E aí, Pep? Guardiola vai ter que quebrar a cabeça para encaixar Thiago. Veja opções



Ao contratar Thiago Alcântara, o Bayern de Munique, ao mesmo tempo, povoou ainda mais a constelação que é o clube, e arrumou um “pepino” daqueles para o próprio jogador e para o técnico, Pep Guardiola. Para o jogador, por ter saído de uma forte concorrência para outra. E para o treinador, por ter que juntar os novos contratados – o ex-jogador do Barcelona e Gotze – a Robben, Ribéry, Muller, Kroos, Schweinsteiger, Javi Martínez… Isso sem falar em Shaqiri e Luiz Gustavo.

Tratando-se de Guardiola, na verdade, tudo pode acontecer. Uma hipótese, inclusive, é manter o mesmo esquema de Jupp Heynckes, que levou “apenas” a Tríplice Coroa, e ir colocando Thiago e Gotze aos poucos. Como também pode mudar tudo e tentar encontrar lugar para todo mundo.

Captura de tela 2013-07-15 às 22.22.27

Esta foi a maneira que o Bayern jogou em boa parte da última temporada, principalmente após a grave lesão de Kroos, quando Muller foi de vez para a posição central da linha de três homens, e Robben voltou a ser titular. Ou seja, um 4-2-3-1 clássico. O holandês e Ribéry ficavam pelas pontas, e Schweinsteiger e Javi Martínez sendo os volantes. O croata Mandzukic é a referência na frente.

Captura de tela 2013-07-15 às 22.21.13

Da forma no campinho acima, não teria tanta diferença assim. Pelo menos não no posicionamento. Como Robben estava praticamente de saída, apenas ganhou um novo fôlego por causa da excelente segunda metade de temporada que fez, coroada com o gol do título da Liga dos Campeões, pode voltar para o banco (a conferir).

Desta maneira, Gotze pode ficar lá na direita, com Ribéry mantido na esquerda, e Thiago ficaria no meio, fazendo a função do camisa 10. Como todos os três têm qualidades para jogar centralizados e também caindo pelas pontas, eles podem se movimentar, trocar posições, e pressionar a saída de bola. Tudo o que Guardiola ama.

Captura de tela 2013-07-15 às 22.19.51

Caso o catalão queira implementar o esquema que consagrou no Barcelona agora no Bayern, pode utilizar o esquema acima. Schweinsteiger ficaria (ainda mais) sacrificado na marcação, podendo ter Luiz Gustavo na lateral-esquerda, no lugar de Alaba, para tentar dar mais sustenteção à marcação, já que o forte do austríaco é o ataque, enquanto o brazuca marca bem. Assim, liberaria outros jogadores na frente.

Assim, o Bayern fica em um 4-3-3, com Thiago e Gotze completando o meio-campo (tendo Kroos como forte concorrente para ambos), fazendo funções parecidas, mas um de cada lado. Na frente, Muller seria o falso 9, puxando a marcação para trás enquanto um arsenal muito qualificado chega na frente, e mantendo Ribéry e Robben pelos lados.

Fazendo uma comparação: Schweinsteiger-Busquets; Thiago-Xavi; Gotze-Iniesta; Muller-Messi; Ribéry-Villa; Robben-Pedro.

Captura de tela 2013-07-15 às 22.21.13

A última, e mais ousada, seria um 3-4-3, esquema que Guardiola usou algumas vezes, tendo Mascherano ao lado de Piqué e Puyol lá atrás. Ele pode colocar três “zagueiros-zagueiros”, ou manter Dante e Boateng, e complementando o setor com Javi Martínez (o que faz até mais sentido, ao contrário do que o meu campinho diz).

Desta forma, Dante ficaria pelo lado esquerdo, sustentando quem estiver na frente, e Lahm seria um ala, um “Daniel Alves”, podendo compor o meio-campo com Schweinsteiger. Gotze e Thiago completam o meio-campo, com Muller e Ribéry na frente, com Mandzukic de referência.

Em vários destes esquemas, a pergunta “e quem marca?” pode vir. Simples. Guardiola sempre gostou de marcação por pressão, que começa lá na frente. Ou seja, todos terão esta obrigação. No Barcelona era assim. Mas vai precisar treinar. E muito.



  • Carlos Henrique

    Todas as formações são possíveis, mas se ele usar a formação do terceiro campinho ele vai se arrepender. Apesar de ficar com 5 grandes jogadores na linha de ataque, abrir mão do Alaba é besteira, assim como sacrificar o Schweinsteiger na marcação. O cara joga muito, e definir que ele é primeiro volante é besteira. O melhor seria colocar o Alaba na esquerda e o Javi Martinez no lugar do Thiago, deixando o Javi como primeiro volante e o Schweinsteiger de segundo volante, ajudando um pouco na marcação e ajudando o Gotze e o Muller a armar o time. Só deixando claro que acho o Thiago um jogadorzaço, mas concorrendo com Muller, Schweinsteiger, Gotze, Ribery, Robben, Kroos e Martinez acho dificil ele ser titular. E o Badstuber é o melhor zagueiro do elenco do Bayern, mas só volta de lesão em janeiro de 2014.

  • mauricio corsario

    Discordo completamente das análises dos “campinhos”. Vcs parecem desconhecer características básicas, para não dizer estilo, de alguns dos jogadores citados. Desde quando Thiago joga à frente de Gotze. Pois é o que vcs fazem escalando uma linha com Lahm, Schweinsteiger, Gotze com Thiago centralizado. Outra: Gotze não aparece em nenhum dos campinhos como o falso nove, posição em que foi mais especulado desde a sua contratação pelo Bayern; detalhe: jogou os últimos jogos pela seleção Alemã nesta posição formando o ataque com Muller e Marco Reus pelas pontas. Thiago é um grande jogador e em que pese Guardiola e a opinião parcial do seu pai, não é melhor que Schweinsteiger, Toni Kross e Gotze. Dito de outra forma: se ele e seu pai escolheram o Bayern achando que a titularidade é questão de horas(vide a entrevista), podem se dar mal.

MaisRecentes

Pique vira inspiração para empresa de cerveja de Barcelona



Continue Lendo

O lado bom (para o futebol) da saída do Reino Unido da União Europeia



Continue Lendo

Liverpool x Sevilla: algumas curiosidades da final da Liga Europa



Continue Lendo