Relembre outros gols fantasmas do futebol mundial



O gol fantasma de Kiessling nesta sexta-feira é apenas mais um em uma longa lista de erros de arbitragem, muitas vezes por limitação humana. Na Alemanha, aliás, esse tipo de lance é quase normal, com campeonatos sendo quase decididos por gols que simplesmente não contam (ou não deveriam contar).

Em outros países, também há alguns lances desse tipo. Vamos relembrar alguns deles. Se o leitor lembrar de outro que não foi citado nesta postagem, sinta-se à vontade para refrescar nossa memória nos comentários – lembrando que a nossa lista é composta apenas por gols que realmente não aconteceram (ou aconteceram e não foram validados), sem contar os lances onde ainda há dúvida (como, por exemplo, na final da Copa do Mundo de 1966):

1980 – Brasil 6×0 Paraguai – Gol de Tita

Na goleada da Seleção Brasileira sobre os paraguaios, o atacante Tita, então no Flamengo, cabeceou na rede pelo lado de fora, mas a bola entrou e o árbitro deu o gol, o segundo da humilhação sobre o vizinho.


(O segundo gol do vídeo é o de Tita)

1994 – Bayern 2×1 Nuremberg – Gol de Holmes

Em 1994, o Bayern disputava o título, enquanto o Nuremberg lutava contra o descenso. Em lance confuso, Holmes perdeu gol na cara do goleiro Köpke, que operou um pequeno milagre. Não para o árbitro Hans-Joachim Osmers, que marcou o lance como gol.

O jogo acabou em 2 a 1 para o time de Munique e o árbitro foi ameaçado de morte, antes de a Federação Alemã cancelar o jogo e ordenar um “replay”. Na outra partida, 5 a 0 para o Bayern.

1998 – Santos 2×1 Sport

Pelo segundo jogo das quartas de final do Campeonato Brasileiro, o Santos recebeu o Sport na Vila Belmiro e venceu por 2 a 1. O placar poderia ser mais extenso se o árbitro Jorge Travassos não tivesse voltado atrás em sua lambança.

Quando a partida etava empatada em 1 a 1, Eduardo Marques chutou e a bola entrou no gol do Leão pela rede do lado de fora. Travassos inicialmente dá gol do Santos, mas após rápida conferência com seus auxiliares e muita reclamação do Sport, anula o gol.

2010 – Alemanha 4×1 Inglaterra

Talvez o “não-gol” mais importante da história do futebol. Quando o placar marcava “apenas” 2 a 1 para a Alemanha nas oitavas de final da Copa de 2010, o meia Lampard soltou uma bomba que bateu na trave e entrou bastante no gol antes de quicar para fora.

O árbitro não validou e o caso revoltou o presidente da Fifa, Sepp Blatter. Até então, o suíço vinha sendo um advogado ferrenho de que a tecnologia não tinha lugar no futebol. Depois do ocorrido, o mandatário passou a fazer lobby pela entrada de sistemas tecnológicos de linha de gol, o que foi implantado pela primeira vez no Mundial de Clubes do ano passado.



MaisRecentes

Pique vira inspiração para empresa de cerveja de Barcelona



Continue Lendo

O lado bom (para o futebol) da saída do Reino Unido da União Europeia



Continue Lendo

Liverpool x Sevilla: algumas curiosidades da final da Liga Europa



Continue Lendo