Ondas perfeitas e previsíveis na " WSL Founders Cup" - Mundo Surf

Ondas perfeitas e previsíveis na ” WSL Founders Cup”



O futuro parece ter chegado em termos de tecnologia, mas segundo a maioria das opiniões nas redes sociais, o evento especial da WSL que aconteceu neste fim de semana em Surf Ranch, na California, foi chato e previsível. Se por um lado foi emocionante ver os melhores surfistas do mundo numa competição por equipes nas perfeitas ondas artificiais. Por outro lado ficou claro que o numero limitado na geração das ondas fez com que o ritmo da competição seja mais lento e como as ondas são iguais, depois de algumas apresentações os surfistas começam a repetir manobras ficando um pouco monótono e redundante.  A equipe mundial se sagrou campeã muito mais pelos erros dos adversários do que por seus próprios méritos, ou melhor, neste formato com poucas chances de apresentação o mérito foi o de errar menos.

 

A onda em si é perfeita e longa, porém de tamanho limitado. Uma onda que demanda muito preparo físico, principalmente das pernas, pois surfar por cerca de 40 segundos em alta performance exige muito dos surfistas. Por outro lado como as ondas são geradas com data e hora marcada e os surfistas são rebocados até o ponto de partida, eles quase não precisam de remar, tirando a graça da disputa de ondas e de posicionamento que existem em uma competição de praia.

Gabriel Medina foi um destaques da equipe brasileira Foto: WSL

Ficou claro que o formato precisa ser aprimorado para a etapa do circuito mundial programada para setembro, porque com um numero muito limitado de ondas para cada surfista, o fator psicológico passou a ser determinante. Com duas ondas por entrada no mar, uma esquerda e uma direita, fez com que as ondas perdidas por uma queda ou falha, tivesse uma importância muito grande e isto se viu refletido na atitude dos atletas. Em geral as primeiras ondas surfadas, que no caso eram as esquerdas, foram executadas com medo de cair e sem manobras de risco, resultando num surfe conservador e sem graça.

De qualquer forma a experiência foi incrível, sempre imaginamos surfar ondas perfeitas num lago e as ondas do Surf Ranch são boas e aliam tecnologia com conhecimento técnico. Alguns surfistas acharam que se criou uma nova categoria de surfe, algo como a diferença entre vôlei de quadra e vôlei de praia, mas que sem dúvida vai fazer o esporte se desenvolver em lugares nunca antes pensados. Nesta mesma semana outras piscinas foram inauguradas demonstrando que existe hoje uma disputa tecnológica e financeira num mercado promissor. Com isso teve gente afirmando que a disputa pela melhor piscina deve ser mais interessante do que as disputas na piscina em si. Quem sabe? Aloha e boas ondas.

 

 



MaisRecentes

Filipe Toledo mostrou em Saquarema estar pronto para ser campeão mundial



Continue Lendo

Surfe na piscina marca uma nova era



Continue Lendo

Os “Merrequeiros” viraram “Big Riders”



Continue Lendo