logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes

Atlético Mineiro 1 x 1 Palmeiras | Blog Mauro Beting
logo lance
undo
Nacionais
Internacionais

BlogsL!

Colunistas

2 Pontos

por Rodrigo Borges e Fabio Chiorino

Blog da L!TV

Vídeos

Blog do Baldini

por Wilson Baldini

Blog do Bechler

por Marcelo Bechler

Blog do Kfouri

por André Kfouri

Blog do Garone

por André Schmidt

Blog do Gui Gomes

por Guilherme Gomes

Blog do Guilherme de Paula

por Guilherme de Paula

Blog do Janca

por João Carlos Assumpção

Blog do Mansell

por Eduardo Mansell

Blog do Marra

por Mário Marra

Blog do Salata

por Thiago Salata

Blog do Tironi

por Eduardo Tironi

Bulla na Rede

por Rafael Bullara

Crônicas do Morumbi

por Ricardo Flaitt

De Prima

por Fábio Suzuki e Igor Siqueira

Em Cima do Lance

por Bernardo Cruz e Igor Siqueira

Fora de Campo

O dia-a-dia dos atletas

Futebol & Ficção

por Valdomiro Neto

Futebol na Terrinha

por Thiago Correia

Gol de Canela FC

por Jonathan Oliveira

Humor Esportivo

Trollagem e zoação

Laguna Olímpico

por Marcelo Laguna

Lance! Livre

por Lucas Pastore

Made in USA

por Thiago Perdigão

Marketing & Economia da Bola

por Amir Somoggi

Números da Bola

por André Schmidt

O Mundo é Uma Bola

por Leonardo Pereira e Luiza Sá

Papo com Boleiro

por Luiz Otávio Abrantes

Planeta Fut

por Luiz Augusto Veloso

Press Start

por Lazlo Dalfovo, Pedro Scapin e Thiago Bicego

Quem Não Sonhou?

por Gabriel Carneiro

Saque

por Daniel Bortoletto

Segunda Pele

por Leonardo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini

Super-Raio X

por Alexandre Guariglia

Tênis

por Fabrizio Gallas

Clubes

Doentes


Atlético Mineiro 1 x 1 Palmeiras

por Mauro Beting em 28.out.2010 às 10:31h

 

Renan Ribeiro e Deola não deixaram o placar ser algo próximo a 3 x 3, 4 x 4, em Sete Lagoas.

Mas Marcelo de Lima Henrique, árbitro que adora marcar pênaltis, quis compensar tudo o que os dois ótimos goleiros (mais uma vez) não deixaram acontecer.

Marcou dois. O primeiro, em Lincoln, aconteceu; o segundo, em Obina, eu não marcaria.

O problema é que a arbitragem anda tão confusa, para abusar do eufemismo, que os árbitros, até quando acertam, erram:

No lance a favor do Palmeiras, Lincoln estava impedido. Bem impedido, antes de ser derrubado. O assistente experiente Alessandro  Matos (BA) não viu, não  marcou, e foi na do árbitro. Só depois, sabe-se lá como, corrigiu o erro, e fez justiça, ainda que de modo estranho. E, também, se faça justiça: ele não foi alertado pelas imagens da TV, muito menos por alguém de TV: antes do  replay ele se corrigiu. Ainda que até o acerto tenha sido estranho.

Só no pênalti em Obina o árbitro se equivocou. Na minha opinião, e na de muita gente.

Mas, no Brasil, lances como esse viram pênaltis facilmente.

E é preciso entender. 

Difícil, apenas, é sacar como o time misto do Atlético, de bom nível, ainda está ameaçado no BR-10. Como Valdivia tantas vezes sente a fibrose na coxa bamba. Como Kléber não recebe mais  vezes mais gente para tabelar com ele como no belo gol paulista. Como um bom jogo acaba sendo mais lembrado por feios erros. Como Felipão tem perdido o equilíbrio com facilidade.

Tags: , ,

  • Cláudio

    Como sabem todos que acompanham o futebol brasileiro, historicamente não há clube grande mais prejudicado pela arbitragem que o Galo. No clássico desse fim de semana, mesmo, o time foi clamorosamente roubado, como de costume.

    Ontem, o impedimento aconteceu, mesmo. Mas o bandeira ou não viu ou acreditou que aquele pano que ele carrega na mão é só para fins de decoração. Mas o que o Palmeiras está defendendo? Que o impedimento, quando constatado com dez segundos de atraso (que é muita coisa), não deve ser marcado?

    O pênalti no Obina foi daqueles que tem gente que dá e tem gente que não dá. Contra o Galo, geralmente dão. Aliás, deram. O pênalti que o Montillo desperdiçou ridiculamente foi até menos claro que o de ontem.

    Isso tudo para dizer que ontem os dois lances polêmicos da arbitragem favoreceram o Atlético. Milagre.

  • ita

    na minha opiniao e na de muita gente foi penalti no obina!

  • Claudia

    Fomos garfados como sempre.

  • Alex

    Mauro Betin, acho que quando vc falou ”na minha opiniao e de muita gente” voce quis dizer ”na opinião dos palmeirenses, incluindo da imprensa paulista”. Como ouvi falar por ai, FOI MUITO PENALTI SIM. Vc é bem equilibrado e ponderado, mas sugiro que reveja o lance, converse com outras pessoas, pois, como reporter, sua opinião influencia o comportamento de torcedores. O resultado foi mais do que justo.

  • Walter J Pereira

    Mauro,

    não entendo como o jornalismo pode ser tão covarde assim.Quando não tem interesse em apurar os fatos, seja por preguiça mesmo, ou pior por agradar A ou B, que muito das vezes é o que lhes paga. Claro que também entendo que o futebol é a coisa mais importantes, dentro das menos importantes, como já diz um poeta espanhol. Mas isso não é só no futebol, é na politica partidária, no judiciário e muito também no executivo. Veja só o que aconteceu ontem no lance do penalty do Palmeiras: O bandeira não ergueu a bandeira porque ficou na dúvida se o lançamento para o jogador impedido, foi feito com as mãos ou com os pés. Por esse motivo, acionou o árbitro pelo vibracall que existe na bandeira e foi lá esclarecer. Como o juiz informou que tinha sido uma jogada com os pés, confirmou o empedimento e anulou corretamente o lance. Ai vem um milhão de jornalistas, blogueiros, profissionais sem diploma, cometarista de arbritagem safados, etc. Detonar o pobre do bandeira e árbritos. Lamentavelmente nenhum teve a coragem de apurar e informar corretamente. Porque? Simples, pelo que ilustrei no inicio deste cometário. Lamentável, lamentável…

  • Leandro

    Só para deixar claro, Mauro, não foi um time misto do Atlético que foi a campo. Foi praticamente um time reserva, com apenas 3 titulares. As entradas de Obina e Diego Souza, já no segundo tempo, é que deram uma configuração de misto ao time do Galo. A verdade mesmo é que o Palmeiras sofreu contra os reservas do Atlético.

  • carlos

    ATLETICANO É CHEIO DE SE PASSAR POR VITIMA NEH, O OBINA TA NA UTI COM AQUELE TOMBO QUE FRATUROU 3 COSTELAS E UM BRAÇO KKKKKK
    VCS PODEM SER ROUBADOS MAS O PALMEIRAS AINDA GANHA AFINAL ATE NESSE ELE FOI GARFADO, MAS ENFIM DEIXA PRA LÁ, O PIOR É SER FREGUÊS DO CRUZEIRO!

  • Felipe

    O Palmeiras sofreu contra os reservas do Atlético, com a ajuda da arbitragem. Por quê esse time reserva não joga todo jogo? Talvez assim o atlético estaria um pouquinho mais longe do rebaixamento, não é? =)

  • Reinaldo

    Walter…deixa eu ver se entendi:
    – o assistente (bandeira) não sabia se o lançamento foi com as mãos ou com os pés?
    (O que ele estava fazendo no jogo então???)

    – mas…ainda indeciso (???) ele esperou o que? A jogada terminar em nada, penalty ou gol…para aí então tirar dúvida com o árbitro???

    Para mim…isso tudo ainda soa muito estranho.

  • jorge

    Precisa-se de uma mudança de pensamento urgente no futebol brasileiro, enquanto isso não mudar ainda veremos penaltis ridículos como esse serem marcados.

    É muito comum você ver faltas sendo marcadas em jogadas que o adversário apenas encosta no jogador, e o pior de tudo é que todo mundo realmente acha que foi falta, aí não tem como se exigir um jogo corrido se os próprios espectadores acham faltas onde não tem.

    Sem falar nos absurdos cartões amarelos que os juízes distribuem e os espectadores mais uma vez concordam.