Nona rodada

por Mauro Beting em 19.jul.2010 às 13:17h

A culpa foi da Jabulani que tirou Fábio Costa do chute do ótimo Bruno César na vitória do líder invicto do BR-10 sobre o ainda claudicante Atlético Mineiro? Ou foi a bola polêmica da Copa (que no BR-10 é de outra marca) que enganou o palmeirense Deola no quarto gol avaiano, na belíssima vitória do time do Guga, que venceu bem o São Paulo no Morumbi, e ainda mais bonito o Palmeiras de novo nas mãos de Felipão? Teria sido a vuvuzela que azucrinou a zaga são-paulina para não se acertar nos três gols do Vitória, como já havia errado tão feio quanto Ricardo Gomes na remontagem defensiva tricolor, na retomada do BR-10?

Difícil esquecer a África do Sul com o Brasileirão tão absurdamente colado na Copa decepcionante e medíocre. É muito jogo para pouco futebol, no Mundial, e no BR-10. Ainda assim, mesmo sem ritmo, as duas primeiras rodadas foram melhores que a encomenda mal feita e extemporânea da CBF. Partindo pelo líder Corinthians, que conseguiu empatar no Castelão com a melhor surpresa de 2010 – o Ceará –, e venceu com autoridade o Atlético Mineiro, no Pacaembu. O Timão teve dez chances, mas só fez um gol lotérico, no momento em que o jogo era mais equilibrado. Acontece. E mais ainda com um time em boa fase e iluminado. Mesmo que sinta demais a ausência de um homem de área. De um Ronaldo que vai demorar a voltar. Não será mais aquele. Mas ainda é um nome para sempre respeitar. Eu continuo só duvidando de quem duvida dele.

G-4 – O Fluminense teve sérios problemas para conter a impressionante avalanche santista. Time que criou 10 chances e não parou. Ou só parou nas mãos de Fernando Henrique, que fez grande partida na Vila a favor de um Flu que é vice-líder, e pinta muito bem para tentar o bi brasileiro. Tem dinheiro, estrutura, treinador e um elenco de bom nível. Como os alas Mariano e Carlinhos, essenciais na grande vitória diante de um Santos que começa mal. Mas vai se recuperar. Se der a lógica, ganha a Copa do Brasil, e vai brigar até o fim pelo título. Com ou sem Robinho. Com ou sem o melhor de Keirrison, que tem tudo para se encaixar nesse time – desde que queira, o que nem sempre é o caso.

O Flamengo também teve um jovem goleiro para celebrar, em Goiás: Marcelo Lomba fechou a meta e ajudou o hexa brasileiro a vencer um cada vez mais preocupante Atlético-GO, perdido num gol de pênalti de Pet. Vitória que deixa o Flamengo no G-4, mas ainda longe do futebol do returno do BR-10. Também pela falta de uma artilharia de peso.

SUL-AMERICANA – Se o São Paulo voltou mal, pelos erros defensivos que também são débito de Ricardo Gomes (que mudou uma defesa acertada que agora só bate cabeça) – e perdeu para um Vitória que fará o Santos ter se suar sangue e bola em busca do título nacional -, o Inter está muito bem. 100% em dois jogos, e com um futebol eficiente e consistente.
O Cruzeiro também mandou legal, ganhando com um belo gol de Gilberto (um que voltou melhor da Copa) do Goiás, que subiu no segundo tempo. Mas não a ponto de merecer o empate.

O Avaí também recomeçou muito bem, aproveitando dos problemas defensivos do São Paulo na quarta-feira, e das falhas do meio-campo palmeirense no domingo.

O Guarani segurou o empate no Engenhão muito mais por dois erros de arbitragem que, para variar, prejudicaram o Botafogo. Time que empatou também pelos problemas técnicos da equipe, que escapa por um ponto da zona do rebaixamento.

O último da turma da Sul-Americana é o Grêmio Prudente, que aproveitou a má fase do xará gaúcho para ganhar por 2 a 0, mesmo com um a menos. A maior decepção do BR-10 é o Grêmio, que não tem time para estar tão mal assim. O que não significa dizer que a melhor saída é a de Silas do comando.

G MENOS 4 – O Vasco ganhou da arbitragem um pênalti que não aconteceu. Mas mereceu vencer outro time que padece na turma dos infernos. O Furacão precisa mudar muita coisa para se salvar. Como o Vasco, apostando na base, pode se dar bem. Não em busca do lugar dele. Mas, ao menos, para não sofrer o que padeceu em 2008.

Tags: