Mesma formação para não tomar sufoco



As lesões de Ganso e de Arouca deram a sensação de que o Santos voltaria a jogar com três volantes contra o Once Caldas (COL), ou até com três zagueiros. Não seria uma indecisão errada de Muricy, que ciente do cansaço de seu grupo, poderia sim jogar na defesa e usar uma formação mais segura.

Mas o treinador acenou com a possibilidade de jogar com Alan Patrick no lugar de Ganso e, ao lado de Elano, pode deixar o Santos mais à frente, sem levar tanta pressão do Once Caldas.

Com essa formação, é de se imaginar que o Santos vá ao ataque contra os colombianos, pelo menos no começo do jogo, quando o rival deve ir para a pressão desde cedo. Mas o Peixe promete atacar na mesma moeda.

Como o fôlego santista não está lá essas coisas, é provável que o espírito ofensivo não dure muito tempo. Assim, Muricy parece estar disposto a decidir o placar a seu favor no primeiro tempo. Nos 45 minutos finais, a estratégia deve ser jogar na defesa e apostar nos contra-ataques, o que com Neymar, não é pouca coisa.

Com a nova formação, deve entrar em campo Rodrigo Possebon, se o objetivo for marcar no meio de campo, ou Bruno Aguiar, para ter três zagueiros e liberar os alas. Com alas velozes, creio que ele utilize a segunda opção.



MaisRecentes

Pensem no contrário da razão



Continue Lendo

O Santos real deu as caras e tirou o título do Santos hipotético



Continue Lendo

Escalação contra o Vasco diz mais sobre 2016 do que sobre o presente



Continue Lendo