Os vários brasis no Brasil de Mano Menezes



Mano Menezes chega ao seu sexto amistoso no comando da Seleção neste domingo, contra a Escócia, em Londres. O técnico segue fazendo testes na equipe, buscando a formação ideal. O importante é ressaltar que o Brasil sente falta do “cara”. Há algum tempo, se não me engano desde Kaká no Milan em 2007, o país não tem um jogador de grande destaque no futebol mundial.

Para mim esse cara do Brasil deveria ser Ganso. O 10 do Santos esteve em campo com Mano apenas no jogo contra os Estados Unidos, primeiro do novo técnico após a Copa. Ao lado de Robinho, Neymar e Pato, fizeram um belo jogo – contra um adversário que não ofereceu muita resistência. Mas em termos de armação, foi o melhor de todos desde o término do Mundial.

Na sequência o Brasil encarou Irã e Ucrânia. Duas boas vitórias (3 a 0 e 2 a 0, respectivamente), mas que mostraram que a ausência do camisa 10 foi muito sentida. Na partida contra os iranianos as coisas só melhoraram quando Elias substituiu Philippe Coutinho. contra a Ucrânia, Mano abriu Carlos Eduardo na direita e entrou com Elias desde o início. Sem muito esforço, o Brasil obteve êxito, mas o técnico não ficou satisfeito.

Logo depois vieram as duas derrotas que fazem da partida contra a Escócia um encontro muito importante, em que é preciso muito vencer. O técnico Dunga, mesmo muito questionado, não perdeu três jogos seguidos com o Brasil. Contra a Argentina Mano lançou Ronaldinho Gaúcho como principal armador, e Robinho e Neymar no ataque. O time sentiu a falta de Pato e perdeu por 1 a 0. Contra a França, qualquer que tenha sido o jogo proposto antes do apito inicial, acabou perdido depois da expulsão de Hernanes. Novo revés, novamente por 1 a 0.

Contra a Escócia, pela primeira vez com um homem legitimamente de área – o jovem Leandro Damião – Mano Menezes tenta dar uma nova cara ao time. Terá um lado direito muito forte com Daniel Alves, Elano (ora ele, ora Ramires) e Neymar (que pode cair por ali e pelo outro lado). E na esquerda, Marcelo é outra boa opção ofensiva contra a retranca britânica.

O técnico da Seleção tem razão em manter essa equipe? Quais mudanças você gostaria de fazer? Comente! Lembrando que as escalações são aquelas com as quais o Brasil iniciou os jogos (e, no caso da Escócia, a que Mano treinou antes da partida).



MaisRecentes

Pique vira inspiração para empresa de cerveja de Barcelona



Continue Lendo

O lado bom (para o futebol) da saída do Reino Unido da União Europeia



Continue Lendo

Liverpool x Sevilla: algumas curiosidades da final da Liga Europa



Continue Lendo