Palmeiras 2 x 0 Atlético-PR

por Mauro Beting em 15.ago.2010 às 15:35h

Tecnicamente, um jogo pavoroso. Sofrível. Frio como a noite paulistana, mais parecida com a de Johanesburgo.

O Atlético apresentou todas as fragilidades que têm apavorado seu torcedor. Sobretudo no setor defensivo, que sofreu o gol no primeiro lance palmeirense, completado por Danilo, e ainda sofreu o segundo quando o Furacão tinha um a mais, depois da expulsão no reinício de jogo de Tadeu, que mais uma vez mal entrou e pior saiu. Um belo gol de Ewerthon, num belo passe de Tinga, o melhor em campo. Até por falta de opção.

Bonito, mesmo, foi ver a humildade divina de Ademir da Guia entregando a 10 para Valdivia, que discursou prometendo título. O que não será fácil com um time sem ele, Kléber e Lincoln. E sem opção de ataque que não é Tadeu, não parece ser Luan, e, com muito esforço, poderia ser Ewerthon.

Mas Tinga joga e marca. Edinho tem sido o que já foi Pierre. Marcos Assunção dá uma saída qualificada. E Fabrício, que estreou como lateral-esquerdo no 4-2-2-2 de Felipão, foi muito bem. Para um jogo que não foi nada bom.

Felipão estreou Fabrício como lateral-esquerdo, com Márcio Araújo saindo mais à direita. Tinga (bem) e Rivaldo (mal) foram os meias de um 4-2-2-2 básico e circunstancial pelas ausências e carências palmeirenses diante de um preocupante Furacão

Tags: , ,