Adeus Cruyff: a 14 nunca mais será a mesma



O adeus de um gênio (Foto: Reprodução)

O adeus de um gênio (Foto: Reprodução)

O futebol está de luto. Johan Cruyff morreu nesta quinta-feira (24) aos 68 anos. Ele lutava contra um câncer no pulmão diagnosticado em 2015 e deixa para trás inúmeras boas lembranças e a saudade de quem assistiu ou não um gênio do futebol, dentro e fora de campo. O nome da revolução na Holanda em 1974 fazia o jogo parecer simples e moldou o estilo que hoje admiramos no quase imbatível Barcelona.

O camisa 14 conquistou a Bola de Ouro três vezes (1971, 1973, 1974) e teve enorme influência na “Laranja Mecânica”, a icônica seleção holandesa que chegou à final do Mundial de 1974. Como treinador, sua influência foi ainda mais importante. O famoso tiki-taka marcou gerações e ainda hoje é uma marca do FC Barcelona e da seleção espanhola. A verdade é que Cruyff influenciou muitas gerações de jogadores e técnicos.

A lenda nunca venceu uma Copa do Mundo, apesar de chegar muito perto. Azar da Copa. O legado de Cruyff continuará influenciando o futebol para sempre. Ele transformou esse esporte que tanto amamos e seus ensinamentos de como enxergar o jogo nunca serão esquecidos. Perdemos o craque para essa doença, mas lendas duram para sempre, e ele ficará marcado na história.

“Jogar futebol é muito simples, mas jogar um futebol simples é a parte mais difícil.



MaisRecentes

Pique vira inspiração para empresa de cerveja de Barcelona



Continue Lendo

O lado bom (para o futebol) da saída do Reino Unido da União Europeia



Continue Lendo

Liverpool x Sevilla: algumas curiosidades da final da Liga Europa



Continue Lendo