Os "Merrequeiros" viraram "Big Riders" - Mundo Surf

Os “Merrequeiros” viraram “Big Riders”



Os brasileiros Rodrigo Koxa e Lucas Chumbinho foram os grandes vencedores do concurso XXL  de ondas grandes e enterraram de vez a fama de “Merrequeiros” dos nossos surfistas, agora somos os melhores e maiores “Big Riders”do planeta. Rodrigo bateu o recorde mundial e entra para historia do surf com sua onda de quase 30 metros surfada em Nazare, Portugal. Lucas foi eleito o melhor do ano pelas suas performances durante 2017, principalmente em Maui no Havai, e em Nazaré, que é hoje uma das mecas do surf de ondas grandes. Com isso afastamos de vez o estigma de sermos apenas surfistas de ondas pequenas e agora somos os reis das montanhas de água.

 

Na verdade este estigma de sermos surfistas de ondas pequenas foi aparecendo aos poucos, muita pela nossa habilidade de surfar ondas de vento quebradas, uma característica de nossas praias, principalmente do Nordeste, mas também por um preconceito que nossos surfistas sofreram quando começaram a se destacar no circuito mundial no final dos anos 80 e começo dos anos 90. Os estrangeiros de uma maneira geral para justificar suas derrotas para os brasileiros e nos chamavam de “Merrequeiros”, sob o argumento de que os brasileiros só ganhavam quando as ondas estavam pequenas.

 

Rodrigo Koxa recebendo o prêmio pela maior onda surfada na história Foto: WSL

 

Nem sempre fomos tratados como “Merrequeiros”, na verdade nossos primeiros surfistas a se aventurar no Tour mundial em meados dos anos 70 eram chamados de “Brazilian Nuts”, ou seja, os brasileiros malucos. Surfistas como Renan Pitangui, Pepe Lopes, Ricardo Bocao, Roberto Valerio entre outros, se jogavam nas ondas grandes do Havai e eram conhecidos pela coragem e habilidade em surfar ondas em Pipeline, Sunset e Waymea.

 

 

Nos anos 90 uma nova geração de Big Riders liderados por Carlos Burle e Rodrigo Resende foi mostrando que no Brasil além bons surfistas de ondas pequenas, nos também produzimos surfista habilidosos e destemidos para surfar ondas realmente grandes. Não temos em nosso pais ondas tão grandes assim, mas em alguns praias do Rio, como Saquarema e Macumba, de São Paulo, como Maresias e Guaruja e do Sul como a Praia da Vila e Silveira, nossos surfistas podem se aperfeiçoar e despontar o talento para surfar nos dias de grandes ondulações provocadas pelas frentes do outono e inverno.

 

 

Hoje em dia com a tecnologia e o uso de barcos e de Jet Skis, os limites do surfe de ondas grandes estão se extendendo. Cada vez mais surfistas de todo mundo ficam rastreando mega ondulações para surfar ondas acima dos 10 metros, seja na Europa, no Havai, na California, Africa do Sul, ou mesmo no Peru e no Chile. Existe um grande apelo em termos jornalísticos em função do grande desafio a uma das maiores forças da natureza e é lógico pelos sérios riscos que estão envolvidos neste esporte.

 



MaisRecentes

Filipe Toledo mostrou em Saquarema estar pronto para ser campeão mundial



Continue Lendo

Ondas perfeitas e previsíveis na ” WSL Founders Cup”



Continue Lendo

Surfe na piscina marca uma nova era



Continue Lendo