Dia 2 – Eu nasci na África do Sul

por Mauro Beting em 05.jun.2010 às 16:53h

 

São 21h05 em Johanesburgo. Estou no estúdio da Rádio Bandeirantes com meu uniforme ninja. Sim, é muito bonito, é muito legal. Mas não tanto quanto a simpatia do sul-africano. Eu nunca vi, ouvi e senti nada igual. Melhor: não é nada programado, até porque tem muita coisa a ser feita. É tudo natural. Tudo simpático. E tudo independente da camisa que se veste.

 

Só depois da quarta pergunta da conversa é que vem a tradicional “where do You come from?”. Quando a resposta é “Brazil”, um sorriso ainda mais largo se escancara. Junto com outro sem graça:

 

“Where is Ronaldinho? Why?”

 

Fica difícil explicar. Mas havia prometido não falar de quem não está aqui. Melhor ficar em quem está, e poderá voltar hexacampeão numa Copa em aberto. Até a França, vice-campeã, perde da China, e feio. Até a África do Sul, o pior mandante da história dos Mundiais, parece cada vez mais forte, e com chance de ir além ao lado do México, segunda equipe a iniciar a preparação para o Mundial.

 

Está cada vez mais difícil palpitar, e mais difícil ainda aturar tantas lesões e cortes de gente importante. Mas, ao chegar ao país, o astral é outro. Responsabilidade total da gente daqui, que nos faz gente como gente deles. Eles são naturalmente naturais. Naturalmente bacanas. Naturalmente nos fazem sentir os mais naturais possíveis.

 

Espero que o Brasil faça o mesmo. Em 2014. E agora, também.

 

Faça bonito mesmo sem privilegiar o “jogo bonito”. Com esta base montada por Dunga desde agosto de 2006.

 

Desde então, veja os números do Brasil, na compilação do jornalista DASSLER MARQUES.

 

São 9 goleiros, são 6 laterais e ou alas-direitos, são 11 laterais ou alas-esquerdos, são 14 zagueiros, são 15 volantes, são 15 armadores, são 15 atacantes.

 

85 atletas chamados para Dunga escolher 23.

 

Dos 9 goleiros, apenas Cássio ainda não virou o goleiro esperado. Mas os outros 8 mereceram a chance.

 

Na lateral direita, Maicon e Daniel Alves mal deram chance à concorrência, que não era tão numerosa.

 

Na outra, foram 11 nomes. E nenhum deles traz a confiança plena nem mesmo de Dunga. Até porque alguns, quando chamados, eram alas. E alguns, nem mais laterais, nem alas, são.

 

Como volantes, foram 15 nomes, entre eles dois que podem atuar na zaga, e dois que podem jogar mais como meias que como volantes. Volante dos bons, Dunga gosta até dos não tão bons assim. Ou nem mais tão bem.

 

Na armação, mais 15 nomes. Três que podem fazer funções mais defensivas, quatro que podem ser mais atacantes que meias.

 

Na frente, 15 jogadores. Dois que atuam mais pelos lados, e 13 mais de área. Entre eles, dois mais que discutidos: Afonso Alves e Bobô.

 

Dos 85 chamados, 17 foram marinheiros de primeira viagem.

 

Incluindo Grafite, que só recebeu a segunda chance para a Copa.

 

Jogador Posição convócações
Gomes G 5
Doni G 14
Júlio César G 22
Renan G 2
Hélton G 6
Cássio G 1
Fábio G 2
Diego Alves G 3
Victor G 3
Maicon LD 24
Léo Moura LD 1
Rafinha LD 3
Daniel Alves LD 23
Cicinho LD 2
Ilsinho LD 1
Luisão Z 18
Lúcio Z 20
Edu Dracena Z 2
Juan Z 22
Naldo Z 9
Breno Z 1
Gladstone Z 2
Alex Silva Z 7
Alex Z 10
Thiago Silva Z 7
Miranda Z 7
Léo Z 1
Henrique Z 1
André Dias Z 1
Kléber LE 12
Marcelo LE 10
Carlinhos LE 1
Gilberto LE 13
Adriano Correia LE 4
André Santos LE 4
Juan LE 2
Filipe Luís LE 3
Michel Bastos LE 2
Fábio Aurélio LE 1
Richarlyson LE 2
Edmílson V 4
Josué V 19
Gilberto Silva V 25
Hernanes V 4
Mineiro V 10
Jônatas V 1
Lucas V 9
Tinga V 2
Denílson V 1
Dudu Cearense V 6
Fernando V 6
Felipe Melo V 7
Ramires V 6
Kléberson V 3
Sandro V 2
Elano M 25
Daniel Carvalho M 4
Morais M 1
Wagner M 1
Kaká M 19
Ronaldinho M 13
Diego M 15
Júlio Baptista M 19
Anderson M 8
Thiago Neves M 2
Mancini M 2
Alex M 4
Diego Souza M 2
Cleiton Xavier M 1
Carlos Eduardo M 2
Afonso Alves A-15 4
A 3
Robinho A 26
Fred A 6
Adriano A 10
Ricardo Oliveira A 2
Rafael Sóbis A 8
Vagner Love A 10
Pato A 9
Luís Fabiano A 13
Bobô A 1
Nilmar A 7
Diego Tardelli A 3
Hulk A 1
Grafite A 1

Tags: ,