Itália, Eslováquia e Sérvia com pé na África



Agora que faltam duas rodadas para terminar a fase regular das Eliminatórias Europeias é bem mais fácil traçar um panorama. Três dos nove grupos já conhecem seus campeões e, por conseguintes, classificados ao Mundial. Espanha, Holanda e Inglaterra já podem planejar tudo para a disputa da Copa. Outras seis chaves ainda estão indefinidas, assim como os oitos países que competirão, na respescagem, pelas últimas quatro vagas. Podemos dizer que Itália, Eslováquia e Sérvia estão com um pé e meio na competição. Só perdem a vaga se zebras acontecerem.

Ao derrotar a Bulgária por 2 a 0 e acender uma chispa do futebol campeão mundial, a Azzurra abriu quatro pontos de diferença para a Irlanda. E mesmo que perca na próxima jornada para os irlandeses em Dublin, ainda assim terão que apenas superar a fragílissima equipe do Chipre, em casa, para ir ao Mundial. Ou seja, podem colocar o time de Lippi na Copa. A Eslováquia também precisa de muito pouco para ir a uma Copa como país independente – foi como Tchecoslováquia já. Necessita de uma vitória diante da Eslovênia em Bratislava, na próxima rodada, e fim de papo. E mesmo com uma derrota ainda obterá a vaga com os três pontos diante da Polônia, carta fora do baralho, na casa adversária. E a Sérvia, que estaria já classificada se tivesse vencido a França (empate por 1 a 1), precisa de um triunfo nos dois confrontos que lhe restam – contra Romênia, em casa, e Lituânia fora – para ir a seu primeiro Mundial como nação independente.

Alemanha, Suíça e Dinamarca hoje lideram os outros grupos, porém ainda têm um caminho árido a percorrer para evitar a respecagem. Os alemães lideram o grupo 4 com um mísero ponto à frente da Rússia (22 a 21). O detalhe é que as duas seleções se encontrarão em outubro em Moscou. Os teutônicos vão pelo empate, mas uma vitória da equipe de Guus Hiddink não pode ser descartada. A Suíça tem três pontos de vantagem para Grécia e Letônia. E terão pela frente Luxemburgo, fora de casa, e Israel, em território suíço. É perfeitamente possível, e até provável, que vença os dois jogos. Mas se perder um deles pode ser empurrada para trás. E a Dinamarca, que tropeçou ao empatar por 1 a 1 com a Albânia, segue na ponta do Grupo 1. Só que precisa abrir o olho. Os dois jogos finais serão em casa, no entanto o primeiro será um clássico escandinavo contra a Suécia, segunda colocada. Uma derrota injetará pressão.

França e Portugal, semifinalistas na Copa da Alemanha, veem com nitidez a possibilidade de assistirem ao Mundial sul-africano pela televisão. Os franceses menos, já que é quase certa a participação gálica na repescagem. Mas Portugal, que conseguiu uma vitória importante diante da Hungria, não depende somente de suas forçcas. Mesmo que vença a própria Hungria e Malta, em casa, precisa torcer para que os suecos não derrotem os dinamarqueses.

Para não ficar em cima do muro e dar a cara a tapa vou fazer minhas apostas:

Classificados diretos: Espanha, Holanda e Inglaterra já estão. As outras vagas ficarão com Dinamarca, Alemanha, Eslováquia, Itália, Suíça e Sérvia.

Repescagem: Portugal, Bósnia, Croácia, Rússia, Irlanda, Grécia, França e República Tcheca.

 



MaisRecentes

Para que servem os títulos estaduais?



Continue Lendo

Galeano e o espírito do hooliganismo na Libertadores



Continue Lendo

Dérbi de Milão no almoço para chinês ver



Continue Lendo