O professor Luxa



E os boleiros bradam: Professor Luxa! Sim, Luxemburgo é professor. Na saída de campo, Marcos, sempre enaltecido pela sinceridade, preferiu se abster:

– O Vanderlei consegue enxergar o jogo que a gente não consegue. Por essa capacidade, ele ja ganhou muitos títulos – disse São Marcos. E palavra de Santos a gente…

A gente contesta, meu amigo internauta. Mas Luxemburgo é professor! Vamos contestá-lo? Ele é pentacampeão brasileiro. Vamos questioná-lo? Títulos internacionais lhe escasseiam, mas vamos argui-lo? Ele é professor! Ontem ensinou à torcida palmeirense como deve se comportar. O torcedor tem que incentivar, não deve vaiar. Mesmo que ele saque um atacante (Keirrison) e coloque um volante (Jumar) quando a equipe vence e domina a partida, sem sofrer pressão de uma adversário limitado. Afinal, o torcedor paga para ficar cantando apenas. Viu, o professor deu exemplos da torcida do Internacional, que usa música dos saudosos Mamonas Assassinas para alegrar o Beira-Rio. Entenderam, torcedores? O professor falou.

O professor já tinha dado uma aula em Recife, no jogo de volta das oitavas de final, contra o Sport. Vocês se recordam? Ele tirou Diego Souza e Keirrison. O time ficou infértil no ataque, dependendo do limitadíssimo Ortigoza. Coincidentemente, tanto contra os pernambucanos como contra os uruguaios o Palmeiras levou gol após as modificações. Mas não se deve censurar um professor. Mesmo porque ele já disse que criticá-lo é inútil, afinal ganha títulos há mais de dez anos. Pelo raciocínio luxemburguesco só se deve criticar os perdedores. Jamais questione um talento se ele coleciona triunfos. É uma espécie de imunidade que o sujeito ganha.

Enfim, irônia à parte, Luxemburgo já provou inúmeras vezes ser um técnico de ponta. Montou timaços, já deu nós táticos e coisas afins. Mas também erra, escorrega, tropeça. Só que raramente admite. E ainda culpa torcedores. Fazia o mesmo no Santos. Queixava-se da ausência da torcida. Em vez de fazer mea-culpas sempre joga as responsabilidades nas costas de outros. E um treinador com sua rodagem já deveria ter mudado.



MaisRecentes

Recortes do precário futebol brasileiro



Continue Lendo

Rica em talentos, França rompe com paradigma recente



Continue Lendo

Espanha morre abraçada ao ‘tiquitaca’ odiado por Guardiola



Continue Lendo