Mais sete classificados à Copa



Depois de um sábado gordo, conhecemos mais sete países classificados ao Mundial: Chile, México, Alemanha, Dinamarca, Itália, Sérvia e Costa do Marfim. Os sérvios, herdeiros da antiga Iugoslávia e que na última Copa estiveram ao lado de Montenegro, disputarão o primeiro Mundial de forma independente. Alemães e italianos, cingidos por sete títulos mundiais ao todo, não poderiam falta. Dinamarqueses, sempre de futebol descontraído, retornam após ausência na Alemanha há três anos. Chilenos retornam depois duas edições de ausência e com uma geração. Mexicanos eram barbada, mesmo com o mau início nas Eliminatórias, e vâo à quinta Copa consecutiva. E Costa do Marfim, que debutou em 2006, parece que gostou da experiência e volta a ter Didier Drogba.

Itália e Alemanha, aliás, mostraram como tradição e pragmatismo dão resultados no futebol. Tinham desafios dificílimos, e diretos, fora de casa, e se sairam bem. Os germânicos venceram a Rússia, com um ótimo time montado pelo mago Guus Hiddink e de jogadores como Arshavin, Semshov e Pavluvchenko, em Moscou. E os italianos, com um gol de Gilardino no minuto final, arrancaram empate com a Irlanda, em Dublin. Duas candidatas ao título ano que vem, com todas as ressalvas que possa-se fazer ao atual time de Marcello Lippi.

Registre-se nas Eliminatórias Europeias que a Eslováquia perdeu uma oportunidade de ouro de classificar-se de forma inédita para um Mundial ao perder em casa para a Eslovênia por 2 a 0. E de quebra deixou de ajudar sua “ex-associada” República Tcheca (formaram décadas atrás a Tchecoslováquia), que agora tem chances remotíssimas de ir à repescagem. Por outro lado, a Bósnia é a surpresa ao garantir vaga no rebolo. A França também está lá. E Portugal, dado como morto, favoreceu-se da derrota da Suécia para a Dinamarca no confronto escandinavo, e também a presença do artilheiro brasileiro naturalizado Liédson, e agora vai para a repescagem. Muita água ainda vai rolar, mas mês que vem teremos todos os 32 classificados à Copa.  



MaisRecentes

Guttman, uma bela e vitoriosa trajetória



Continue Lendo

Palmeiras x São Paulo: rivais contra o vexame



Continue Lendo

Neymar, entre a guilhotina e ‘la vie en rose’



Continue Lendo