Dois candidatos ao título na África



O Mundial da África do Sul já tem dez integrantes. Nesta quarta, conhecemos mais dois classificados, ambos pela zona europeia. E que classificados! Espanha e Inglaterra obtiveram a vaga com oito vitórias em oito partidas. E carimbaram passaporte restando ainda dois jogos a cumprir. E não se pode dizer que os caminhos foram simples, balsâmicos. Pois se na América do Sul quase metade das equipes obtem vaga direta, na Europa, que tem certamente o maior número de boas seleções, apenas o líder de cada chave segue diretamente ao Mundial. Os ingleses tiveram croatas e ucranianos como rivais de peso, sendo que os primeiros carregavam ainda o peso de terem evitado a classificação britânica para a última Eurocopa. Os espanhóis, atuais campeões continentais, confirmaram o favoritismo em grupo com Bélgica, Turquia e a surpreendente Bósnia, que deve disputar a repescagem.

A classificação inglesa veio em grande estilo, com um imponente 5 a 1 na Croácia – fantasma exorcizado de vez? Os espanhóis fizeram o tal deve de casa e enfiaram 3 a 0 na Estônia. É um dia para ficar de olho porque as duas seleções são candidatíssimas ao título mundial. Você acha que é forçassão de barra? A tendência é pensar isso, no entanto há argumentos para contestar o pensamento comum. Sim, a Espanha nunca foi campeã do mundo e não chega entre os quatro melhores desde 50, no Brasil. Sim, a Inglaterra tem apenas um título mundial, conquistado em casa, em 66, em arbitragens calamitosas, como a da final contra a Inglaterra que deu gol de Hurst em lance repetido hoje à exaustão – a bola não entrou! Mas o momento é outro, quase revolucionários para os dois times.

A Espanha tem hoje uma equipe técnica, com meio-de-campo dos melhores, ou talvez o melhor, do mundo. E conta com dois atacantes (Villa e Torres) que qualquer seleção gostaria de ter. E ao ganhar a Eurocopa assoprou a poeira da amarelice para longe. Já os ingleses contam com o técnico italiano Fabio Capello, que deu mais competitividade à equipe. Uma seleção que conta com Gerrard, Lampard e Rooney e, agora, com um treinador vitorioso tem que ser cotada entre as tops, não?

A outra européia que também já está no Mundial é a Holanda. Mas já havia obtido o lugar no mês passado e também possui 100% de aproveitamento. Pode incomodar e atrapalhar muita gente, e há o risco de mais uma vez não ser cabeça-de-chave, como aconteceu no Mundial da Alemanha. Ou seja, pode ser uma pedra para um dos grandes já na primeira fase. Mas embora tenha ótimos jogadores ainda está no segundo escalão e sem pinta de que possa brigar na real pelo título.



MaisRecentes

Cristiano Ronaldo, uma máquina de obstinação



Continue Lendo

As lições do ‘aspirante’ Carille no senso comum



Continue Lendo

Luxa vive um longo crepúsculo dos deuses



Continue Lendo