8 ou 80 – 16/10/2001 a 26/10/2001

por Mauro Beting em 26.out.2010 às 12:01h

 

16 de outubro de 2002

A final antecipada do Brasileirão-02?

[N.R em 2010: o clássico valia pela primeira fase do BR-02. São Paulo venceu por 3 x 2. E as equipes se enfrentariam nas quartas-de-final do campeonato]

Com o devido respeito ao Corinthians, e aos líderes da hora São Caetano e Juventude, não daria para fugir de Santos x São Paulo como a mais bela e possível final do BR-02.

O mais encantador time do país contra o melhor elenco. O xodó da hora contra o time que parece ter achado a hora de crescer. Diego & Robinho x Kaká & Ricardinho. Um jogaço. Ao santista saudoso, uma lembrança: o principal adversário (e vítima) dos meninos da Vila de 1978 foi o São Paulo…

O Santos é uma novidade técnica amparada por uma “velhice” tática. O 4-2-3-1 que Leão adota desde o início do BR-02 (você já lê isso por aqui desde agosto) é o mesmo que usou no Santos de ótima campanha no BR-98: Lúcio (depois Róbson Luiz) fazia a função de armador pela direita, como Elano; Eduardo Marques era o armador por dentro, como Diego; Alessandro (ou Messias ou ainda Adiel), o meia aberto pela esquerda; Viola era o Alberto, o único atacante.

Leão não se repetiu. Aprimorou-se. Deu a Robinho uma ponta para infernizar, a Elano um lado para armar, atacar e marcar, e a Diego toda a liberdade que um meia como ele merece gozar.

Até Alberto joga nesse time. São 5 jogadores no meio quando é atacado, e pelo menos quatro (mais os laterais, mais Renato) em busca do gol. Tanto quanto a qualidade técnica da meninada, a aplicação tática numa marcação eficiente e obsessiva garantem o sono a Leão, e os sonhos ao santista.

24 de outubro de 2002

[N.R. em 2010: Uma relação de jogadores que poderiam estar em Atenas. E também não estiveram porque o Brasil nem do Pré-Olímpico passou, em janeiro de 2004]

Só falta escalar o time e o técnico

Atenas-2004: Tite escala o Brasil com Rubinho (Corinthians); Maicon (Cruzeiro), Luisão (Cruzeiro), Alex (Santos) e Chiquinho (Inter); Fábio Rochemback e Thiago Motta (Barcelona); Kaká (São Paulo), Diego e Robinho (Santos); Adriano (Parma).

Um time reserva: Marcelo Pitol (Grêmio); Gabriel (São Paulo), Júlio Santos (São Paulo), André Bahia (Flamengo) e Fabinho (Paraná); Eduardo Costa (Bordeaux) e Fabrício (Corinthians); Leandro Bonfim (PSV) e Paulinho (Atlético Mineiro); Dagoberto (Atlético Paranaense) e Mahicon Librelato (Inter).

Outro time: Alexandre Negri (Ponte Preta); Daniel (Bahia), Edu Dracena (Olympiakos), Marquinhos (Corinthians) e Michel (Atlético Mineiro); Paulo Almeida (Santos) e Felipe Mello (Flamengo); Elano (Santos) e Leo Lima (Vasco); Lima (Coritiba) e Nenê (Palmeiras).

Tudo bem, esse terceiro time já não encanta. Mas quem pode pelo mundo escalar um time como aquele titular?

Nem o Brasil. Não há planejamento, não há comissão técnica, há Ricardo Teixeira. E não podemos ter Gil, Ricardo Oliveira e outros jogadores nascidos antes de 1981. Uma pena. Mas não há como reclamar com tanta gente boa na área.

E tem mais: só a lateral direita, há tempos deserta, ainda tem alguma esperança com os ofensivos Ângelo (Corinthians) e Pedro (Palmeiras), e o eficiente Mineiro (Juventude).

Faltam goleiros, porém: Diego (Flamengo), Rafael (Santos) e, vá lá, Edmar (Galo) e Jefferson (Cruzeiro) não garantem sossego. Mas tem muito mais…

Mais nomes

Júlio Baptista [foto acima] é um que nasceu depois de janeiro de 1981 e pode jogar em qualquer seleção que se forme. Como meia, volante, atacante…

Volantes

Fernando (Grêmio), Dudu Cearense (Vitória), Augusto Recife (Cruzeiro), Dionattan (Juventude), Rodrigo Souto (Vasco)…

Meias

Daniel Carvalho (Inter), Siston (Vasco), Carlos Alberto (Fluminense), Alexandre Fávaro (Coritiba), Marcinho e Juliano (Corinthians), Wendell (Cruzeiro)…

Mais meias

Bruno Ferraz (Grêmio), Guilherme (Guarani), Danilo (Lusa), Mateus (Azulão), Cleiton Xavier (Inter)…

Atacantes

Jussiê (Cruzeiro), Jabá (Coritiba), Leo e Daniel Vítor (Guarani), Andrezinho (Flamengo), Douglas (Santos), Iotte (Lusa), Leandro Alves (São Paulo)…

Mais atacantes

Cláudio Pitbull (Juventude), Souza (Vasco), William (Santos), Lucas (Ponte), Oliveira (São Paulo), Leandrão (Inter), Robert (Azulão)…

Laterais

Júlio (Lusa), Wéderson (Vasco), Paulo Rodrigues e Leílton (Vitória), Anderson (Flamengo). Todos jogam na esquerda. 

Tags:

  • http://riba10.blogspot.com Ribeiro

    Boa tarde Mauro Betting,

    Primeiramente Parabéns pelo seu excelente blog.

    Só gostaria de uma informação, o Vágner Love, na época jogador do Palmeiras, não teria futebol ou idade para estar nesse time?

    TERIA, sim. Porém, à época, o Love só tinha feito um jogo pelo Palmeiras. Só era Vágner, nem Love.

    Obrigado Mauro.
    Abraço!!

  • Flavio Verdão

    O que vc acha de o Palmeiras contratar o Conca? Ele está em fim de contrato no Flu, e o Flu nem tá ligando pra renovar… Você tem coragem de perguntar isso ao Felipão?

  • Caetano

    Mauro,

    o 3º time de Atenas 2004, que não encanta ninguem, como dissestes, colocou 3 jogadores titulares nessa copa do mundo de 2010. Engraçado, não é?

  • http://rumoatokyo.wordpress.com Alan Bezerra

    É engraçado ler esses textos antigos e ver quais dos jogadores citados estouraram no futebol nacional e mundial. E como um volante do terceiro time virou titular em uma Copa do Mundo nove anos depois…