Extracampo pode atrapalhar ingleses



Os ingleses, tidos oficialmente como os inventores de futebol, têm história pouco equivalente à sua magnitude em Copas do Mundo. Tanto que depois do título de 66, contestado por muitos por causa do gol irregular de Hurst na final contra a Alemanha (vídeos mostram que a bola realmente não entrou), nunca mais conseguiram chegar a uma final. Aquela da Era dos Beatles continua sendo única. Agora chegam com uma expectativa enorme para a Copa da África do Sul, com um técnico laureado e competitivo e um time forte. Não são poucos os que colocam o English Team no grupo de favoritos ao troféu ao lado de brasileiros e espanhóis. Mas nas últimas semanas acontecimentos têm contaminado o ambiente….

A traição do zagueiro John Terry ao ex-amigo Wayne Bridge fez o primeiro perder a faixa de capitão e o segundo desistir da seleção. Não sabemos quem é próximo de quem no grupo inglês, mas um racha pode acontecer. E estamos exaustos de saber o quanto coesão é importante para que as conquistas aconteçam no futebol, não? As câmeras neste domingo focalizaram a recusa de Bridget em cumprimentar Terry no ritual tradicional antes do superjogo Chelsea x Manchester City.

O lateral-esquerdo Ashley Cole também vive atormentado em sua vida pessoal. Seus casos extraconjugais vieram à tona pela sensacionalista imprensa britânica e seu casamento foi para o vinagre.

O clima no hotel da seleção inglesa, que na quarta-feira enfrentará o Egito, campeão africano, em partida amistosa, não deverá ser dos melhores. Capello já alertou:

– Os mais jovens olham esses jogadores como modelos. E por esse motivos os jogadores devem ter comportamento que sejam modelares para essas gerações – recado mais claro impossível.

Capello tem mais uma ‘bomba’ para segurar. Neste sábado, um lance que pareceu um deja vú da contusão de Eduardo da Silva há dois anos, o galês Ramsey, do Arsenal, levou dura entrada do zagueiro Ryan Shawcross, do Stoke City, e fraturou a perna. Na TV a imagem foi impressionante, com jogadores da equipe londrina desesperados e o ‘infrator’ saiu chorando de campo. O fato é que minutos depois, Shawcrosse constava da lista de Capello para o jogo ante os egípcios. Diz o noticiário que o treinador hesitou mas acabou chamando o atleta. Agora não dá para saber em que condições psicológicas ele estará.

Pouca coisa para Capello administrar a pouco mais de três meses da Copa?



MaisRecentes

Cristiano Ronaldo, uma máquina de obstinação



Continue Lendo

As lições do ‘aspirante’ Carille no senso comum



Continue Lendo

Luxa vive um longo crepúsculo dos deuses



Continue Lendo