Xabi Alonso ‘vinga’ seu pai



Nas Copas do Mundo não são apenas as marcas numéricas que merecem registro. Nesta segunda-feira, por exemplo, todos souberam que a Suiça, pátria-mãe do horrendo ferrolho, bateu o recorde de minutos sem levar gols. Superou a Itália do goleiro Zenga. Mas poucos conhecem a história que envolveu Xabi Alonso no jogo Espanha 2 x 0 Honduras, que ressuscitou os campeões europeus.

Como relata belamente o site do jornal espanhol El País, o volante consumou no confronto ‘la venganza de Periko’ (a vingança de Periko). Explico: Periko é o pai de Xabi e atuou em um dos jogos mais tristes da história da Fúria. Foi no dia 16 de junho de 1982, na partida de estreia da equipe no Mundial em que era anfitriã. O empate por 1 a 1 com a mesma Honduras consternou o estádio em Valencia. Com apenas um ano de idade, Alonso não sentiria à época a dor de seus compatriotas, muito menos do progenitor.

O gol hondurenho em 82, marcado por Zelaya (não o presidente deposto, mas um jogador de mesmo nome), foi presenciado a poucos metros por Periko, que havia perdido a jogada um pouco antes.

A história acontece na mesma semana de outra envolvendo familiares e adversários similares. O mexicano Javier Hernandez fez o primeiro gol contra a França e repetiu a façanha de seu avô, Tomás Balcázar, que fora às redes contra os mesmos franceses no Mundial de 54, na Suiça. A diferença é que na ocasião os norte-americanos perderam para os europeus por 3 a 2. Ou seja, também teve um traço de vingança.

A Copa do Mundo pode ser um relicário de histórias!



MaisRecentes

O Grêmio não enfeitiça os anseios de Tite



Continue Lendo

Alemanha x Brasil: aprendizado por linhas tortas



Continue Lendo

Messi ameaça driblar o tempo



Continue Lendo