Espaço aberto: Jean Chera pode ser uma contratação sem risco para o Santos



Como informado pelo LANCE! nesta terça-feira, o Santos negocia a contratação do meia Jean Chera, revelação da base do clube que saiu em 2011 por não topar a proposta financeira de renovação e rodou por oito clubes desde então, sem sucesso em qualquer lugar. Após a publicação da matéria, observei a repercussão da notícia nas redes sociais e a conclusão é de quase unanimidade: os torcedores que manifestaram sua opinião no Twitter ou nos comentários do L! repudiam a tentativa do Santos de reforçar seu elenco sub-23 com Jean.

O principal argumento dos santistas tem a ver com ego, auto-estima, algo assim. As pessoas não entendem como o Santos pode repatriar após quatro anos um jogador que o “esnobou” há tão pouco tempo. “Cuspiu no prato que comeu”, “foi ganancioso demais”, etc, etc, são algumas das justificativas. Nesse sentido, a argumentação é rasa.

Também há, claro, os que citam a decadência da carreira de Jean Chera após a saída do Santos: Genoa (Itália), Flamengo, Atlético-PR, Cruzeiro, Oeste, Universitatea Craiova (Romênia), Paniliakos (Grécia) e Cuiabá, este já em 2015, por apenas 41 minutos em quatro meses. Inegavelmente, os números são fracos, o desempenho não tem como ter sido bom (dada a rotatividade), e o reforço é absolutamente questionável, já que o meia não conseguiu mostrar qualidade em nenhum lugar.

Mas aproveito o espaço para acrescentar algo ao debate sobre Jean Chera: qual o risco do Santos nessa contratação?

O meia passou seis anos na base do Peixe, e na última parte do contrato chegou a receber R$ 24 mil mensais antes de rejeitar a renovação por pedir R$ 130 mil progressivos. Um absurdo para um jogador de 16 anos, realmente. Em números gerais, estipulando salários, renovações, comissões e gasto em formação, Jean Chera custou pelo menos R$ 500 mil aos cofres do clube. Contratar o garoto agora é uma chance que o Santos abre de recuperar parte de seu investimento. Absurdo pensar assim? Topo o debate.

Se o argumento emocional for o problema, vamos lá: o Santos é um clube com histórico de resgatar jogadores. Robinho, por exemplo, saiu pela porta dos fundos em 2005 e hoje segue sendo um ídolo inabalável. Fábio Costa trocou o Santos pelo rival Corinthians em 2003, fez juras de amor e retornou duas temporadas depois para conquistar mais títulos na Vila Belmiro. Em 2003, Nenê deixou o rebaixado Palmeiras para brilhar no Santos e fazer carreira na Europa. Jean Chera pode ser mais um “resgatado”, não? Absurdo pensar assim? Topo o debate.

Jean Chera viria para atuar no time sub-23, com salário provavelmente baixo e no pior momento de sua curta trajetória no futebol. É praticamente um “ou vai ou racha”. O Santos pode estar gastando vela com defunto ruim, mas é uma contratação sem qualquer risco.



  • Roberto Tavares

    JEAN CHERA? KKKKKKKKKKKKK, KKKKKKKKKK e mais um pouco de KKKKKKKKKK. PQP, QUE FIM DE FEIRA! CLARO QUE É CONTRATAÇÃO SEM RISCO! SEM RISCO NENHUM DE PERMANECER NA SÉRIE A EM 2016! TROUXAS FALIDOS, NEYMAR ENRABOU VOCÊS PARA COMPRAR JATINHO! KKKKKKKKK

  • Roberto Tavares

    Até a torcida do 8antos abandonou este blog depois desse post. KKKKKKKKK

  • Edmar

    JEAN CHERA? QUE DIABO, ISSO É NOME DE JOGADOR? SÓ A SARDINHA PRA TER UM PERNA DE PAU COM NOME TÃO HORRÍVEL. ALIÁS SANTISTAS CORRAM E GARANTA SEU LUGAR NO MARACANÃ PRA GANHAR SELINHO DO SHEIK E AUTÓGRAFO DO GUERRERO NA NUCA.

    • sancaio

      Lindo é o nome BIro-Biro! Chera é sobrenome imbecil.

  • Roberto Tavares

    Vou imitar o Robinho:

    BLOGGGGGGGGG
    DA
    BOSTAIADAAAAAAAAAAA

    LAMBARISSSSSSSSS
    DE PRIVADA CAGADA DE RODOVIÁRIAAAAAAAAAA

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

MaisRecentes

Pensem no contrário da razão



Continue Lendo

O Santos real deu as caras e tirou o título do Santos hipotético



Continue Lendo

Escalação contra o Vasco diz mais sobre 2016 do que sobre o presente



Continue Lendo