E A FRANÇA, TEM OUTRAS FORÇAS QUE PROPORCIONAM UM BELO ESPETÁCULOS ÀS COPAS

    AVANTE BRASIL !!!!!

    MELHORE ARGENTINA (SEM O MARADONA COMO TÉCNICO) !!!!

    VOLTE A SER GRANDE URUGUAI !!!!

  • Robson Strauss

    Tantas críticas à forma de jogar da nossa seleção, e agora elogios a Alemanha?
    Creio que se vencesse o Brasil, a história seria outra… hahaha
    Ontem enviei um comentário que a “FAMOSA MODERAÇÃO”, nào aprovou:

    Robson Strauss disse: O seu comentário está aguardando moderação.
    3 de julho de 2010 às 3:51
    Como os jornalistas se contradizem sem perceber ou importar-se. Será que pensam que os leitores não sabem analisar, que comem pelo que lêm?
    Acaba de elogiar a Holanda, por não ter um futebol vistoso, mas que rende frutos no placar… Se for piada, conte uma inteligente, para que se possa rir.
    A Holanda o que teve hoje foi muita sorte. O Brasil, é sem sombra de dúvida a melhor equipe deste mundial, e sua eleiminação foi a maior surpresa até agora, que só será suplantada se ou Paraguay, ou Uruguay ou a mesma Holanda forem os campeões.
    Nosso time é um equipaço, e nosso técnico, um virtuoso, que seguramente terá seu trabalho seguido com o próximo técnico, principalmente se for Felipão, e êles técnico e jogadores, nos encheram os olhos e o coração de alegria e orgulho, com títulos na copa América, Confederações e o lugar número 1 nas eliminatórias, e também jogos deslumbrantes nêste mesmo mundial, inclusive na maior parte do jogo contra a Holanda, que estavam arroupados e perdidos… O Brasil podia e deveria ter sentenciada a partida ainda no primeiro tempo, mas cometeu erros, principalmente o Felipe e o Michel.. Acontece é um J-O-G-O… Mas, agradeço sinceramente a êstes jogadores, pelas alegrias e por terem feito da Argentina um freguês…e a êste técnico inovador, para o padrão brasileiro, por tudo o que fez e por ter sabido responder aos pseudo-jornalistas, técnicos de bar e churrascada, como um verdadeiro HOMEM QUE É…

    HOJE ENVIEI ESTA:

    O seu comentário está aguardando moderação.
    3 de julho de 2010 às 16:37

    Que interessante, na madrugada de hoje enviei um comentário parecido com o de Santiago Nakayama, com quem estou totalmente de acordo, somente não me dispus a propor que “jornalistas” encarassem a função de técnico (ne deu medo tanta imcopetencia em campo), mas me somo agora.
    Bom, o meu citado comentário não foi publicado (não passou pela moderação?), talvez porque tenha dito com todas as letras que Dunga mostrou ser um HOMEM de verdade, e porque haja dito que os pseudo-jornalismo esportivo brasileiro conta com “repórteres” sem comporomisso com a informação, mal intencionados, sem respeito pelos leitores, inconsequentes com suas palavras que tratam como se de fumaça ao vento se tratasse, enfim um grupo de pessoas que não HONRAM suas palavras, porque desta qualidade não dispõem…
    Só isto, nenhum “palavrão”, que justificasse nãp passar pela “moderação” (entre aspas SIM)…
    Robson Strauss
    ichibanjosun@hotmail.com

  • Keyci Cisney

    Você acha que o Brasil de hoje vai aguentar mais quanto tempo a ditadura de fazedores de opinião como a Globo? Os jornalistas, em geral, deveriam entender que o Dunga tinha o direito de exercer o seu trabalho da melhor maneira possivel. Ele foi um jogador de enorme valor. Chega de valorizar o que nunca prestou, gente como Maradona, Obhama, etc. A Globo e jornalistas decadentes, frustrados e com baixa estima pensam que depois da transformação que passamos com o presidente Lula vamos engolir qualquer coisa? Infelizmente tínhamos um jogador, Felipe Melo, que não soube avaliar a dimensão da oportunidade que o Dunga lhe deu. Chega de jogador pilantra e sem comprometimento com o país. Dunga, o malhado, teve importantes vitórias; mas Maradona, o “simpatico que liberava e entendia os jogadores”, não teve essas vitórias, perdeu de 4 a 0 no final e foi humilhado.

  • santi

    A los amigos brasileros, es hora que Teixeira y Grondona se junten y presionen para que los jugadores de los dos mejores equipos del mundo puedan tener tiempo de preparacion, no puede ser que antes de un mundial o de una eliminatoria nos juntemos en el aeropuerto y salgamos al campo de juego. O me van a decir que la defensa y ataque de Brasil jugador por jugador es peor que la de Holanda, o que la defensa y delantera de Alemania jugador por jugador es mejor que la de Argentina, la diferencia esta en el trabajo previo y que los jugadores europeos estan a disposicion de su tecnico ,y para nosotros Mesi o Felipe Melo tienen un viaje de 12 o 15 horas para verle la cara a Dunga o Maradona. En europa facturan millones gracias a nuestros jugadores pero cuando tienen que cederlos a la seleccion no lo hacen o ponen trabas, luego lo que pasa siempre , como en el 2006 que ganan los Campeonatos mundiales y se los llevan los equipos especulativos y poco vistosos como Italia y ahora seguramente Alemania, España Holanda, con suerte Uruguay. Salute y hasta el 2014…

  • JABÁ JUNIOR

    A GRANDE VERDADE É QUE NESSA COPA, ENQUANTO DUNGA LUTAVA PRÁ QUE O BRASIL TENTASSE SER A “ALEMANHA DAS COPAS” E NÃO CONSEGUIU, A ALEMANHA CONSEGUIU SER O BRASIL QUE O BRASILEIRO TANTO QUERIA…

  • Lokoflu

    Com exceção da Alemanha, que tem um estilo e contundência acima dos outros, o resto tá bem parecido. O Paraguai podia ter mandado a Espanha para casa, jogou bem, criou muitas dificuldades dentro das suas limitações e ainda foi prejudicado em dois lances capitais pela arbitragem (no gol legítimo e no penalti que teve invasão), mas a Espanha também não enfrentou uma seleção forte de verdade nessa Copa, vai enfrentar agora nas simifinais.

  • José Renato

    Uma EQUIPE sólida como a Alemanha SEMPRE vencerá um BANDO como o da Argentina. Um bando com muita habilidade do meio pra frente, mas um bando…

    Sabe o significado da sigla FIFA? Federação Internacional de Futebol de Associação… Não é Futebol Rúgbi, nem Futebol Americano, nem Tênis, nem nada: é FUTEBOL DE ASSOCIAÇÃO.

    E, mais do que nunca, se ganha com uma equipe sólida, não com um bando de Globetrotters!

    O Dunga tentou, mas a solidez morreu no Felipe Melo. Uma pena…

    COM GANSO E NEYMAR, DUNGA PARA 2014!

  • Alex Tavora

    Valdomiro você fala de Máquina alemã, agora porque a grande maioria da mídia antes de uma copa do mundo fala e escreve sobre as virtudes do futebol brasileiro, holandês, inglês, argentino, francês etc e sobre o alemão é a mesma coisa , nunca está entre os favoritos, está sempre no que vai decepcionar, futebol mecãnico e pragmático, determinismo táctico e força física.

    Aí começa a Copa e muitas dessas seleções da mídia vão sendo eliminadas e quase sempre e a seleção alemã que chega no mínimo as semifinais, o porque disso?

  • gilberto lima

    êae valdomiro neto ,cadê o “melhor jogador” da copa?,eu te falei messi é um jogadorzinho de clube,o que ele fez pela argentina, não é 1/2 do que ele já fez pelo o barcelona,concorda?.E outra, quando vc se refere ao jejum argentino,vc quer dizer os dois jejuns: o da seleçâo por não conquistar um título desde de 1986, e o messi “melhor do mundo”,óóóóóóó… craque messi por não fazer um golzinho se quer no mundial 2010…tchau e um abração.

  • Acompanho o lancenet já há algum tempo, e como você citou a Máquina Alemã, a qual concordo plenamente, segue minha humilde análise do jogo. Por favor faça seus comentários assim que desejar.

    Alemanha na semifinal

    Em passagem pela Itália, Paulo Roberto Falcão entrevistou José Mourinho, técnico da Inter de Milão e um dos treinadores mais respeitados do mundo

    A entrevista foi publicada pela edição eletrônica do jornal Zero Hora (http://zerohora.clicrbs.com.br) no dia 06 de fevereiro de 2010. Falcão fez uma grande entrevista com várias perguntas, mais uma me chamou atenção e fiz questão de reproduzi-la, na integra.

    Falcão – No futebol atual, é indispensável que todos marquem? O craque do time precisa marcar?

    Mourinho – O craque? O craque é a equipe! Ganhamos todos e perdemos todos. Somos todos iguais. Mas trabalhar devem trabalhar todos. E um atacante pode trabalhar se pressionar o seu adversário na frente. Sem correr muito, pode atrasar a saída do adversário para o contra-ataque. Sim, sim, temos todos que trabalhar.

    Fiquei com essa resposta na mente e continuei trabalhando no futebol e assistindo jogos da Copa da África. Já tinha me impressionado da maneira que se comportou a seleção do Uruguai, a seleção da Espanha, a seleção da Holanda, mais fiquei impressionado com a seleção da Alemanha.

    Parece que o técnico da Alemanha Joachim Löw tem a mesma linha de pensamento do técnico José Mourinho. Ambos acham que o craque em um time de futebol é a equipe! Todos trabalham em sincronia para o bem do grupo.

    Diferentemente do técnico da seleção Alemã o argentino Diego Maradona, pautou sua equipe para o individual. E até jogar contra a seleção Alemã, Tevez, Higuaín, Maxi Rodriguez, Di Maria e Messi lhe davam esse respaldo, só que sucumbiram quando enfrentou os triângulos montados por Joachim Löw.

    Vamos aos comentários:

    ALEMANHA SEM A POSSE DE BOLA

    Quando a seleção da Alemanha estava sem a posse de bola optou por jogar flutuando de um lado para o outro na horizontal, e sua referência sempre era a bola. Com esse tipo de movimentação os atletas da Alemanha mantinham a estrutura dos triângulos sem perder a referência ou a estrutura montada por seu técnico. Pelo lado esquerdo do campo de defesa da Alemanha, utilizou Lukas Podolski que dava o primeiro combate na posição dois ou três. O segundo combate ficou a cargo de Jérôme Boateng (lateral esquerdo) na posição três ou quatro e formando a ponta do triângulo Schweinsteiger (craque), atuando na posição três, quatro e se fosse necessário na posição cinco. Pelo lado direito o triângulo era formado por Lahm (lateral direito), Sami Khedira (volante) e Thomas Müller (volante, atacante, artilheiro!). A posição de marcação era a mesma do lado esquerdo. Diferentemente da Seleção holandesa Klose dava combate até o meio campo, talvez devido à idade o seu técnico tenha criado um esquema onde o finalizador não tivesse desgaste na marcação e ficasse preparado para finalizar o que o faz com competência. Özil é o homem da criatividade, mais também flutua no momento sem posse de bola.

    ALEMANHA COM POSSE DE BOLA

    Quando está com pose de bola, vira uma avalanche. Seu técnico coloca entre seis a sete atletas no campo do adversário com qualidade, utilizando ultrapassagem e com atletas surpresa, ou seja, os volantes chegam para finalizar. Com esta postura obrigava o selecionado Argentino a marcar. Detalhe: Tevez, Higuaín e Messi não faziam recomposição, só atacavam o que deixava o meio de campo da Alemanha livre para atacar.

    O selecionado Alemão utiliza um revezamento de posições dentro do setor, sem mudar a estrutura do esquema e agora os triângulos permanecendo no ataque o que facilita a recomposição. Observem Lahm lateral direito, faz à diagonal ou linha de fundo. Khedira se apresenta ao ataque sempre que a bola está do seu lado de jogo. Os pilares da ponta dos triângulos Muller que o faz pelo lado direito tem maior liberdade para flutuar, pois foi ele quem deu o passe para Podolski servir Klose no segundo gol. Muller estava pelo lado esquerdo do campo de ataque da Alemanha. Schweinsteiger o pilar do lado esquerdo, raramente muda de lado, trabalha com classe pelo seu setor e fez a jogada que resultou no terceiro gol da Alemanha pelo lado esquerdo. Então a Alemanha não tem só a função de marcar. Özil flutua pelo lado direito e esquerdo, atua como segundo atacante e deu um passe milímetro para Klose marcar o quarto gol da Alemanha. Marcar é uma das funções do todo. E como faz uma equipe ter eficiência para defender e atacar? Existem algumas explicações que podem ou não agradar os leitores.

    1) A primeira variável que encontro é anular o adversário, não deixar que o mesmo jogue. A Seleção Alemã utilizou contra Argentina marcação meia pressão (intermediária para trás, alguns dizem que é zona 2) e (meio campo para trás, zona 3), sempre com a marcação por zona e de forma agressiva na virada da bola. Isso fez com que os dois armadores da Seleção Argentina, Messi e Di Maria fossem receber a bola no seu campo de defesa. Este tipo de postura deixou isolados Tevez e Higuaín que não eram abastecidos. Esta postura tática tirou a velocidade da seleção Argentina e ficaram os noventa minutos na dependência de Messi.

    2) Com o desarme sendo feito na intermediária adversária ou no meio de campo, iniciavam o ataque agrupados e com movimentação. Os atletas que vem de trás servem de estrutura para Özil e Klose;

    3) Não sei se é surpresa o terceiro item, mais a recomposição da seleção alemã para que os triângulos fossem formados é de impressionar, pois mesmo atacando com eficiência não permitiam a Argentina contra atacar. E para que isso aconteça se faz necessário detalhar: a) no setor que a Alemanha perdia a bola, lá começava a marcação; b) aplicação tática; c) condicionamento tático; d) resistência e força especial; e) sincronismo no momento de ocupar espaço; f) e treinos direcionados para resolver os problemas enfrentados durante a partida.

    Maradona tentou, colocou mais um atacante com o intuito de fazer pressão na defesa da seleção Alemã. Só que tem um detalhe, Tevez, Higuaín, Messi e Agüero, não retornava para marcar o meio nem faziam recomposição com velocidade. Antes eram três, com a entrada de Agüero, passou a ser quatro atletas com uma única função, atacar. A Alemanha segurou sua linha de zaga, como não permitia o contra ataque o jogo permaneceu tranqüilo e a Alemanha fazendo gols.

    A Argentina continuava tentando, Maradona adiantou Messi, para tentar recuar os volantes da Alemanha, mais era tarde, a Alemanha já estava na semifinal. Foi uma demonstração de como uma equipe organizada e estruturada venceu a individualidade.

    Abraços

    Prof. Serginho

  • davenir

    Quem será que Ricardo Texeira vai escolher p/amarmos e odiar nos próximos 4 anos.

  • Eduardo Alves Silva

    O Brasileiro adquiriu uma cultura futebolística,que nosso país é o favorito para ganhar todas as copas, isso é culpa de certa parte da mídia,onde jornalistas e comentarístas irresponsáveis , credenciam nossa seleção sempre como a grande favorita,os tempos mudaram , a evolução dos jogadores em outros países é real, muitos brasileiros atuam em todos os cantos do plâneta. E além de tudo, passamos por outras evoluções, como:técnicas de futebol, preparação psicológica, física e, acima de tudo, a interligação futebolística mundial. O que não houve evolução, foi a mentalidade desses profissionais e cultura do povo do ex-país do futebol. A grande prova é a Alemanhha que joga igual a qualquer seleção Brasileira em todos os aspectos. Ainda, cito a Espanha, Holanda, Argentina, EUA, Argelia, Chile,Gana, França, Itália , hoje, quase todos os países jogam um bom futebol, portanto, não crucifico nem Dunga, nem qualquer jogador, perder ou ganhar uma partida de futebol, atualmente, é super natural. Eu estou preocupado é com a vaidade do brasileiro , se cada um quiser ser o pai da matéria, vamos fracassar em 2014 e 2016. Aliás, o atleta olímpico brasileiro anda de cúia na mão, muita promessa e, pouco ou quase nenhum investimento. Aqui a preocupação deve ser com o superfaturamento das obras e holofotes para políticos picaretas .

MaisRecentes

Cristiano Ronaldo, uma máquina de obstinação



Continue Lendo

As lições do ‘aspirante’ Carille no senso comum



Continue Lendo

Luxa vive um longo crepúsculo dos deuses



Continue Lendo