Uma nova ordem no surfe mundial - Mundo Surf

Uma nova ordem no surfe mundial



Em 2018 o Brasil vai mostrando que realmente virou a mesa e mudou a ordem e o cenário do surfe mundial. Passou de um intruso na festa nos anos 70 e 80, quando só australianos, americanos e havaianos dominavam o circuito para ser o principal protagonista exatamente 40 anos depois. Parece até mentira que estamos vivendo este momento, depois de conquistar títulos mundiais com Gabriel Medina e Adriano de Souza, contamos hoje com o maior numero de surfistas no circuito, ganhamos quatro das cinco provas realizadas neste ano e com isso temos hoje quatro entre os cinco primeiros do ranking. Nem os mais otimistas poderiam prever uma mudança tão drástica e tão implacável.

William Cardoso comemora seu trunfo em Bali Foto: WSL

As vitorias em Bali no começo de junho foram confirmadoras. Italo Ferreira segue demolidor em sue surfe de backside, de costas para as ondas e como definiu muito bem Teco Padaratz nas redes sociais, ele foi ‘implacável’ e atacou as ondas e não deu chances a ninguém em Keramas. O estreante William Cardoso vem crescendo de produção ficou em quinto e na primeira prova e depois surpreendeu a todos e venceu o atual líder do ranking Julian Wilson em Uluwatu, onde foi realizada a continuação da prova de Margareth River que havia sido adiada por causa dos tubarões. Como disse o amigo português João Valente, também nas redes sociais, não é mais um Brazilian Storm, já passou a ser uma verdadeira mudança climática. Um aquecimento tropical.
J BAY
Estamos chegando no meio do ano e muita coisa ainda pode acontecer, e a etapa de Jeffreys bay que começa na próxima semana e vai ser mais um capitulo importante na corrida ao titulo mundial de 2018. O australiano Julian Wilson tem um ótimo retrospecto em J- Bay e vai fazer de tudo para manter a liderança do ranking. Estou curioso para ver como o Italo Ferreira vai usar seu backside demolidor nas direitas perfeitas da Africa do Sul. Não podemos esquecer do Filipe Toledo que defende o titulo da etapa e que depois de sua vitoria no Brasil está na briga pelo titulo deste ano. William Cardoso ganhou moral e respeito em Bali esta em forma e seu surfe se encaixa bem neste tipo de onda. Gabriel Medina também esta na briga e pode vir com tudo para esta etapa. O sul africano Jordy Smith sempre é um favorito em casa e pode ser decisivo. Enfim temos todos ingredientes para ter na próxima prova um grande evento com ondas perfeitas emoção e drama.


MaisRecentes

Filipe Toledo mostrou em Saquarema estar pronto para ser campeão mundial



Continue Lendo

Ondas perfeitas e previsíveis na ” WSL Founders Cup”



Continue Lendo

Surfe na piscina marca uma nova era



Continue Lendo