Ranking da Fifa = ida à Copa?



Ninguém dá muita bola para o ranking de seleções da Fifa, embora ele contribua para definir cabeças-de-chave da Copa do Mundo. E o Brasil retomou a liderança da listagem após ficar para trás por dois anos. Aliás, a seleção canarinho é a que mais apareceu no topo desde que a entidade criou esse mecanismo de avaliação das equipes nacionais.

Na verdade, o ranking é um reflexo de certa forma do óbvio. O time de Dunga lidera a zona sulamericana das eliminatórias e ganhou a Copa das Confederações. Isso bastou para reaver a liderança. A Espanha é detentora do título europeu e aparece no segundo posto. A Holanda é o único selecionado europeu já classificado para o Mundial da África do Sul (independente da fraqueza de seu grupo) e está em terceira. Itália e Alemanha vêm na sequência, uma é a atual campeã mundial e a outra, além de líder de sua chave nas eliminatórias, foi vice na Eurocopa de 2008. Ou seja, basta acompanhar os torneios para saber o que a listagem apontará. Porém, há o despontar da Dinamarca, que disparou no grupo 1 da Europa e vai desbancando os favoritos Portugal e Suécia. Ou há a Grécia, com boas chances de ir à Copa e vem obtendo bons resultados também.

Mas também há desvãos de irrealismo no tabulação. Ora, os 32 primeiros não são aqueles que comporão o mundial sul-africano. Portugal, com chances remotíssimas de carimbar passaporte, está em 17º. A Ucrânia, outra que está na corda bamba, é a 19ª. Uruguai e República Tcheca, que vêm logo a seguir, também precisam orar muito se quiserem estar na competição mais importante do esporte. E assim vai… Por outro lado, Japão (40ª) e Coreia do Sul (48ª) estão lá atrás mas já obtiveram vaga na viciado qualificatório asiático – viciado porque sempre repete algumas carinhas nas Copas. A Argélia lidera seu grupo na África mas é 47ª, já a Nigéria é segunda e no ranquing é 34ª.

Confira como está a situação de classificação para o Mundial das 32 primeiras do ranking.

1º Brasil – 1672 pontos – Lidera a zona sulamericana com 27 pontos em 14 jogos e pode garantir a classificação já na próxima rodada dupla, em setembro, contra Argentina e Chile.

2º Espanha – 2590 pontos – Os atuais campeões europeus estão praticamente classificados. Têm aproveitamento máximo no Grupo 5 na zona europeia com seis vitórias em seis jogos. A Bósnia, segunda colocada, tem seis pontos a menos.

3º Holanda – 1379 pontos – Único seleção europeia já classificada para o Mundial. Não pode mais ser alcançada na liderança do grupo 9 do Velho Continente.

4º Itália – 1229 pontos – Os atuais campeões mundiais também estão bem próximos da África do Sul. Lideram o Grupo 8 com apenas um ponto a mais que os irlandeses, porém têm um jogo a menos.

5º Alemanha – 1207 pontos – Os tricampeões mundiais travam duelo acirrado contra os russos. Com o mesmo número de jogos têm apenas um ponto a mais que os europeus do leste. No mínimo irá à repescagem. Detalhe que germãnicos e russos se encontraram no dia 10 de outubro e o jogo será na Rússia.

6º Rússia – 1161 pontos – Disputa jogo a jogo com a Alemanha a classificação direta pelo grupo 4. A um ponto dos rivais, terá o time pela frente em casa no dia 10 de outubro próximo.

7º Inglaterra – 1135 pontos – Campeões mundiais em 66, os ingleses venceram os sete jogos que fizeram até o momento e têm 10 pontos a mais que os segundo colocados, os croatas. A classificação é certa e deve ser sacramentada dia 9 de setembro, quando Inglaterra e Croácia se encontrarão em terras britânicas.

8º Argentina – 1091 pontos – Os bicampeões mundiais vivem uma situação pouco agradável nas eliminatórias, mas ainda assim devem garantir vaga no Mundial sem a necessidade de disputar a repescagem contra representante da Concacaf. Em quarto lugar, a equipe de Maradona tem mais quatro compromissos pela frente, sendo que ainda enfrentará Brasil, Paraguai e Uruguai.

9º França – 1082 pontos – Os franceses tendem a disputar a repescagem. A equipe de Raymond Domenech é vice-líder do grupo 7, a significativos oito pontos dos líderes sérvios. Mas como têm dois jogos a menos podem ainda aspirar ao primeiro lugar. No dia 9 de setembro, Sérvia e França irão se encontrar em Belgrado.

10º Croácia – 1031 pontos – Olhando de binóculos para a Inglaterra, que tem dez pontos à frente, os croatas lutam com a Ucrânia renhidamente pela segunda posição do grupo e um lugar na repescagem. O detalhe é que as duas seleções não mais se enfrentarão.

11º Grécia – 1001 pontos -Embora liderem o grupo 2 com 13 pontos, os gregos têm a companhia próxima da Suíça, que tem a mesma pontuação, e ainda veem as ameaças de Letônia (10) e Israel (9). Ou seja, a briga está equilibrada. E ainda terão que visitar os suíços na terra dos Alpes.

12º Estados Unidos – 983 pontos – Os surpreendentes vice-campeões da Copa das Confederações devem ir ao Mundial sem grandes dramas. Após metade da fase final da Concacaf disputada, os norte-americanos são os segundo colocados com 12 pontos. É o dobro do México, que ocupa o quarto lugar, posto que leva à repescagem.

13º Suíça – 930 pontos – Situação já mencionada no item da Grécia. Divide a ponta com os gregos e ainda os receberá. Ou seja, tem chances reais de ir para o seu segundo Mundial consecutivo.

14º Sérvia – 925 pontos – Lidera o Grupo 7 com oito pontos a mais que a poderosa França. E ainda recepcionará os franceses. Tem tudo para obter vaga sem necessitar de incursão na repescagem.

15º Dinamarca – 909 pontos – Os dinamarqueses, que  ficaram de fora do Mundial da Alemanha, estão com a corda bamba e muito perto de voltarem à competição. Lideram o Grupo 1 europeu com 16 pontos, três a mais que a surpreendente Hungria – fora de Mundiais desde 86. Portugueses e suecos, favoritos no início da competição, tem humildes nove pontos.

16º Austrália – 886 pontos – Pela segunda vez seguida os australianos vão ao Mundial. Pela primeira vez disputaram o classificatório na zona asiática e já garantiram a vaga.

17º Portugal – 879 pontos – Tem tudo para ser a maior decepção das Eliminatórias. O time de Cristiano Ronaldo, melhor jogador do mundo de 2008, está a sete pontos do líder do grupo 1, a Dinamarca. Para complicar, ainda enfrenterão os escandinavos fora de casa.

18º Costa do Marfim – 874 pontos – Os marfinenses estão com a faca e o queijo na mão para chegarem ao segundo mundial de sua história, o segundo consecutivo. Lideram o Grupo 5 da zona africana com 9 pontos, três a mais que o segundo colocado Burkina Faso. Detalhe é que na próxima rodada, dia 5 de setembro, a equipe receberá Burkina.

19º Ucrânia – 869 pontos – Briga ponto a ponto com a Croácia para tentar ir à repescagem,. No grupo, a Inglaterra venceu todos os jogos e está muito próxima da vaga.

20º Uruguai – 860 pontos – O Uruguai corre sérios riscos de ficar fora da terceira Copa consecutiva. O time platino hoje encontra-se ausente da zona de classificação, em sexto lugar. A equipe ainda terá confrontos diretos contra Colômbia e Equador.

21º República Tcheca – 850 pontos – A República Tcheca tem chances remotas de obter a vaga. E, ironicamente, vê sua antiga parceira Eslováquia muito próxima de seu primeiro Mundial. O time está a sete pontos dos líderes eslovacos e ainda está atrás de Irlanda do Norte e Polônia.

22º Paraguai – 846 pontos – Os paraguaios podemos cravar que irão ao seu quarto Mundial consecutivo. O time não deve sair mais do G4 sulamericano. A equipe de Gerardo Martino tem cinco pontos a mais que os equatorianos, que hoje ocupa o posto que irá para a repescagem.

23º Bulgária – 839 pontos -O sonho búlgaro de disputar uma Copa depois de duas ausência está prestes a virar pó. A equipe é a terceira colocada do Grupo 8 da zona européia. Embora tenha um jogo a  menos que a vice-líder Irlanda, está cinco pontos atrás. E ainda terá que enfrentar os líderes e atuais campeões do mundo, os italianos, fora de casa.

24º Escócia – 837 pontos – os escoceses disputam com a Macedônia a segunda colocação do Grupo 9. A líder Holanda não pode mais ser alcançada e já está no Mundial. O problema para os britânicos é o baixo aproveitamento, que pode deixá-los fora da repescagem mesmo que garantam a vice-liderança. A equipe ainda receberá tanto macedônios quanto holandeses. A chance é essa.

25º Israel – 822 pontos – Os israelenses, que participaram do Mundial em 1970, ainda alimentam alguma esperança de ir à África do Sul. Embora estejam na quarta colocação do Grupo 2, têm apenas quatro pontos a menos que gregos e suiços, os líderes. E farão três dos quatro jogos restantes em casa.

26º Romênia – 814 pontos – Os romenos estão praticamente alijados do Mundial. o time é penúltimo colocado do Grupo 7. Para piorar, ainda pegarão Sérvia e França, líder e vice-lider respectivamente, fora de casa. Missão árdua.

27º Chile – 811 pontos – Os chilenos estão muito próximos de voltar a um Mundial após 12 anos. A equipe do técnico argentino Marcelo Bielsa é vice-líder da zona sulamericana, um ponto apenas atrás do Brasil. Terá dois jogos em casa – contra Venezuela e Equador – e dois fora – diante de Brasil e Colombia.

28º Turquia – 809 pontos -No grupo 5, os terceiro colocados da Copa de 2002 ainda acalentam o sonho de ir à repescagem. Brigam por isso contra a Bósnia, já que a Espanha praticamente já sacramentou o primeiro lugar; O problema é que enfrentarão os herzegovinos longe de seus domínios.

29º Camarões – 803 pontos – Embora seja lanterna do Grupo 1 da zona africana, os camaroneses tem uma partida a mais para fazer. Se derrotarem os líderes gaboneses ainda terão um suspiro, já que voltarão a enfrentá-los no segundo turno. O time de Samuel Eto’o ainda sonha.

30º Costa Rica – 789 pontos -Os costarriquenhos estão nadando de braçada na fase final da Concacaf. Somam 12 pontos em cinco jogos e lideram a competição. A classificação está praticamente assegurada. E ela pode vir na próxima rodada, quando visitarão os terceiros colocados hondurenhos.

31º Gabão – 789 pontos – A equipe tem boas chances de ser a grande novidade no Mundial do ano que vem. Lidera o grupo 1 da zona africana e venceram os dois jogos que fizeram até o momento na fase final. O rival mais perigoso parece ser Camarões, que ainda enfrentará duas vezes.

32º Irlanda do Norte – 784 pontos – Os norte-irlandeses, fora da competição desde 86 – na ocasião fizeram parte do grupo brasileiro – brigam com a Polônia pela segunda colocação da chave 3 da zona europeia. Ela fatalmente os levará à respecagem. O time britânico tem um jogo a mais que a Polônia O jogo vital será 5 de setembro, quando visitarão os próprios poloneses.



MaisRecentes

Neymar, entre a guilhotina e ‘la vie en rose’



Continue Lendo

Do ‘gênesis ao apocalipse’, Felipe Melo tropeça no verbo



Continue Lendo

Um Dérbi sob o signo da invencibilidade



Continue Lendo