Fluminense 3 x 0 Internacional

por Mauro Beting em 16.ago.2010 às 12:41h

A fase é ótima quando se enfrenta o virtual bicampeão da Libertadores com apenas dois titulares (Renan, muito abaixo do ideal, e Tinga que saiu machucado), e se vence com imensa facilidade, mais uma vez com uma bolha de gols em menos de três minutos, como Mariano fez um gol de canhota, numa bola carambolada, e como Washington fez mais um gol de Washington, de cabeça. Repetindo os dois gols do Flu na rodada anterior, no Sul, em apenas 110 segundos.

Mas não é só sórte. É trabalho. Competente como o de Muricy, que alertou para o oba-oba gremista que o ajudou a tirar 11 pontos de diferença de Celso Roth, no BR-08, e conquistar o tri brasileiro pelo São Paulo. História que Muricy lembrou no festivo vestiário tricolor. Mais possível de acontecer nas Laranjeiras que aquilo que aconteceu com o treinador, no BR-09, quando assumiu um Palmeiras líder, e terminou fora do G-4.

Porque o Flu tem o que faltou àquele Palmeiras. Elenco. Tanto que o astro Deco, apresentado em bela festa para mais de 60 mil tricolores antes do clássico no Maracanã em tarde de Maracanã. E o Flu em mais uma grande tarde. Mantendo 76% de aproveitando. Abrindo 10 pontos contra o surpreendente Avaí, terceiro colorado. E jogando como se o rival fosse qualquer um.

Não é apenas boa técnica de bom elenco. É muita velocidade na transição ao ataque. O primeiro gol é exemplar. Os arranques de Mariano e Júlio César (ou Carlinhos) pelos lados são impressionanes. Tanto quanto a boa fase de Conca, que perdura desde os tempos de Vasco. Impressionante como o argentino joga bem até quando o time joga mal – como jogava na primeira fase do BR-09. Com um time brilhando, iluminado, jogando e correndo, Conca faz ainda mais.

E poderá fazer muito mais com Deco.

O 3-4-1-2 que Muricy adota e pode ser mantido com Deco

Tags: , ,