Faltou um meia, sobrou oportunismo contra o Cruzeiro



Jogo truncado no início contra o Cruzeiro com poucas chances de gol. Falta para a equipe do Santos e quem pega a bola para a cobrança é… Adriano! O volante chutou colocado e Fábio espalmou para escanteio. Não foi nem a boa execução que chamou a atenção, mas colocar na bola parada um jogador que sempre se destacou por cometê-las mostra que o Santos anda sem referência.

Enquanto Felipe Anderson, o camisa 10, andava escondido, os marcadores do Peixe tiveram que chamar o jogo para compensar a falta de criatividade. Arouca deu conta, participou do contra-ataque e tocou para Bill fazer o pivô, a bola sobrou para o inconstante Felipe Anderson mandar o espeto de longe e abrir o placar.

Como não dá para atacar e marcar ao mesmo tempo, o meio afrouxou a marcação em alguns momentos. O empate surgiu então em bola alçada na área após falta feita por Adriano, que tentou driblar e perdeu a bola. Durval falhou e Borges fez, de volta à Vila Belmiro, onde tinha desaprendido o caminho das redes.

Arouca novamente levou o time ao ataque com participação de Leandrinho e Bill para o primeiro gol profissional de Victor Andrade, que mostra personalidade para driblar como Robinho, mas que ainda não está pronto para levar tantas pancadas.

O Cruzeiro ainda empatou com Ceará cobrando falta. O Peixe continuou dependendo dos volantes para criar, ou de um golpe de sorte. Foi segunda na opção, com um gol que Durval conseguiu fazer sentado. Tudo começou a conspirar a favor e Bill, sem marcar há nove meses, liquidou.



MaisRecentes

Pensem no contrário da razão



Continue Lendo

O Santos real deu as caras e tirou o título do Santos hipotético



Continue Lendo

Escalação contra o Vasco diz mais sobre 2016 do que sobre o presente



Continue Lendo