Maradona põe a Argentina no ataque



E parece que Maradona vai escalar a Argentina do jeito que o diabo gosta, no bom e no mal sentido – perdão, Mefistófeles! Enquanto repetimos que Dunga é previsível e tem um time obreiro, sem arrojo ofensivo, na Argentina não faltam testes e mais testes para definir o time da estreia na Copa do Mundo. No treino deste sábado surgiram fortes indícios de que Dieguito não quer saber de contenção. Moderação não é definitivamente a sua praia.  Como craque que foi, vai colocar o time no ataque contra a Nigéria. Tevez é o nome que deve polvilhar o time de ofensividade.

Na prática (como chamam os argentinos), o treinador largou mão do 4-4-2 tradicional, e vitorioso no amistoso contra a Alemanha, diga-se, por uma espécie de 3-3-2-2, puxando o estabanado Jonas Gutierrez para a direita mais adiantado, ao lado de Mascherano, com Verón livre à frente, e com Messi e Di Maria encostando na dupla de ataque Higuain e Tevez. Na tradução, podemos achar que surge assim um quadrado mágico versão alviceleste (pronto para afundar como a matriz verde-e-amarela de 2006?).

Não sabemos se dará certo, óbvio! Mas essa faceta imprevisível de Maradona é uma delícia. Tem toques de milonga. A passionalidade parece ter prioridade. Pode ser também que o Pibe pense: “contra Nigéria, Coreia do Sul e Grécia, adversários escancaradamente inferiores, posso fazer isso. Depois, lá na frente, contra bicho-papões do tamanho de uma Alemanha, um Brasil, uma Itália, eu volto à formação mais moderada.”

O fato é que se já existe muita expectativa para os jogos de nossos hermanos no Mundial, por conta principalmente de Tevez, ela só aumenta com essa injeção de ousadia. Numa conversa recente com um jornalista do Olé, por MSN, ele me dizia que a tendência é Maradona escalar Carlitos na time titular (vai ter corintiano torcendo pela Argentina?).

O técnico gosta do pupilo, ídolo do Boca como ele, aguerrido como ele, e que vive fase plena no seu futebol. Com o trio Demichelis, Samuel e Heinze atrás não dá para dizer que o goleiro Romero está protegido. É um risco danado. Talvez a aposta na capacidade marcadora da dupla Mascherano e Gutiérrez conte muito. Porém, pode também ser um modelo Santos 2010 estendido para o nível das seleções. Tomar gols não é a questão, mas sim marcar mais que o adversário. Isto já é mais uma suposição minha, a bem da verdade. No entanto, dá para arriscar que Diego pense assim. E se Messi disse ter “certeza” que será campeão do mundo….

A Argentina que deve enfrentar a Nigéria (por conta e risco do escriba quanto àos ‘cinco minutos’ de Maradona) então é: Romero, Demichelis, Samuel e Heinze; Jonás Gutiérrez, Mascherano, Verón, Di Maria e Messi; Higuain e Tevez Veremos já no dia 12, daqui uma semana, portanto!



  • Luiz

    Essa zaga não tinha jeito não, é isso mesmo. Agora imagine sem o Gutiérrez e com o Cambiasso dando a proteção. E com o Zanetti fazendo o terceiro zagueiro… e pra mim o Higuaín perde vaga pro Aguero.

  • Wilson Constanti

    Caro Valdomito,

    Não faltam fatos e fábulas que conspiram para que a Argentina se sagre campeã nesta copa. A albiceleste tem os melhores atacantes e meia-armadores do planeta, saiu desacreditada de seu país, perdeu a Copa das Confederações e a Copa América, tem um técnico (maluco, é verdade) que pode colocar em campo um time para frente com o que tem de melhor (ao melhor estilo canarinho em 1970), faz 24a que não ganha uma copa, o possível rival na final será europeu, etc, etc..

    A seleção de volantes do Dunga deve sair ainda na fase de grupos. E nos resta torcer para ver Maradona tricampeão. A menos que queiramos dormir com o fantasma de ver o tri acontecer na final contra o Brasil no lazarento Maracanã em 2014!

  • Miro

    Neto,
    Vou torcer declaradamente para sucesso de Maradona (pelo bem do futebol) .
    Me cansei de ouvir a resposta de “técnicos” como o Dunga para quando alguém diz que a seleção de 82 foi a melhor de todas : É mas não ganhou…
    Para este tipo de “técnico” craques como Zico , Sócrates , Junior , Falcão e mestre Telê não são valorizados pois não foram campeões do mundo pela seleção como Dunga , Mauro Silva , Zinho ,etc.

  • alex

    Olha…tá com cara que vai tomar uma pancada logo de cara!!!!
    Toda a Copa é a mesma coisa a Argentina e a Holanda jogam muito, são maravilhosos!!!
    A Argentina não tem goleiro desde 1990!!! De Michellis, Heinze, Samuel e Mascherano batem muito e jogam nada!!! Veron de 3º homem no meio campo, nem quando ele era ótimo jogador em 98!!!!!!!
    Se a bola não chega não tem como o Messi e cia fazer a diferença!!!

  • Bruno Pilar

    A seleção da Argentina será consideravelmente uma das favoritas para a copa, o Diego estará colocando em campo o que ele tem de melhor que o ataque. A Argentina para mim é um incógnita, pode ser uma realidade ou apenas um bom sonho, sem dúvidas é a seleção mais forte tecnicamente junto com a Espanha, jogadores que são ídolos em seus clubes e que vivem uma excelente fase. A defesa da Argentina é sem dúvida o ponto fraco deste time, pela escalação que o Valdomiro colocou para estréia, jogadores como Demichelis, Heinze e o próprio Jonás não me inspiram confiança, ao contrário do meio de campo que sem dúvida o Di Maria e o Véron vivem ótima fase e o ataque sem comentários. Se fossemos jogar no papel a final da copa seria a Argentina e a Espanha, mais para mim as seleções africanas vão supreender no futebol, outra seleção que pouco se fala mais que possui um bom futebol é a Sérvia, que para mim vai ser umas da principais supresa nesta copa contando com jogadores com Vidic, Stankovic e Krasic que joga no CSKA que é um dos melhores jogadores desta equipe e outra é o nosso Brasil. Acredito que o Brasil tem possibilidades reais de ganhar esta Copa, pois o futebol é simples, o jogo é jogado, ninguém ganha sem entrar em campo, o Brasil possui um time, previsível e pragmático mais um time que joga de forma racional assim também com a Sérvia que se classificou em 1ª nas eliminatórias que possui um time coeso e ouso a dizer um meio de campo melhor do que o nosso. Finalizando falando da Argentina vamos ver se a Argentina é boa individualmente ou será que Dieguito conseguiu montar um time, vamos ver para tirarmos as conclusões.

MaisRecentes

Neymar, entre a guilhotina e ‘la vie en rose’



Continue Lendo

Do ‘gênesis ao apocalipse’, Felipe Melo tropeça no verbo



Continue Lendo

Um Dérbi sob o signo da invencibilidade



Continue Lendo