O que você lembra de 2002?



Torcedor santista, nesta semana começou uma série especial no LANCE! e LANCE!Net  sobre os dez anos do título brasileiro de 2002, um dos mais importantes da história do Peixe.  E você pode fazer parte dessa celebração!

Quase todo santista tem alguma história ou lembrança diferente sobre aquela conquista. Pode ser uma situação inusitada, um momento marcante, uma promessa, superstição… enfim, ponha a memória para funcionar e escreva para o blog Um Pé na Vila.

Vamos escolher os melhores depoimentos e publicar no LANCE!Net. Boa sorte!



  • Fábio J. Ribeiro – PG/SP

    De 2002 só coisas boas.

    Mas e o futuro?

    O futuro é o “EFEITO BURRICY”.

    http://www.lancenet.com.br/santos/Chateados-criticas-cogitaram-Victor-Andrade_0_823117828.html

    Eu avisei ! ! ! !

  • Santista de coração

    Bom, foi um ano inesquecível, mto bom mesmo, coisas que só acontecem na vida de santista kkk…

  • Leandro sts

    Ganhar o título em cima dos gambá melhor ainda… chupa

  • Alberto

    Lembro de 7 pedaladas .. kkkk

  • Do título de 2002,o que ainda lembro com clareza, foi o gol de bicicleta do Alberto contra o corínthians.Mas, as vitórias sobre o São Paulo e Grêmio , também são inesquecíveis.Porém na final, as pedaladas do Robinho,que está na mente de todos os santistas, é a jogada que mais marcou o título de 2002.Entretanto, pessoalmente, a virada do corínthians foi apavorante.Pensei _ será que o Santos vai perder esse título?Me ajoelhei em frente à televisão e comecei a rezar…Uns dos meus irmãos disse que fiquei quase sem cor de tanto medo e panico só de pensar em perder aquele título.Mais, graças a Deus no final, foi só festa e alegria,regado de muita cerveja e churrasco.Nessa época eu morava em São Francisco do Sul, SC.Passei anos a espera de um título,esse lavou a alma e a memória de todos santistas fanáticos que ficaram anos na fila.

  • Giliard

    Aquele ano de 2002 foi demais… não sou “das antigas” então não tive o gosto de ver o Santos dos anos 60, nem a primeira geração dos Meninos da Vila. Como nasci em 82, me dei conta do que era realmente futebol por volta dos anos 90, e virei Santista doente que sou, quando o Santos sofreu aquele golaço do Dener em 1992, acho que o amor nasceu mais pela fúria emanada por meu pai e meus tios, com raiva daquele time do Santos, o pensamento foi, “vou torcer pra esse time!”, e assim foi… durante anos sendo chamado de viúva do Pelé (e nem vi ele jogar), provocado por rivais, e quase sempre “morrendo na praia”, tendo que comemorar Rio São Paulo de 97, Copa Comenbol de 98, e se contentar com vices Paulista e Brasileiro, foram 10 anos de humilhações e sofrimento, mas o amor continuou e cresceu… eis que no meio daquele ano eu ganhei uma camisa de presente do meu pai, em comemoração aos 90 anos do Santos… camisa que eu usava sempre para comemorar vitórias do Santos no Brasileiro, uma das mais memoráveis aquele 4×2 sobre o Corinthians… então aos trancos e barrancos estávamos classificados para a fase final daquele brasileiro… como o técnico Emerson Leão profetizou na época… “Nos convidaram pro baile, vamos tirar a mulher mais bonita pra dançar!”, e assim como milhões de Santistas eu escolhi meu smoking, aquela camisa que ganhei de meu pai, eu prometi: “Já que o Leão falou pra tirar a mulher mais bonita, vou usar essa camisa em todos os jogos, até chegar ao título!”, e assim foi, primeiro o São Paulo, o time sensação do campeonato, melhor campanha e tudo mais… e então como em Davi e Golias, o mais forte caiu! Teria sido a superstição da camisa? Não sei… mas pra que arriscar né? Então veio o Grêmio, e mais uma vez o Santos se superou e derrotamos um rival que nos ameaçou com violência e nós os derrotamos com arte!
    Então chegava a final… depois de 7 anos, desde aquele jogo no Pacaembu que me fez chorar como a morte de um animalzinho que cuidamos desde filhotes, estávamos novamente em uma final de Brasileiro… mas dessa vez contra o Corinthians… o mesmo time que um ano antes me fez chorar e não acreditar naquele gol aos 47 do segundo tempo. Mas dessa vez era diferente, parece que a camisa era minha “armadura” e minha fé naqueles meninos a minha “arma”… então no primeiro jogo da final, Diego o nosso 10 faz um lançamento para o Alberto, que só toca na saída do Doni, EXPLOSÃO, ALEGRIA, ESPERANÇA, PAIXÃO… TUDO veio na hora… era a nossa vez, finalmente era a hora do grito sair da garganta, de ser Campeão, sim, sei que era apenas 1×0 de um jogo de 180 minutos, mas parece que era nosso destino, não tinha como não ser, então no finzinho do segundo tempo em uma saída de bola errada do Fabrício, Robinho faz um lançamento perfeito para Renato que toca por cima do Doni. 2×0, MEU DEUS, 2×0… que DEMAIS, uma mão na taça… final do primeiro jogo, uma mão na taça!
    Eis que chega o dia 15 de Dezembro, segundo jogo… Fé total no título… e então com 09 segundos de jogo, ele leva a mão para a coxa esquerda, Diego, nosso maestro, nosso cabeça, nosso 10, estava ferido… o coração parecia que ia parar, primeiro baque daquela final… mas não daquela vez… não com o Santos… os Deuses do Futebol não estavam dispostos a nos fazer sofrer novamente, e como se fosse uma pelada de rua… 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8 pedaladas e Pênalti… ROBINHO, aquele menino franzino e abusado foi pra cima e sofreu e como todo HOMEM de 18 anos, pediu a bola para cobrar. 1×0, Um gol que valia para um 3×0… MEU DEUS, como perder esse título? Não tem como, é NOSSO… e Fábio Costa lá atrás, pegando até pensamento dos Corinthianos. Mas como, depois de 18 anos de sofrimento, faturar um título assim, fácil fácil? Não, JAMAIS. E eis que aos 30 minutos David superou a muralha, era o gol de empate. Preocupação, ainda não, afinal “estava” 3×1 pra gente… então aos 39 Anderson vira o jogo… 1×2… MEUS DEUS… mais uma vez não… não dessa vez… não pode… faltavam ainda 6 minutos mais os acréscimos do Simon… mas esses minutos seriam anos para toda a nação. Mas como eu disse, os DEUSES do FUTEBOL não iriam fazer isso com a torcida do Santos… então aos 43, Robinho, faz uma linda jogada e só rola para Elano… 2×2… EMPATAMOS! Agora sim… não tinha mais jeito… era nosso… o SANTOS ia ser campeão… não podíamos mais perder… não dessa vez… mas ainda não tinha acabado… a Taça tinha que vir com uma festa completa… então mais uma vez ele Robinho, invadiu a área do Corinthians, cercado por Vampeta e Kleber, driblou os dois, e no “desarme” do Vampeta, Léo recebe um “passe” e com a sua direita e não a esquerda que nós dá alegria, acerta o angulo. ACABOU! 3×2, É CAMPEÃO!
    E então “saímos da fila”, acabou a vergonha e resgatamos o orgulho… e a continuação, todos os Santistas sabem… voltamos a crescer, voltamos a vencer, voltamos a aparecer, voltamos a ser SANTOS SEMPRE SANTOS, voltamos a ser o SANTOS CAMPEÃO!
    Ainda tenho a camisa até hoje… desbotada, afinal ela foi usada em outros títulos também… rs… mas que ela vai ser a eterna camisa de 2002, isso vai, e que até o fim da minha vida nunca vou esquecer daqueles meninos heróis, isso é uma certeza.

    Bem Bruno Cassucci, sei que o texto ficou grande, mas essa é minha história daquela final de 2002. Abraços

  • Wagner

    Eu lembro de PEDALADAS!

  • Rafael Mendes

    O Brasileirão de 2002, sem dúvida, representa período de renascimento na história do Santos. O título em si, é marcado por inúmeras criticas de autoridades no tema e desacreditamento, sejam elas: time com jogadores recém providos da base (time junior), intervalo de 18 anos sem conquistas de expressão e rívais com alto nível competitivo (Corinthians, hipotético campeão mundial da fifa, São Paulo, time conservador pós retorno de Raí e Palmeiras, campeão da libertadores 1999). Tal desvalorização, porém é superada pelo futebol envolvente de Diego, Robinho e Alberto e cia diante de vitórias notáveis na primeira fase do campeonato, por exemplo 4 x 2 sobre o Corinthians em pleno Pacaembu, São Paulo, SP. Outro ponto à observar é a postura do Peixe nos Playoff’s da competição. Para mim, que na época tinha 10 anos, o mais marcante dessa etapa, foi entrada em campo do eterno ídolo Fabio Costa contra o São Paulo (oitavas-de-final, 3×1, Vila Belmiro, Santos, SP). Após longo período de cirurgias, o Goleiro retorna provendo espirito da experiencias aos jovens atletas da equipe Santista. Algo que, sem dúvida, junto a visão cética do treinador Emerson Leão, levaria a conquista até então inédita da equipe. Além disso, é importante perceber o que resultou desse título. A partir da ”Geração de Diego e Robinho”, antiga ideia de Meninos da Vila renasce, o que mais tarde seria consagrado com a ”Geração Neymar e Ganso”. Inegávelmente este Brasileirão será eterno para todos Santistas.

  • santos(campeao sempre)

    DE TODOS ESSES TITULOS QUE O SANTOS GANHOU DE 2002 PRA CA,TALVEZ SEJA O MAIS EMOCIONANTE PRA MIM!!!…INESQUECIVEL AQUELA TARDE NO MORUMBI!!!

  • Rodrigo Cafundó

    15 de Dezembro de 2002.
    O gigante acorda de um sono que durou exatos 18 anos.
    Coincidência, ou não, o destino reservou aos Santistas o mesmo adversário de sua última grande conquista. Nosso maior rival: O alvinegro de Itaquera.

    Como um bom “militante” da geração da fila, lá estava eu, com minha mística camisa branca, eufórico, porém contido, esperando pelo momento épico. Hoje eu vou gritar “Campeão”.

    O Santos começou bem (apesar do susto com a saída de Diego), Robinho infernizava (como sempre) e eu, assim como todo Santista que viveu uma década para ser esquecida, depositava toda a minha esperança num time de meninos. Os meninos da Vila!

    Ah, foram oito pedaladas eternas (sim, aqui o que é eterno, vale título), pênalti! Robinho marca com a categoria de um veterano. É campeão? Ainda não.

    Muito vivo na memória dos Santistas, estava a fatídica semi-final do Paulista de 2001.
    Será que aconteceria de novo? Casagrande já dizia (pela TV), que quando os “malucos” cantam, o time cresce, que viria a vitória do time pragmático de Carlos Alberto Parreira (Antonio Carlos? rs), quando numa jogada mágica, o Morumbi parou. Robinho inicia a jogada, Elano prepara a trama e após o menino negro das canelas finas, deixar mais uma vez seu marcador no chão, Elano faz o gol do título!

    Não continha minha emoção, meu choro, minha vontade de gritar que meu Santos era Campeão!

    E quando o empate daria o título ao Santos que, em 2002 havia vencido TODAS as partidas contra o maior rival, veio de novo a genialidade de Robinho que num lance, driblou Vampeta e Kléber e rolou para o guerreiro predestinado Léo, o maior vencedor pós era Pelé fuzilar o goleiro Doni.

    Santos Futebol Clube, Campeão Brasileiro de 2002.
    Uma tarde inesquecível.

  • Luiz Barros

    Este t~itulo para mim é inesquecivel, fui ao primeiro jogo depois ajuntei cunhado irma, filho filha e esposa e fomos fazer a festa no Morumbi, alias 2 festas no mesmo dia fazia eu completa mais um ano de vida, 40 anos, foi como um sonho, um presente recebido com muita alegria. Nunca esquecerei este momento.

  • Paulo Santos

    O que eu lembro desse dia 15/12/2002:

    Eu , algums primos e amigos administravamos uma rua de lazer no bairro que morávamos e justamente nesse dia era a festa de Natal que iríamos proporcionar , com doações que arrecadamos,para as crianças do bairro.

    Eu passei o dia pensando no jogo mesmo durante a distribuição de lanches , sorvetes, durante as apresentações de dança etc..etc.. eu não tirava da cabeça o que estava prestes a acontecer.

    Enfim conseguimos começar a entregar os presentes às quase 500 crianças 1 hora antes do inicio do jogo, essa era a missão final da festa, e acabamos faltando 10 minutos para inicar.

    Nem desmontamos o palco da festa, corremos direto para um bar de um amigo na rua para ver o jogo e no final eu que ajudei a distribuir tantos presentes para as crianças, na sua maioria carentes, recebi o meu:

    SANTOS CAMPEÃO BRASILEIRO DE 2002 !!!! ai foi só comemorar.

  • LEÃO DO MAR

    É DIFICIL CITAR ALGUM MOMENTO ESPECIFICAMENTE…AQUILO FOI UMA COISA TÃO SOBRENATURAL, DESDE O INICIO, A FILA, TIME QUEBRADO, SEM DINHEIRO, TIME SÓ DE MOLEQUES, EU TINHA 16 ANOS NA ÉPOCA, E QUEM É DA MINHA GERAÇÃO SABE COMO ERA DIFICIL SER SANTISTA NAQUELA ÉPOCA, QUEM É DA MINHA GERAÇÃO AMA O SANTOS INCONDICIONALMENTE, É IMPOSSIVEL DESCREVER, TUDO QUE ENVOLVEU AQUELA CONQUISTA FOI MÁGICO!!!!!!!!

  • Leandro Cassiano

    Assisti esse jogo com um monte de amigos corintiano, quando o Corinthians virou faltavam dez minutos para o fim, eu sai de perto da TV, cinco minutos depois ouvi um gol e me desesperei, pensei: Nao e possivel, de novo nao! Quando vi o Elano comemorando sai pulando e gritando. No final quando o Leo fez mais um eu ja nem acreditava. Nem a Libertadores de 2010 achei tao emocionante. Foi um jogo de suor e lagrimas ate pra quem torceu. Um orgulho que nem todos podem ter!

  • vinicius rodrigues

    eu comecei a ver futebol com aquele majestoso time do robinho, aos 8 anos, estavam todos na casa da minha avó e os homens vendo futebol na sala, eu particularmente achava aquilo um saco, mas como não tinha mais ninguem pra brincar comigo sentei no sofá e fui assistir o jogo… era um classico não me lembro qual, mas sei que meu pai tinha me dito que era um classico, como eu não entendia de futebol, então foi a mesma coisa que nada, só que dai eu comecei a ver aqueles dribles, aquele toque de bola, as tabelinhas, a fabrica de chapéus, dribles da vaca e etc, até que de repente, eu não me lembro muito bem, mas acho que era renato com robinho fizeram uma jogada entre eles e saiu o gol, e meio que automaticamente eu levantei com tudo e gritei goooooollllllll, mas até eu me assustei, assim como todos na sala, que olharam pra mim como aquela cara sem entender nada, e meu pai que ja tinha me dado qnd era mais novo dois conjuntinhos de uniforme do palmeiras, logo percebeu que seu herdeiro, que ele queria que fosse palestrino, naquele momento depois daquele jogo, ele percebeu que seu menino se tornara um legitimo menino da vila, não exatamente um daqueles que nasceu, mas um daqueles que vai viver e no santos morrer, e ter um orgulho que nem todos podem ter…

  • Gabriel Alves

    Em 2002 em tinha 11 anos de idade e sofria muito com as piadas dos torcedores rivais sobre a seca de titulos que o Santos enfrentava. Lembro que no começo do campeonato o Santos tava quebrado, sem dinheiro e só com um time de garotos, lembro que todos me perguntavam “quem é Robinho, quem é Diego, Elano, etc”, falavam quem o Santos seria rebaixado, e eu tinha que ouvir tudo aquilo e ficar calado, mas a cada vitória do Santos a confiança e o sonho aumentava. Depois da classificação em 8° lugar e graças a uma vitoria do Gama, ouvi a seguinte frase de um São Paulino: “O time catado chegou aqui por milagre, mas agora será esmagado”; mais uma vez fiquei calado, mesmo depois das duas vitórias e da classificação para a semi final e depois para a final. Foram 15 dias ouvindo piadas de corintianos, e eu calado, não respondia nada, nem mesmo depois da vitoria por 2×0 no primeiro jogo. Enfim chegou o grande dia da final, 15/12/2002 um dia inesquecivel, o tempo do jogo demorava a passar, o receio de mais uma decepção era grande, quando o Diego caiu machucado com 1 minuto de jogo, confesso que fiquei preocupado. A cada defesa dificil que o Fabio Costa fazia no jogo, sentia cala-frios e ao mesmo tempo um alivio, veio então o lance magico do Robinho e o gol de penalti. Nem mesmo com 1×0 no placar a tensão diminui, veio o segundo tempo, vieram os 10 minutos mais dramaticos e mais emocionantes da minha vida como torcedor, quando o Corinthians virou o jogo para 2×1, era impossivel não se lembrar do Paulistão de 2001, vinha na cabeça a duvida “será que vamos perder dinovo, no finalzinho do jogo, não é possivel”, duvida essa que passou 4 minutos depois com o gol de empate do Santos marcado por Elano, gritei como nunca e em meio a comemoração do gol veio uma sensação de alivio e uma emoção jamais sentida antes, me lembro de deitar na cama, cobrir o rosto com a camisa do Santos e chorar, lembrando de cada piada ouvida até aquele momento, ali sabia que tudo tinha acabado, cada lagrima que escorria pelo meu rosto, lavava minha alma, chorando ainda vi o gol da virada e do titulo marcado pelo pequeno gigante Léo.
    De la pra ca, o Santos conquistou muitos titulos, hoje em dia é facil torcer pelo Santos, mas para quem viveu aqueles anos sofridos sabe o quanto foi emocionante esse titulo.
    Depois de 2002, comemorei mais 9 titulos, dentre eles a conquista do Tricampeonato da Libertadores, mas nenhum destes titulos conseguiu superar a emoção sentida naquele fim de tarde de domingo do dia 15/12/2002, dia em que nação santista lavou a alma.

  • carioca

    A lembrança é sempre do chocolate que demos nos GAMBAS e o TITULO em cima deles e que não foi o primeiro e com ROBINHO e DIEGO voando.

  • FELIPE AUGUSTO ALCANTARA MONTEIRO TRAVIA

    Eu tinha 21 anos na época, não lembrava do título paulista de 1984 e não considerava o título da Commebol de 1997 como de expressão, logo, até essa idade, não tinha visto meu time ser campeão.
    Na infância, como o Santos não ganhava nada, queria virar são paulino, porque eles ganhavam tudo na década de 80 e começo da década de 90.
    Graças a Deus, meu pai não deixou e me levou para ver um jogo entre Santos e Ponte Preta, que foi tão ridículo, que a minha lembrança é a de que no gol de empate do Santos , um torcedor santista virou um copo de cerveja no outro torcedor amigo dele, o qual, de tão bêbado, estava dormindo na arquibancada.
    Nos anos 90, torcia para o Bragantino, que tem as cores parecidas com a do Santos e meu pai não tinha nenhuma objeção quanto a isso.
    Voltando ao título de 2002, fui naquele jogo histórico do gol de bicicleta do Alberto, que eu vi que o time do Santos era muito bom, só que não desconfiava que ia chegar tão longe.
    Classificamos em 8º lugar, mesmo perdendo o último jogo para o São Caetano por 3 a 2, graças ao Gama que goleou o Coritiba em Brasília por 4 a 0, mesmo rebaixado.
    Pela ajuda que o Gama deu, posteriormente, meu pai até comprou uma camisa do Gama.
    No primeiro jogo das quartas de final, um adversário temido, o São Paulo, que tinha batido o recorde de vitórias consecutivas no Brasileiro, com 10 vitórias seguidas e demos aquele baile na Vila no primeiro jogo por 3 a 1. Nesse jogo, o time embalou.
    Na volta, no dia 28/11/2002, foi meu aniversário, mas não pude ver o jogo, porque tinha prova de filosofia na faculdade e só ouvia os gritos da maioria são paulina no bar ao lado da faculdade.
    Depois de sair da prova, só consegui ver o segundo gol do Santos, o do Diego driblando os marcadores do São Paulo, só nos saltos e depois saindo para o abraço.
    Nas semifinais contra o Grêmio, a lembrança é aquele bombardeio no Grêmio, que era para ter levado de 8 a 0.
    Nas finais, a lembrança do primeiro jogo é aquele mar branco na arquibancada do Morumbi, todos de capa de chuva, com a torcida fazendo a festa com umas bexigas amarelas.
    O jogo estava 1 a 0 e eu comentava com o meu pai que estava muito pouco, pelo volume de jogo do Santos ser muito superior ao do Corinthians, até que o Fabrício saiu jogando errado e deu a bola no pé logo do Robinho, que lançou o Renato, que fez o segundo gol.
    Valeu toda a chuva que tomamos naquele dia.
    No segundo jogo da final, além das históricas pedaladas, a lembrança é do desespero após a virada do Corinthians.
    O Santos simplesmente parou de jogar após a expulsão do Leão e aquela jogada do segundo gol do Santos, com o Robinho arrancando pela direita e passando para o Elano empatar foi sensacional. Foi ali que voltei a ter esperança de gritar é campeão finalmente.
    Na comemoração deste gol, pulei nas costas do meu pai, ele querendo comemorar, pular, vibrar e eu não deixei, por ter pulado nas costas dele.
    No terceiro gol, outros moleques pularam em cima dele, repetindo a minha atitude.
    Na volta para casa, fazendo buzinaço no carro, a lembrança de uma baita chuva, para lavar a alma dos santistas que tanto choravam aquela fila…
    Esse título abriu o caminho para todos os outros títulos que o Santos conquistou, voltando a ser grande e deixando de ser a viúva do Pelé.
    Agora somos a viúva do Pelé, do Robinho, do Diego, do Elano…

  • Nasser Abdallah

    Lembrar de 2002 é sempre bom, não tenho duvidas que foi o titulo mais importante e lindo que eu vi nos meus 28 anos de idade, não troco esse titulo por nenhum outro.
    Só quem é e foi santista no fim da decada de 80 e 90, sabe o que sofremos, parecia que aquela fila nunca mais teria fim. Quando chegamos na final em 95, tinha um juiz para nos tirar a alegria.
    Me lembro de 2000, após eliminar o Porcu, fomos a final, estava no estadio, alem de sermos maioria nas arquibancada do Morumbi, lotamos as ruas de SP para comemora apenas ir para a final do Paulistão. Porem o que mais machucou foi a semifinal de 2001, quando ja estavamos praticamente na final, e seriamos campeão, e perdemos a vaga no ultimo minuto. Ali a dor foi forte, parecia que eu tinha perdido alguem próximo, as arquibancadas do Morumbi pareciam um velório, naquele momoento não acreditava mais ver meu time campeão.
    Porem Deus reservou talvez uma das mais belas histórias do futebol, com um time de meninos, o Santos começou a enfieleirar seus adversario, humilhamos os gamba no Pacaembu, na Vila o Palmeiras sofreu um forte ataque, se não fosse o Marcos goleariamos a porkada.
    Mas me lembro de um jogo no Morumbi, Santos x São Paulo, os bambi eram lideres disparados do campeoanato, e me lembro de ir no Morumbi lotado assistir esse jogo, perdemos de 3 a 2, porem me lembro de sair muito satisfeito do estadio apesar da derrota, alem do nosso craque Diego pisar no simbolo do SPFC, jogamos muito melhor, e se não fosse um penalti mandraque no fim do jogo, não sairiamos derrotado. Na saida do Morumbi conversando com um amigo me lembro de dizer “Hoje nós vimo o campeão, esses muleque são bom de bola, e quando pegarmos o são paulo la na frente vamos ganhar e seremos campeão”.
    O final da história todos ja sabem, a dupla Diego e Robinho acabou com os Bambi, e Gamba.
    E agora são mais de 10 titulos nessa nova decata. Santos eu te amo.

  • DIEGO PEREIRA

    CONCORDO PLENAMENTE, NA EPOCA EU TINHA 17 ANOS E COMO EXPLICAR UMA PESSOA QUE JAMAIS TINHA VISTO SEU TIME SER CAMPEAO DE UM TITULO IMPORTANTE, POR ISSO TANTO AMOR POR ESSE CLUBE , “É MEU AMOR , PRIMEIRO AMOR , ETERNO AMOR, SANTOS”

  • LEMBRO DE DIVERSOS MOMENTOS DE 2002, MAS COM CERTEZA O MOMENTO MAIS EMOCIONANTE FOI NO SEGUNDO GOL DO SANTOS (ELANO), NUNCA VI TANTAS PESSOAS CHORAREM AO MESMO TEMPO DE FELICIDADE. EU ESTAVA NO ESTADIO MUITO NERVOSO, POIS O FANTASMA DE 2001, VOLTAVA A NOS ASSOMBRAR, MAS DEPOIS DESSE GOL FOI UMA EXPLOSÃO DE ALEGRIA, FELICIDADE, EMOÇÃO E SEI LA MAIS QUANTOS SENTIMENTOS QUE ESTAVA GUARDADA DENTRO DO PEITO A DEZOITO ANOS. ERA HORA DE EXTRAVASAR, DE GRITAR, XINGAR, PULAR, CHORAR, ENFIM DE JOGAR TUDO QUE ESTAVA ENTALADO PRA FORA.
    FOI UMA SENSAÇÃO UNICA, VOLTAR A SER “CAMPEÃO”.

  • Jefferson

    Chovia muito naquela tarde no intereior de minas. A energia de casa acabou depois do gol do robinho. Foi emocionante porque so me restaram 2 pilhas velhas. só fui conseguir ouvir o final do jogo, lembro-me do narrador(oscar ulisses o melhor) dizendo que estava 2a2, quando o robinho deu aquela arracada e o kleber(que ja era santista) deu o passe para o leo fazer o mais importante da vida dele. Depois disso escutei mais nda, acabei de tanta alegria quebrando o radio.
    Dia inesquecivellllll. O mesmo time que parou a guerra calou a boca de um pais!

  • sensato

    A maior prova que dá pra ser competitivo jogando bonito, timaço de 2002!!!

  • Wendell Jesus Santos

    PEDALADA 1 ,2 , 3….7 , 8 PÊNALTI. PEDALA ROBINHO!!!!

  • janaina

    Me lembro só da comemoração q teve aqui em casa
    churrasco muuuiitos fogos
    e meu pai gritando
    Chupa curintia pros vizinhos

    SAAANTOOS

  • douglas

    lembro dos 10 minutos finais, quando o corinthians então perdia por 1 a 0, e somando os 2 a 0 do primeiro jogo, o Santos ja parecia ser o grande Campeão, mas ai o Corinthians virou para 2 a 1 e no agregado dava 3 a 2 peixe, lembrando que empate era titulo deles, foi sufocante, 18 anos na fila, o maior rival, e o titulo escapando novamente no final, eis ai que em duas jogadas épicas, de robinho, elano, léo, e o santos virou o jogo para 3 a 2, e sagrava-se campeão brasileiro, pela sétima vez. da-lhe peixe

  • Santástico Nato

    Eram tempos de seca, por várias vezes o título bateu na trave e não veio, naquela época ser santista era realmente amar o Santos, pois não tínhamos o melhor jogador do país como hoje e não ganhávamos nem os clássicos contra os grandes de São Paulo. Em 95 perdemos o título brasileiro para o Juiz, porque no campo nosso time era muito melhor do que o Botafogo, depois vieram duas frustrações nos campeonatos Paulista de 2000 e 2001, no de 2001 a perda foi muito dolorosa, pois estávamos classificados até aos 49 do segundo tempo, não fosse aquele carrinho estabanado do André Luis e o chute preciso do Ricardinho, então uma vez mais o sonho acabou precocemente. Ainda tivemos 2 títulos sem expressão que ninguém os consideraram, um Rio-São Paulo em 97 e uma Conmebol em 98, que diga-se de passagem nem passou na televisão. Mais naquele jogo de domingo, o último da decisão eu me lembro como se fosse hoje, passava muitas coisas pela minha cabeça, mas todas eram essas frustrações anteriores, nem queria acreditar que poderia ser o dia em que comemoraria meu primeiro grande título como santista, e já tinha 23 anos, me preparei psicologicamente para o pior, muitos santistas já estavam comemorando antes mesmo do jogo começar, eu queria ter o mesmo otimismo deles mas não conseguia. Meu pai me ligou para assistir o jogo na casa dele, já estava próximo do começo. Quando cheguei na casa dele o Diego estava sendo substituído pelo Robert, pensei, não vai ser hoje já começou mal, nosso camisa 10 e melhor jogador juntamente com o Robinho já saiu machucado, mas ainda tínhamos o Robinho que em tarde inspirada pedalou pra cima do Rogério e sofreu o pênalti que ele mesmo converteu. O jogo estava em nossas mãos até o momento em que os Gambás fizeram dois gols, aí então veio à memória o ano anterior, aquele campeonato paulista que perdemos no último minuto de jogo, mais foi só um susto, esse título não escaparia, aquele time merecia ser campeão, todos jogaram muito, Robinho deitou e rolou pela direita foi ao fundo e passou a bola para o Elano empatar, veio o alívio, e ainda tinha mais, o Léo marcou o terceiro de pé direito, foi só festa, fomos campeões e ganhando o dois jogos, nem mesmo o melhor filme produzido até hoje poderia ter um roteiro com um toque de dramaticidade como foi aquele jogo, para os santistas é claro.

  • Renato Luis

    Bom, em 2002 eu tinha 7 anos de idade, e quando o Santos avançou às oitavas de finais (contra o SPFC) eu e meu vizinho (na época ele tinha 9 anos) apostamos que se o Santos fosse campeão brasileiro daquele ano, ele (corinthiano) se vistiria de mulher. Caso o SCCP fosse o campeão, eu quem me vestiria… O peixe levantou o caneco e ele se vestiu de mulher, foi até a praça do bairro assim, e depois disso virou santista!! VAI SANTOS! KKKKKKK

  • Rafael Olivio

    Relembrar apenas um momento marcante daquele Brasileirão é difícil, já que foram tantos momentos de alegria e emoção. Esquecer o 4X2 em cima do alvinegro da capital seria um pecado, ainda mais pelo belo gol de bicicleta feito pelo Alberto. A goleada em cima do Cruzeiro fora de casa, pela primeira fase, me lembro que no dia do jogo meu pai me presenteou com uma camisa do Peixe. A vitória, com show, contra a equipe do grêmio nas quartas de final não pode ser esquecida. As partidas das finais então… Nos dois jogos acabamos com o favoritismo dos nossos rivais, além disso pedaladas foram eternizadas por um tal de “Robinho”!!!!
    Mas o que lembro com mais carinho e saudade (se pudesse reviveria aqueles minutos novamente), foi o segundo jogo da semifinal contra o badalado São Paulo. Ainda lembro que ao sabermos que o confronto das quartas de final seria entre Santos e São Paulo, meus amigos e familiares são paulinos diziam que iria ser fácil demais. Como resposta, o primeiro jogo foi vencido pelo alvinegro praiano (3×1), além da vitória jogamos muito. Ao fim da partida a marra ainda continuava por parte dos nossos rivais. Daí veio o segundo jogo. Uma quinta feira a noite. Estádio adversário lotado. Começo de jogo, gol do adversário e depois pressão!!!! Ouvia o jogo pela rádio, mas mudei de emissora já que o narrador parecia torcer torcida para o time da capital. Mas os meninos da vila seguravam o placar e jogaram muita bola. No segundo tempo, em bela jogada de Robinho e Léo, o lateral santista entrou na área e marcou o gol de empate. A partir desse ponto do jogo, os “favoritos” entraram em desespero. E no fim, com requintes de crueldade, Diego ficou de frente com o goleiro adversário e só cutucou a bola para o fundo das redes. Ao término do jogo, a vingança, quando vou de encontro aos meus familiares vejo meu primo, são paulino, chorando. Nada será mais inesquecível!!!!!

  • Clayton Santos

    Minha namorada na época,atualmente minha esposa é corintiana,e no dia que o Santos enfiou 4 a 2 no Pacaembu,estava indo encontra-lá,porque ela não tinha mais aula,por conta de uma professora que havia faltado,no momento que encontrei com ela,eu estava ouvindo o jogo e no exato momento que ela me beijou o Alberto fez aquele golaço de bicicleta.Daí pra frente ela se tornou meu amuleto da sorte,na fase do mata-mata ela estava sempre ao meu lado,e eu beijando toda vez que o Santos ia para o ataque, e tem sido assim até hoje.

  • Clayton Santos

    Outro fato que me lembro desse mesmo dia,e que o sobrinho dela também era corintiano,e depois do jogo fiquei aguardando ele chegar da casa de um amigo do padrasto dele ,que tinha Tv por assinatura e foram assistir ao jogo,e quando ele chegou,não perdoei,tirei o sarro.
    Depois desse título de 2002 ele se tornou santista e frequenta jogos do Santos comigo.

  • JR

    Viajei do Texas, so para assisti esse jogo. Muita emocao, assistindo com o meu irmao CUrintANUS.

  • vinicius alves cardoso

    NUMERADA LOTADA EU COM 12 ANOS E BAIXINHO NAO CONSIGUIA VER O CAMPO POIS ESTAVA NO FUNDO MEU PAI ENTAUM ME GRUDOW NA GRADE QUE CERCAVA UM CAMAROTE ONDE EU CONSIGUIA VER PELA TELEVISÃO DE DENTRO DO CAMAROTE E MESMO SEM VER FOI EU QUE GRITEI QUE TINHA SIDO PENALTI MESMO POIS DO ESTADIO VC SÓ VIA O ROBINHO CAIR E GRITEI NA HORA QUE VI O JUIZ LEVAR O APITO A BOCA E VENDO MEU AVISO A TORCIDA GRITOW EM SEGUIDA E SANTISTAS QUE NUNCA VI ME ABRAÇARAM E ME LEVANTARAM MEU PAI FOI ME ACHAR DO OUTRO LADO DE ONDE ESTAVAMOS INESQUECIVEL DALE PEIXEEEE

  • gilmar

    Parece que foi onte eu estava la, no morumbi trabalhava como vendedo de roupas de crianças na metade do segundo tempo eu consegui entra no esatadio do Morumbi para vender meus produtos foi aprimeira vez que eu entrei no Estadio a melhor podendo ver meu Santos ser Campeão encima do nosso maior rival podendo ver o canela fina pedalando encima do Rogerio que esta procurando ate hoje,so parou fazendo penalti e que golaço dale Santos

  • REGINALDO

    TODOS LEMBRAM DAS PEDALADAS DO ROBINHO,A CONFIANÇA NA HORA DE BATER AQUELE PENALTI,MAAS NÃO PODEMOS ESQUECER QUE UM GRANDE TIME COMEÇA POR UM GRANDE GOLEIRO CHAMADO FABIO COSTA QUE FECHOU O GOL NAQUELA FINAL UMA VERDADEIRA MERALHA.

  • joel

    cara eu fui assistir na casa da minha sogra todo mundo me odiava menos minha esposa naquele tempo namorada eu assistindo de boa sem bagunça quando sairam os 2 gols do timinho ai os putos dos meus cunhados me zuando até q graças a DEUS saiu o gol do elano comemorei de boa quando saiu gol do leo chinguei pra caralho ficou td mundo me olhando com cara bunda sem reacao nunca pensaram que eu faria aquilo se nao me aceitassem mais foda se pq troco de mulher mais nao troco de time.chupaaaaa gambazada kkkkkkkkkkkk

  • REGINALDO

    TODOS LEMBRAM DAS PEDALADAS DO ROBINHO,A CONFIANÇA NA HORA DE BATER AQUELE PENALTI,MAS NÃO PODEMOS ESQUECER QUE UM GRANDE TIME COMEÇA POR UM GRANDE GOLEIRO CHAMADO FABIO COSTA QUE FECHOU O GOL NAQUELA FINAL UMA VERDADEIRA MURALHA.

  • Cleiton Motta

    Passei a infância e adolescência inteira escutando que nunca tinha visto meu time ser campeão e quando vi aquelas pedalas fiquei pasmo, estatelado, esbabacado… Era o fim daquele jejum da “maioridade sem títulos”. Eles viraram o jogo e até fiquei com medo, mas aquelas canelas finas ainda tinham o que fazer no jogo, e fez! Zagueirada gambá doida até hj, tanto q logo se aposentaram (problemas na coluna, certamente). Daquelas canelas finas partiram os gols do Elano e do Léo… Naquele momento eu já não via mais nada, só sentia o gostinho de ser campeão da melhor forma possível…

  • Claudemir

    Foi o dia mais feliz a minha vida, até hoje. Qdo o Peixe marcou o terceiro eu ja sai correndo e gritanto … É Campeãoooo!!!!. Qdo parei de correr me deu até tontura rsrsrsrs. Nunca tinha visto tanto Santista. Foi um desabafo espetacular!

  • lembro bem dos dois jogos:no primeiro era para ser mais que 2×0.e o diego arrebentou.no segundo foi a vez do robinho:pisanando na bola para traz e para frente no meio campo foi santástico…o tima era santastisco mas robinho e diego roubaram á cena…vai santastico…08/12/2002 e 15/12/2002.mais que merecido…

  • Valter

    Lembro da tensão até o último minuto. Um amigo, que assistiu o jogo comigo lá em Curitiba, me disse que na hora do apito final eu estava ajoelhado na frente da TV, chorando enrolado na bandeira do Santos e gritando: “É Capeãããããããããão!”

  • Ricardo

    Em 2002 a minha sensação é que eu morri e nasci novamente.

  • o santos se classificou em ultimo lugar,e ai começou a arrancada para o titulo, eliminamos primeiro o são paulo, depois o gremio e em seguida a grande final contra o corinthians.ai sò alegria acabou se o pesadelo com direito a pedalada de robinho, somos campeâo brasileiro de 2002.

  • lenin

    o segundo gol,o do elano foi maravilhoso mas deu mto medo qdo timinho da marginal viro, acredito q passo na cabeça de tds o medo de eles fazer mais, depois daquele gol do ricardinho no paulista do ano anterior, mas no momento q o elano fez o gol foi só alegria!!

    E SÓ PARA LEMBRAR A NOSSA DIRETORIA Q FEZ UMA BURRADA ENORME ESSE ANO MANDO UM VERDADEIRO IDOLO EMBORA!

    ELANO VC SEMPRE ESTARÁ NOS NOSSOS CORAÇÕES SANTISTAS!!!
    SEM ESQUECER Q O GANSO SAIU PQ NÃO FOI VALORIZADO PELA DIRETORIA Q PROMETEU 40 MILHÕES PARA CONTRATAR JOGADORES SÓ VEJO VERDADEIROS IDOLOS EMBORA

    DIRETORIA INCOPETENTE MANDO NOSSOS IDOLOS EMBORA PARA CONTRATAR UNS PERNAS DE PAU: alguns nomes joão pedro, bil, gerson magrão, david braz parabens diretoria incopetente ainda mantem o muricy q só coloca defeito nas nossas promessas da base!!
    avisa pra ele pq acho q ele não sabe revelamos apenas alguns ROBINHO, DIEGO, ELANO,WESLEI, ANDRÉ,GANSO, NEYMAR, FELIPE ANDERSON ENTRE OUTROS !
    agora pergunta pro senhor muricy quem ele revelo!!

    craques a gente não contrata a gente forma!
    saudações santistas

  • Eu naõ sabia como ia começar o brasileiro mas quando o santos fez um amistoso com o corinthians e o Robinho a cia..acabaraõ com o jogo kkkk ai sim comecei a acreditar que iamos longe …..esse time foi inesquecivel

  • Rogério

    Não me esqueço da tarde de domingo em que o Fábio Costa pegou a 10 “emprestada” e disse esse título é nosso! Foi a melhor atuação de um goleiro em finais de campeonatos e ainda tínhamos Robinho iluminado e Léo nosso Guerreiro,Elano pé quente ( fez gol em 2004 também)

    Alex,Renato e Robert….

    Até hoje me emociono

  • rubens

    DIEGO E ROBINHO COMEMORANDO GOL EM CIMA DO SIMBOLO DOS bambis !!!!!

  • Paulo Vong

    Lembro da selecao brasileira chegando desacreditada a Copa de 2002 e o Santos F.C. fortissimo candidato ao rebaixamento do brasileirao de 2002, porem todos nos sabemos o final dessas historias. O Primeiro de muitos titulos da minha geracao, que ja tinha sofrido com a final de 1995. Assim como a Fenix, o Santos F.C. Renasceu das cinzas para voltar ao cenario mundial do futebol, de onde nunca deveria ter saido.

  • UBATUBARÃO

    Todas as melhores possíveis. Aquele ano foi muito especial pro futebol brasileiro em termos de superação, pois o Brasil ganhou uma copa do mundo que ninguém acreditava e o Santos tava numa draga danada. Quem reclama hoje é que não lembra daquela época em que os reforços para o Santos pra aquele campeonato foram Julio Sérgio, goleiro jovem e desconhecido do comercial, Maurinho, lateral direito do Paulista e Alberto, centroavante do Ituano e eles foram muito bem e importantes pra essa conquista. E no primeiro semestre, o Santos, treinado pelo Celso Roth, teve a capacidade de ficar fora das quartas de final do torneio Rio São Paulo não conseguindo passar pelo Bangu, isso mesmo, o Bangu. Mas o Leão com um trabalho primoroso, surpreendeu e montou uma equipe competitiva, jovem e alegre.
    No jogo final, eu vi um Santos fantástico como nunca tinha visto, porém, o Corinthians jogava por 2 resultados iguais e quando eles viraram no segundo tempo, precisavam de mais um gol pra estragar a nossa festa e o jogo tava muito igual, pois o Fábio Costa tava fazendo defesas incríveis, mas no momento de dificuldade é que aparece os craques pra facilitar e Robinho, numa bela jogada pela ponta direita cruza e deixa Elano na cara do gol pra empatar e dar mais tranquilidade, aí eu que já acreditava, passei a ter certeza e foi só esperar e pra ficar ainda melhor o Léo fechou o caixão com chave de ouro. Não dá pra esquecer nunca.

  • PAULO MASSAROTO

    ME LEMBRO DA FRASE DO LEÃO ” NOS CONVIDARAM PARA FESTA,E NÓS VAMOS COM CERTEZA” REFERINDO-SE A INESPERADA CLASSIFICAÇÃO DO SANTOS EM OITAVO LUGAR, QUE ACONTECEU SOMENTE PORQUE O CORITIBA NÃO CONSEGUIU VENCER O REBAIXADO GAMA DO DISTRITO FEDERAL….E NESSA FESTA BATEMOS NOS BAMBYS, MATAMOS O IMORTAL E DEPOIS FRITAMOS OS GAMBÁS…….SANTASTICO 2002…..O SHOW DA VILA….

  • alcy

    o que eu lembro? toda a midia esportiva fazendo chacota com nosso time o pvc no começo do campeonato dizendo que seria rebaixado o corinthians ganhando na mão grande a copa do brasil do brasiliense o babaca do simplicio querendo brigar com o diego todo mundo nos chamando de viuvas do pelé a torcida gritando não é mole não 18 anos sem gritar é campeão invasão do ct e no final o que ficou foi: desvira as faixas que o nosso santos é campeão

  • santos meu eterno amor

    Eu lembro que foi muita emoçao principalmente o jogo com os bambis nas quartas quando diego no fim deixou o ajoelha CENI desolado no chao ali ja merecia o titulo

  • Sérgio Almeida Silva

    Moro em Santos, e naquele dia estava no morumbi.
    Eu deixei na sacada da minha casa pendurado um papai noel com a camisa do peixe.
    O Santos foi Campeão, considero até hoje um dos dias mais feliz da minha vida.
    Fui comemorar o Titulo na Praça, quando cheguei no meu prédio na madruga
    olhei para cima e meu papai noel não estava lá… acordei meu pai e minha mãe.
    e eles me contaram que quando o timinho virou o jogo minha mão percebeu que o papai noel havia murchado então ela e meu pai ficaram até o final do jogo soprando o papai noel, e assim o Santos virou e foi campeão.

  • Bom,esse ano realmente foi muito especial pra mim(e todos os santistas),mas foi ano que realmente mudou a minha vida e minha paixão que só aumentou pelo Santastico!!….
    Muitos viveram a epóca do pelé,outros da época de chulapa e outros craques dos anos 50,60,70,80 e 90.Estes dizem que era a época de “ouro” do futebol nacional,era onde tinham os melhores craques do futebol mundial,que o futebol era mais alegre e outras coisas,até concordo pois foi quando apareceu pro Mundo o REI dos REIS,Edson Arantes do Nascimento,mais conhecido como Pelé.
    Alguns me criticam por que se me perguntar o time campeão da libertadores de 62/63, eu não tenho na ponta da lingua,mas sei que meu time foi campeãp e isso é o que importa.Pra estes que me perguntam dobre decadas passada eu respondo,eu não vivi aquela época e não só por isso,pois sei que tem muitos conhecedores que tambem não viveram e sabem muito sobre o Santos,mas até 2002(com 14 anos)eu não tinha esse grau de conhecimento santastico(bem que eu queria rs).Até por conta disso,eu sei da importancia que é saber da historia do clube e tenho um mini acervo de livros contando essa historia,para que eu melhore e aumente o conhecimento sobre o Maior de todos!
    A minha época que posso dizer com TODA a certeza é de Robinho e Diego adiante,não tenho vergonha de dizer que não sei quem estava jogando em 95 mais sei de 2003,e daí,essa é minha época.Essa época sim,o que quiserem conversar comigo a partir desse ano,eu conseguirei responder.
    Agora vamos falar sobre 2002!
    Antes mesmo de nascer,já na barriga da minha mãe eu fui escolhido e abençoado a ser Santista,ser santista voce não escolhe,voce é escolhido e abeçoado.Sempre acompanhei futebol com meu pai(Tambem Santista),porem,como quase toda criança,eu gostava mesmo de rua,jogar bola,empinar pipa e etc…Por isso que não tenho muitas recordações de times,jogos do santos até 2002,pois eu até falava de futebol na escola,mas até por conta da fila de titulos,não tinha muito o que falar,nunca tinha visto meu time ser campeão(Rio-SP de 95 e Comembol de 98 eu não acompanhei de perto e tmb não era de expressão).Eu só sabia de uma coisa,que era triste,o Santos entrava no campeonato apenas para não cair,isso era muito triste,mesmo assim acompanhava alguns jogos NUNCA eu nunca pensei em mudar de camisa,eu era escolhido e não poderei mudar!
    Em 2002 tinha muitas coisas acontecendo e parecia que sabia que seria um ano melhor futebolisticamente,mas quando soube que o time do Santos jogaria com uns “muleques” ai já veio na cabeça,”ferrou!!…mais um ano brigando pra não cair 🙁 ” e ainda bem que queimei a lingua.
    Por conta disso,sempre acompanhava os jogos pra ver o que ia dar o time.Não é que os “muleques” jogavam e muito…tava feliz e com fé que aquele ano levantariamos o caneco.
    Pelando já pra fase final,onde tenho ainda mais recordações,esse jogo do SantosxSão caetano não sai da minha mente.Naquele domingo,17/11(aniversario da minha irmã), bem no segundo tempo do jogo,acho que já tava 2×0 pro São caetano,minha mãe pediu pra que eu fosse no mercado com ela,como não estava passando na TV eu fui escutando no radio.
    Depois de sair do mercado,em frente estava um comerciante vendendo bandeiras de clube,eu estava tão confiante que o Santos iria se classificar,que eu pedi que minha mãe comprasse essa bandeira.Subindo a minha rua,acaba a partida mas a derrota não tirou minha felicidade,pois ali já estava sabendo que o Gama milagrosamente estava ganhando do Coritiba e cheguei no predio onde moro fazendo festa com a bandeira pois o Santos tinha classificado pra fase final.
    Já chegando no prédio,muitos me zuaram dizendo que o Santos não deveria nem ter classificado,pois iria pegar o time de melhor campanha,que era o São Paulo,nem me preocupei e disse que seriamos campeões.Lógico que acreditei mas não era cego e dizer que o São Paulo não era nada,como não era nada??Com o artilheiro do campeonato no time deles,dava medo,mas nunca desacreditei.Essa mesma bandeira,que me acompanha até hoje,foi coloca na janela sempre um dia antes de todos os jogos da final,pra mostrar a todo mundo,que ali mora um Santista feliz e com certeza meu deu muita sorte.
    Nessa mesma época,tinha começado uma promoção do lance pra juntar selos e trocar pela camisa do Tabajara FC,camisa que eu já queria e graças a essa promoção e a minha fé que depositava que o titulo seria nosso,foi a primeira vez que comecei a guardar jornais do Lance e até hoje tenho todos(ou quase todos) os jornais Lance de toda a fase final,imaginado assim que após a grande final aquelas edições seriam Historicas(e são).
    Dito e feito,acompanhei ainda mais todos os jogos da fase final e no dia dia da grande final,segundo jogo contra o corinthians,eu já acordei tremendo,não tremendo de medo,mas de anciedade pra começar o jogo.A bandeira já estava na janela e fiquei na espectativa até o inicio da partida.
    Começou a partida!!!…e quem disse que eu consegui assistir??Quem disse que eu conesegui ver ao vivo,o momento exato das famosas 8 pedalas do robinho??Não consegui,desde o inicio do jogo,fiquei na janela,com a cabeça debaixo da bandeira,olhando pro prédio do lado e tremendo que nem pelado no polo norte e o coração saindo pela boca e cada UHUUU!! do meu pai,eu virava pra TV pra ver o que foi.Naquela época,especialmente,eu tinha(ou criei) uma supertição,o Santos só ganhava se eu não assistisse o jogo,era incrivel eu começava assistir os jogos do peixe e tamavamos um gol,eu saia da sala ou parava de assitir,escutava meu pai gritando GOL,ai pensei,”Pô,acho que a zica sou eu!.Por isso que naquela fase final,acompanhei de perto,mas não assistia os jogos completos,corria pra sala sempre que meu pai gritava gol.
    Voltando a final,minha mãe já com medo que eu e meu tivessemos uma parada cardiaca,meu pai grita “É PENLATII!!!! nisso já começo a gritar na janela e me viro pra ver a obra prima do Robinho e todos os outros gols foram assim até o gol do Léo.No Gol do léo ai não aguentei,chorei(e choro escrevendo esse texto) e fui pra rua,antes mesmo de o juiz apitar a final,finalmente estava gritando campeão,finalmente estava mandando um “chupa” pros torcedores rivais,finalmente,depois de meus 14 anos(18 do santos) desentalei o grito,que pra muitos ficou engasgado desde 95,pra mim foi uma novidade que nunca vou esquecer.
    Só um adendo,de lá pra cá,peguei o maravilhoso costume de guardar todos os lances e posters da edição do Lance! um dia depois de ser campeão.

    Obrigado Lance por fazer parte da minha vida de torcedor e obrigado Santos por me escolher como seu sudito e tanto os jornais que guardo,minha bandeira que é meu amuleto de sorte e o amor pelo Santos,vou levar comigo sempre,até o caixão!!!

  • Era um verdadeiro martírio ser santista, era um sofrimento sem fim, a zoação de ser chamada de viúva do Pelé, que o Santos só foi grande quandoi se jagava com bola amarela…. enfim, 2002 foi o ano da redenção santista, foi o ano que O Santos mostrou para todos que um campeão verdadeiro sai da adversidade e da desconfiança, foi ano para virar não á pagina, mas virar a faixa, foi um ano não de voltar a ter orgulho, porque orgulho de ser santista é eterno, mas orgulho de ver o encantamento e resurgimento de um santos campeão jogando bonito, o ressurgimento do verdadeiro futebol brasileiro r que o alvinegro de Vila Belmiro sempre soube ser um de seus maiores expoentes. Salve Santos Futebol Clube amor de muitos, terror de muitos mais, mas admirados por todos que sabem o que é bom futebol.

  • Nill Santos

    Aquele título, aquele dia, o desespero em perder daquela forma de novo… me lembro de meu pai, flamenguista, me olhar com tristeza por mim e falar: ” é filhão” agora complicou… orei, e o gol de empate foi um alívio, só ali eu tive certeza do título… em 15/12/2002, meu aniversário de 18 anos… significativo, não?

MaisRecentes

Pensem no contrário da razão



Continue Lendo

O Santos real deu as caras e tirou o título do Santos hipotético



Continue Lendo

Escalação contra o Vasco diz mais sobre 2016 do que sobre o presente



Continue Lendo